Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi

Atualidade

ATUALIDADE COVID-19
REVISÃO DA LITERATURA SOBRE MEDICAMENTOS E INTERVENÇÃO FARMACÊUTICA NA COVID-19

INFORMAÇÕES GERAIS

 

Estudo epidemiológico, que avaliou o impacto da pandemia na deteção de vírus respiratórios sazonais distintos do SARS-CoV-2 no Canadá. Durante 2020-2021 foi observada uma percentagem muito menor de testes positivos para todos os vírus respiratórios sazonais comparativamente a temporadas pré-pandémicas, provavelmente relacionada com a implementação de medidas de saúde pública.

Groves HE, Piché-Renaud PP, Peci A, Farrar DS, Buckrell S, Bancej C, et al. The impact of the COVID-19 pandemic on influenza, respiratory syncytial virus, and other seasonal respiratory virus circulation in Canada: A population-based study. Lancet Reg Health Am. 2021 Sep;1:100015. doi: 10.1016/j.lana.2021.100015.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2667-193X%2821%2900007-7


Revisão e descrição resumida das variantes do vírus SARS-CoV-2 identificadas desde setembro de 2020, com alguns dados acerca da eficácia protetora contra as diferentes variantes, proporcionada pelas vacinas disponíveis.

Mahase E. Covid-19: How many variants are there, and what do we know about them? BMJ. 2021 Aug 19; 374: n1971. doi: 10.1136/bmj.n1971.

https://www.bmj.com/content/bmj/374/bmj.n1971.full.pdf

Estudo de coortes, que comparou o risco de recurso a serviços de urgências e de internamento hospitalar em indivíduos infetados pela variante Alfa e Delta do vírus SARS-CoV-2. Conclui que a infeção pela variante Delta esteve associada a maior risco de necessitar de internamento hospitalar num intervalo de 14 dias.

Twohig KA, Nyberg T, Zaidi A, Thelwall S, Sinnathamby MA, Aliabadi S, et al; COVID-19 Genomics UK (COG-UK) consortium. Hospital admission and emergency care attendance risk for SARS-CoV-2 delta (B.1.617.2) compared with alpha (B.1.1.7) variants of concern: a cohort study. Lancet Infect Dis. 2021 Aug 27: S1473-3099(21)00475-8. doi: 10.1016/S1473-3099(21)00475-8.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S1473-3099%2821%2900475-8

Estudo comparativo de coortes, que avaliou o estado de saúde de indivíduos hospitalizados por COVID-19 seis e doze meses após o surgimento dos sintomas. A maioria dos indivíduos mostrou uma boa recuperação física e funcional durante o período de seguimento, mas o seu estado de saúde no final deste período era inferior ao do grupo de controlo.

Huang L, Yao Q, Gu X, Wang Q, Ren L, Wang Y, et al. 1-year outcomes in hospital survivors with COVID-19: a longitudinal cohort study. Lancet. 2021 Aug 28; 398(10302): 747-758. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01755-4. PMID: 34454673.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901755-4

Avaliação da persistência da resposta celular e humoral específica mais de nove meses após infeção pelo vírus SARS-CoV-2. Imunoglobulinas G (IgG) contra proteínas virais e contra o domínio de ligação ao recetor foram detetadas em cerca de 90% e 60 % dos indivíduos, respetivamente, tendo sido detetadas respostas celulares em mais 70% dos indivíduos.

Yao L, Wang G-L, Shen Y, Wang Z-Y, Zhan B-D, Duan L-J, et al. Persistence of Antibody and Cellular Immune Responses in Coronavirus Disease 2019 Patients Over Nine Months After Infection. J Infect Dis. 2021 Aug 15; 224(4): 586-594. https://doi.org/10.1093/infdis/jiab255

https://academic.oup.com/jid/article/224/4/586/6274562

Documento elaborado pela Heart Failure Society of America, no qual são revistos os possíveis efeitos cardíacos da infeção pelo vírus SARS-CoV-2, as consequências desta infeção em doentes com insuficiência cardíaca, bem como a abordagem terapêutica da insuficiência cardíaca em contexto pandémico.

Bhatt AS, Adler ED, Albert NM, Anyanwu A, Bhadelia N, Cooper LT, et al. Coronavirus Disease-2019 and Heart Failure: A Scientific Statement From the Heart Failure Society of America. J Card Fail. 2021 Aug 30: S1071-9164(21)00354-7. doi: 10.1016/j.cardfail.2021.08.013.

https://www.onlinejcf.com/article/S1071-9164(21)00354-7/fulltext

Estudo retrospetivo de coortes, realizado em 4 hospitais universitários da Europa, para examinar o efeito da idade gestacional no momento da infeção por SARS-CoV-2 nos resultados obstétricos e neonatais. Os resultados indicam que a infeção durante o final do segundo e início do terceiro trimestre de gravidez está associada a um maior risco de resultados obstétricos e neonatais adversos.

Badr DA, Picone O, Bevilacqua E, Carlin A, Meli F, Sibiude J, et al. Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2 and Pregnancy Outcomes According to Gestational Age at Time of Infection. Emerg Infect Dis. 2021 Aug 5; 27(10). doi: 10.3201/eid2710.211394.

https://wwwnc.cdc.gov/eid/article/27/10/21-1394_article

Estudo aleatorizado, com dupla ocultação e controlado por placebo, com o objetivo de avaliar o efeito da dapaglifozina na redução do risco de disfunção orgânica em indivíduos hospitalizados por COVID-19 e com pelo menos um fator de risco cardiometabólico. A administração de 10 mg/dia, ao longo de 30 dias, não resultou numa redução estatisticamente significativa do risco de disfunção orgânica ou morte, ou em melhoria na recuperação clínica.

Kosiborod MN, Esterline R, Furtado RHM, Oscarsson J, Gasparyan SB, Koch GG, et al. Dapagliflozin in patients with cardiometabolic risk factors hospitalised with COVID-19 (DARE-19): a randomised, double-blind, placebo-controlled, phase 3 trial. Lancet Diabetes Endocrinol. 2021 Sep; 9(9): 586-594. doi: 10.1016/S2213-8587(21)00180-7.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-8587%2821%2900180-7

Revisão do papel fulcral da genómica no contexto da pandemia COVID-19. O rastreamento genómico do SARS-CoV-2 foi fundamental para a rápida implementação de programas de desenvolvimento de vacinas. Será imprescindível para vigiar o surgimento de novas variantes e guiar a necessidade de atualizar o esquema de administração/composição vacinal.

Van Dorp L, Houldcroft CJ, Richard D, Balloux F. COVID-19, the first pandemic in the post-genomic era. Curr Opin Virol. 2021 Jul 13; 50: 40-48. doi: 10.1016/j.coviro.2021.07.002.

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1879625721000730

Estudo de coorte realizado na Suécia que sugere que a COVID-19 é um fator de risco para enfarte agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral isquémico, e que estas duas condições fazem parte do quadro clínico da COVID-19.

Katsoularis I, Fonseca-Rodríguez O, Farrington P, Lindmark K, Fors Connolly AM. Risk of acute myocardial infarction and ischaemic stroke following COVID-19 in Sweden: a self-controlled case series and matched cohort study. Lancet. 2021 Aug 14; 398(10300): 599-607. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00896-5.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900896-5

Estudo retrospetivo de coortes, que descreve as caraterísticas clínicas dos indivíduos com diabetes tipo 1 hospitalizados por COVID-19 e os fatores de risco associados a doença grave. O risco de doença grave foi muito baixo nesta população; tendo sido identificados como fatores de risco para morte e/ou admissão em cuidados intensivos: um maior índice de massa corporal, pior função renal e presença de complicações microvasculares.

Ruan Y, Ryder REJ, De P, Field BCT, Narendran P, Iqbal A, et al; ABCD Covid-19 audit group. A UK nationwide study of people with type 1 diabetes admitted to hospital with COVID-19 infection. Diabetologia. 2021 Aug; 64(8): 1717-1724. doi: 10.1007/s00125-021-05463-x.

https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s00125-021-05463-x.pdf

Revisão sistemática e meta-análise que avaliou a associação entre as alterações do humor preexistentes, como transtorno bipolar ou depressão, e o risco de contrair COVID-19, hospitalização, complicações ou morte. Conclui pela existência de maior probabilidade de hospitalização e morte por COVID-19, sugerindo a inclusão dos indivíduos com alterações do humor entre os grupos prioritários para vacinação.

Ceban F, Nogo D, Carvalho IP, Lee Y, Nasri F, Xiong J, Lui LMW, Subramaniapillai M, Gill H, Liu RN, Joseph P, Teopiz KM, Cao B, Mansur RB, Lin K, Rosenblat JD, Ho RC, McIntyre RS. Association Between Mood Disorders and Risk of COVID-19 Infection, Hospitalization, and Death: A Systematic Review and Meta-analysis. JAMA Psychiatry. 2021 Jul 28. doi: 10.1001/jamapsychiatry.2021.1818.

https://jamanetwork.com/journals/jamapsychiatry/fullarticle/2782453

Relatório que proporciona informação sobre a circulação da gripe e outros vírus respiratórios nos Estados Unidos durante a pandemia COVID-19. Os vírus respiratórios podem não exibir os padrões típicos de circulação sazonal. Pode existir aumento da circulação, às vezes fora da temporada, de alguns vírus respiratórios. Os autores recomendam vigilância e incentivam a continuação das medidas preventivas.

Olsen SJ, Winn AK, Budd AP, Prill MM, Steel J, Midgley CM, et al. Changes in Influenza and Other Respiratory Virus Activity During the COVID-19 Pandemic - United States, 2020-2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021 Jul 23;70(29):1013-1019. doi: 10.15585/mmwr.mm7029a1.

https://doi.org/10.15585/mmwr.mm7029a1

Atualização dos dados existentes sobre as variantes do vírus SARS-CoV-2: denominação, variantes de interesse e variantes de preocupação, e principais medidas a adotar.

Tracking SARS-CoV-2 variants. WHO; last updated on 4 August 2021

https://www.who.int/es/activities/tracking-SARS-CoV-2-variants/tracking-SARS-CoV-2-variants

Estudo prospetivo de coortes que descreve a evolução, ao longo de 12 meses, da função respiratória em indivíduos hospitalizados por COVID-19 grave, investigando os fatores de risco associados. A maioria dos indivíduos melhorou ao longo do período de estudo. Contudo, um subgrupo evidencia alterações fisiológicas e radiográficas persistentes.

Wu X, Liu X, Zhou Y, Yu H, Li R, Zhan Q, et al. 3-month, 6-month, 9-month, and 12-month respiratory outcomes in patients following COVID-19-related hospitalisation: a prospective study. Lancet Respir Med. 2021 Jul; 9(7): 747-754. doi: 10.1016/S2213-2600(21)00174-0.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900174-0

Análise, realizada no Reino Unido, sobre os efeitos indiretos da COVID-19 na diabetes tipo 2, mostrando reduções no seu diagnóstico e acompanhamento. Os indivíduos com idade igual ou superior a 65 anos, os homens e pessoas que habitam em áreas desfavorecidas tiveram as maiores reduções nas taxas de diagnóstico no decorrer a pandemia COVID-19, o que tem importantes implicações clínicas e para a saúde pública.

Carr MJ, Wright AK, Leelarathna L, Thabit H, Milne N, Kanumilli N, et al. Impact of COVID-19 on diagnoses, monitoring, and mortality in people with type 2 diabetes in the UK. Lancet Diabetes Endocrinol. 2021 Jul; 9(7): 413-415. doi: 10.1016/S2213-8587(21)00116-9.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-8587%2821%2900116-9

Estudo observacional, para estimar a frequência e características da cefaleia atribuída à COVID-19, que pode ser o primeiro sintoma da infeção. A frequência e o fenótipo da cefaleia foram semelhantes em doentes com e sem necessidade de internamento hospitalar e entre indivíduos do sexo masculino e feminino, sendo mais intensa em mulheres.

García-Azorín D, Sierra Á, Trigo J, Alberdi A, Blanco M, Calcerrada I, et al. Frequency and phenotype of headache in covid-19: a study of 2194 patients. Sci Rep. 2021 Jul 19;11(1):14674. doi: 10.1038/s41598-021-94220-6.

https://www.nature.com/articles/s41598-021-94220-6.pdf

Estudo de coortes de base populacional que investigou a associação entre o índice de massa corporal (IMC) e o risco de diagnóstico, hospitalização ou morte por COVID-19. Indivíduos com IMC de 31 kg/m2 apresentaram maior risco de diagnóstico e hospitalização por COVID-19 comparativamente a pessoas com IMC de 22 kg/m2. Houve também um aumento mais pronunciado do risco de morte para IMC ≥40 kg/m2.

Recalde M, Pistillo A, Fernandez-Bertolin S, Roel E, Aragon M, Freisling H, et al. Body mass index and risk of COVID-19 diagnosis, hospitalisation, and death: a cohort study of 2 524 926 Catalans. J Clin Endocrinol Metab. 2021 Jul 23: dgab546. doi: 10.1210/clinem/dgab546.

https://academic.oup.com/jcem/advance-article/doi/10.1210/clinem/dgab546/6326782

Revisão de estudos relativos aos efeitos de longo prazo da COVID-19, com descrição dos sintomas persistentes em indivíduos hospitalizados ou tratados em ambulatório, fatores de risco para a sua ocorrência e possíveis opções terapêuticas.

Crook H, Raza S, Nowell J, Young M, Edison P. Long covid-mechanisms, risk factors, and management. BMJ. 2021 Jul 26; 374: n1648. doi: 10.1136/bmj.n1648.

https://www.bmj.com/content/bmj/374/bmj.n1648.full.pdf

Estudo observacional, que comparou a gravidade da infeção por SARS-CoV-2 em indivíduos com diabetes tratados com agonistas dos recetores do péptido-1 similar ao glucagom ou inibidores do co-transportador de sódio e glucose 2, com indivíduos tratados com inibidores da dipeptidil peptidase-4 (DPP4). O uso dos dois primeiros grupos esteve associado a menor risco de mortalidade; contudo, os indivíduos tratados com inibidores DPP4 eram geralmente mais idosos e doentes.

Kahkoska AR, Abrahamsen TJ, Alexander GC, Bennett TD, Chute CG, Haendel MA, Klein KR, Mehta H, Miller JD, Moffitt RA, Stürmer T, Kvist K, Buse JB; N3C Consortium. Association Between Glucagon-Like Peptide 1 Receptor Agonist and Sodium-Glucose Cotransporter 2 Inhibitor Use and COVID-19 Outcomes. Diabetes Care. 2021 Jul; 44(7): 1564-1572. doi: 10.2337/dc21-0065. 

https://care.diabetesjournals.org/content/diacare/44/7/1564.full.pdf

Revisão sistemática e meta-análise, que avaliou a relação entre o risco de mortalidade devido à COVID-19 com a existência de doença mental. Conclui que o risco de mortalidade é superior em indivíduos afetados por doença mental, devendo estes ser considerados um grupo de alto risco para formas graves de COVID-19.

Fond G, Nemani K, Etchecopar-Etchart D, Loundou A, Goff DC, Lee SW, Lancon C, Auquier P, Baumstarck K, Llorca PM, Yon DK, Boyer L. Association Between Mental Health Disorders and Mortality Among Patients With COVID-19 in 7 Countries: A Systematic Review and Meta-analysis. JAMA Psychiatry. 2021 Jul 27. doi: 10.1001/jamapsychiatry.2021.2274.  

https://jamanetwork.com/journals/jamapsychiatry/fullarticle/2782457

Ensaio multicêntrico e prospetivo, com o objetivo de caraterizar as complicações associadas a hospitalização por COVID-19 em adultos. Cerca de metade dos doentes hospitalizados sofreu pelo menos uma complicação em algum órgão ou sistema, inclusive indivíduos mais jovens e com poucas comorbilidades prévias.

Drake TM, Riad AM, Fairfield CJ, Egan C, Knight SR, Pius R, et al; ISARIC4C investigators. Characterisation of in-hospital complications associated with COVID-19 using the ISARIC WHO Clinical Characterisation Protocol UK: a prospective, multicentre cohort study. Lancet. 2021 Jul 17; 398(10296): 223-237. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00799-6. PMID: 34274064. 

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900799-6

Atualização das orientações dos Centers for Disease Control and Prevention dos Estados Unidos da América para o cuidado de mulheres que amamentam e das crianças que recebem leite materno, no contexto da COVID-19.

CDC: Care for Breastfeeding Women. Interim Guidance on Breastfeeding and Breast Milk Feeds in the Context of COVID-19. Updated June 17, 2021. 

https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/care-for-breastfeeding-women.html

Estudo multicêntrico, que analisou retrospetivamente uma coorte de âmbito nacional, para determinar a frequência e os fatores de risco para reinternamento de indivíduos hospitalizados por COVID-19. A taxa de reinternamento num intervalo de 30 dias foi baixa (4,2%) e devida mais frequentemente a agravamento de pneumonia prévia. A idade avançada e presença de comorbilidades estão associadas a risco aumentado de reinternamento.

Ramos-Martínez A, Parra-Ramírez LM, Morrás I, Carnevali M, Jiménez-Ibañez L, Rubio-Rivas M, et al. Frequency, risk factors, and outcomes of hospital readmissions of COVID-19 patients. Sci Rep. 2021 Jul 2; 11(1): 13733. doi: 10.1038/s41598-021-93076-0. 

https://www.nature.com/articles/s41598-021-93076-0.pdf

Revisão sistemática com meta-análise que avaliou a associação entre presença de défice em vitamina D e gravidade da COVID-19. Os dados provenientes de estudos observacionais, com um total de 2756 indivíduos, revelaram associação entre a deficiência em vitamina D e uma mortalidade significativamente mais elevada, bem como com hospitalização mais prolongada.

Wang Z, Joshi A, Leopold K, Jackson S, Christensen S, Nayfeh T, et al. Association of Vitamin D Deficiency with COVID-19 Infection Severity: Systematic Review and Meta-analysis. Clin Endocrinol (Oxf). 2021 Jun 23. doi: 10.1111/cen.14540.  

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/cen.14540


Estudo multicêntico de coortes que comparou o risco de COVID-19 grave entre indivíduos com doenças reumatológicas autoimunes sistémicas e a população em geral. Nestes indivíduos, foi identificado um maior risco de resultados adversos decorrentes da infeção por SARs-CoV-2, dos quais se destaca o risco de tromboembolismo venoso.

D'Silva KM, Jorge A, Cohen A, McCormick N, Zhang Y, Wallace ZS, Choi HK. COVID-19 Outcomes in Patients With Systemic Autoimmune Rheumatic Diseases Compared to the General Population: A US Multicenter, Comparative Cohort Study. Arthritis Rheumatol. 2021 Jun; 73(6): 914-920. doi: 10.1002/art.41619.  

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/art.41619


Estudo de coorte populacional realizado para determinar a associação entre a infeção por SARS-CoV-2 no momento do nascimento e os resultados maternos e perinatais. O risco de morte fetal, parto prematuro, pré-eclâmpsia/eclâmpsia e parto por cesariana de urgência foram significativamente maiores entre as gestantes infetadas com SARS-CoV-2. O aumento nos resultados fetais adversos observado foi atribuído ao aumento do risco de parto prematuro.

Gurol-Urganci I, Jardine JE, Carroll F, Draycott T, Dunn G, Fremeaux A, et al. Maternal and perinatal outcomes of pregnant women with SARS-CoV-2 infection at the time of birth in England: national cohort study. Am J Obstet Gynecol. 2021 May 20: S0002-9378(21)00565-2. doi: 10.1016/j.ajog.2021.05.016. 

https://www.ajog.org/article/S0002-9378(21)00565-2/pdf


Revisão sistemática realizada para identificar questões de qualidade de vida relacionada com a saúde associadas à COVID-19 ao longo do curso da doença. Mostra o impacto devastador da doença e proprociona informação útil para reconhecer e comprender melhor a doença.

Amdal CD, Pe M, Falk RS, Piccinin C, Bottomley A, Arraras JI, et al. Health-related quality of life issues, including symptoms, in patients with active COVID-19 or post COVID-19; a systematic literature review. Qual Life Res. 2021 Jun 19: 1–15. doi: 10.1007/s11136-021-02908-z.  

https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s11136-021-02908-z.pdf


Estudo de coorte que revela que durante a pandemia por Covid-19 se verificou um aumento significativo dos sintomas depressivos e deterioração do bem-estar mental entre os estudantes islandeses com 13 a 18 anos de idade, em comparação com pares da mesma idade antes da pandemia.

Thorisdottir IE, Asgeirsdottir BB, Kristjansson AL, Valdimarsdottir HB, Jonsdottir Tolgyes EM, Sigfusson J, et al. Depressive symptoms, mental wellbeing, and substance use among adolescents before and during the COVID-19 pandemic in Iceland: a longitudinal, population-based study. Lancet Psychiatry. 2021 Jun 3: S2215-0366(21)00156-5. doi: 10.1016/S2215-0366(21)00156-5. Epub ahead of print. 

https://www.thelancet.com/journals/lanpsy/article/PIIS2215-0366(21)00156-5/fulltext


Revisão sistemática que avaliou a associação entre a polimedicação e classes farmacológicas específicas com os resultados clínicos de indivíduos com COVID-19. A polimedicação mostrou estar relacionada com aumento do risco de resultado positivo em testes de COVID-19, mortalidade no sexo masculino, dano renal agudo e reações adversas medicamentosas. Os antipsicóticos mostraram estar associados a maior risco de COVID-19 grave e morte.

Iloanusi S, Mgbere O, Essien EJ. Polypharmacy among COVID-19 patients: A systematic review. J Am Pharm Assoc (2003). 2021 May 26: S1544-3191(21)00188-6. doi: 10.1016/j.japh.2021.05.006. 

https://www.japha.org/action/showPdf?pii=S1544-3191%2821%2900188-6


Estudo multinacional, que investigou as caraterísticas dos acidentes vasculares cerebrais (AVC) reportados em indivíduos com COVID-19. Foi identificada uma predominância de AVC isquémico, em indivíduos do sexo masculino, e a sua ocorrência num número relativamente elevado de indivíduos jovens. Cerca de um terço dos casos ocorreram em infeções assintomáticas.

Shahjouei S, Tsivgoulis G, Farahmand G, Koza E, Mowla A, Vafaei Sadr A, et al. SARS-CoV-2 and Stroke Characteristics: A Report From the Multinational COVID-19 Stroke Study Group. Stroke. 2021 May; 52(5): e117-e130. doi: 10.1161/STROKEAHA.120.032927. 

https://www.ahajournals.org/doi/pdf/10.1161/STROKEAHA.120.032927

Estudo que investigou a capacidade de deteção da presença do vírus SARS-CoV-2 em superfícies por cães especificamente treinados. Após um mês de treino, os cães demonstraram uma elevada exatidão na identificação de superfícies e locais contaminados.

Mendel J, Frank K, Edlin L, Hall K, Webb D, Mills J, Holness HK, Furton KG, Mills D. Preliminary accuracy of COVID-19 odor detection by canines and HS-SPME-GC-MS using exhaled breath samples. Forensic Sci Int Synerg. 2021; 3 :100155. doi: 10.1016/j.fsisyn.2021.100155. 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8188775/pdf/main.pdf

Compilação da evidência disponível acerca das novas variantes do vírus SARS-CoV-2, nomeadamente acerca da sua definição e nomenclatura, distribuição geográfica, potencial de transmissibilidade e impacto clínico, bem como das suas implicações para a eficácia das vacinas atuais.

Cantón R, De Lucas Ramos P, García-Botella A, García-Lledó A, Gómez-Pavón J, González Del Castillo J, et al. New variants of SARS-CoV-2. Rev Esp Quimioter. 2021 Jun 2:canton02jun2021. doi: 10.37201/req/071.2021.

https://seq.es/wp-content/uploads/2021/06/canton02jun2021.pdf

Estudo observacional, de âmbito nacional, e subsequente meta-análise, que avaliou a relação entre o uso de inibidores da bomba de protões (IBP) com a incidência e gravidade da infeção pelo vírus SARS-CoV-2. Foi encontrada uma associação mínima entre a toma de IBP e um risco aumentado de infeção e hospitalização, que provavelmente será devida a diferenças no desenho dos estudos.

Israelsen SB, Ernst MT, Lundh A, Lundbo LF, Sandholdt H, Hallas J, Benfield T. Proton Pump Inhibitor Use Is Not Strongly Associated With SARS-CoV-2 Related Outcomes: A Nationwide Study and Meta-analysis. Clin Gastroenterol Hepatol. 2021 May 11: S1542-3565(21)00514-0. doi: 10.1016/j.cgh.2021.05.011.

https://www.cghjournal.org/action/showPdf?pii=S1542-3565%2821%2900514-0

Caraterização das sequelas neurológicas da COVID-19 num grupo de indivíduos hospitalizados, mas já em fase subaguda da doença. Foi detetada disfunção neocortical, acompanhada por declínio cognitivo numa fração substancial dos indivíduos, o que pode implicar a necessidade de programas de reabilitação e vir a ter substancial relevância socioeconómica.

Hosp JA, Dressing A, Blazhenets G, Bormann T, Rau A, Schwabenland M, et al. Cognitive impairment and altered cerebral glucose metabolism in the subacute stage of COVID-19. Brain. 2021 May 7; 144(4): 1263-1276. doi: 10.1093/brain/awab009. 

https://academic.oup.com/brain/article/144/4/1263/6209743

Estudo prospetivo de coortes que avaliou a persistência de sintomas de COVID-19, quatro e sete meses após a infeção, em pessoas que não necessitaram de hospitalização. Identificou a presença continuada de falta de ar, anosmia, ageusia ou fadiga como sintomas de longa duração.valiação da carga viral média na primeira semana do diagnostico de infeção por SARS-CoV-2 em diferentes grupos etários.

Augustin M, Schommers P, Stecher M, Dewald F, Gieselmann L, Gruell H, et al. Post-COVID syndrome in non-hospitalised patients with COVID-19: a longitudinal prospective cohort study. Lancet Reg Health Eur. 2021 Jul; 6: 100122. 

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2666776221000995?via%3Dihub

Avaliação da carga viral média na primeira semana do diagnostico de infeção por SARS-CoV-2 em diferentes grupos etários. Esta foi ligeiramente inferior nas crianças de 0-13 anos e adolescentes com idade entre 14-19 anos comparativamente a adultos com idade ≥20 anos.s

Bellon M, Baggio S, Bausch FJ, Spechbach H, Salamun J, Genecand C, et al. SARS-CoV-2 viral load kinetics in symptomatic children, adolescents and adults. Clin Infect Dis. 2021 May 5: ciab396. doi: 10.1093/cid/ciab396.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8135785/pdf/ciab396.pdf

Estudo realizado na Dinamarca sobre efeitos pós-agudos da COVID-19 em indivíduos que não necessitaram de internamento. Nos primeiros seis meses após a infeção por SARS-CoV-2, o risco de complicações agudas foi baixo. No entanto, existiu um ligeiro aumento do risco de tromboembolismo venoso e do diagnóstico hospitalar de dispneia.

Lund LC, Hallas J, Nielsen H, Koch A, Mogensen SH, Brun NC, Christiansen CF, Thomsen RW, Pottegård A. Post-acute effects of SARS-CoV-2 infection in individuals not requiring hospital admission: a Danish population-based cohort study. Lancet Infect Dis. 2021 May 10: S1473-3099(21)00211-5. doi: 10.1016/S1473-3099(21)00211-5.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8110209/pdf/main.pdf

Estudo de coorte, prospetivo e multicêntrico, que avaliou o efeito da toma de anti-inflamatórios não esteroides nas duas semanas anteriores à hospitalização por COVID-19. O seu uso não se associou a aumento da gravidade da doença nem da mortalidade intra-hospitalar, ou a agravamento de resultados secundários, como o internamento em cuidados intensivos, a necessidade de ventilação invasiva, não invasiva ou de oxigénio, ou a presença de lesão renal aguda.

Drake TM, Fairfield CJ, Pius R, Knight SR, Norman L, Girvan M, et al; ISARIC4C Investigators. Non-steroidal anti-inflammatory drug use and outcomes of COVID-19 in the ISARIC Clinical Characterisation Protocol UK cohort: a matched, prospective cohort study. Lancet Rheumatol. 2021 May 7. doi: 10.1016/S2665-9913(21)00104-1.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8104907/pdf/main.pdf

Estudo internacional que investiga os fatores de risco ambientais e climáticos para a infeção por SARS-CoV-2. O estudo mostrou altas taxas de incidência e risco de mortalidade por COVID-19 nos países com uma temperatura ambiental média entre 0 e 10ºC. É destacada a necessidade de considerar o efeito térmico na prevenção de doenças infeciosas emergentes.

Yang HY, Lee JKW. The Impact of Temperature on the Risk of COVID-19: A Multinational Study. Int J Environ Res Public Health. 2021 Apr 12; 18(8): 4052.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8068915/pdf/ijerph-18-04052.pdf

Estudo retrospetivo de coorte realizado nos Estados Unidos da América, que constata a associação entre o reinternamento hospitalar por COVID-19 e certas comorbilidades e condições agudas durante a primeira hospitalização. Uma idade superior a 60 anos e a presença de comorbilidades foram associadas a um risco aumentado de reinternamento.

Verna EC, Landis C, Brown RS Jr, Mospan AR, Crawford JM, Hildebrand JS, et al. Factors Associated with Readmission in the US Following Hospitalization with COVID-19. Clin Infect Dis. 2021 May 20: ciab464.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab464/6279074

Estudo de coorte que investigou a incidência e os resultados associados às manifestações neurológicas em indivíduos com COVID-19. Mostrou que a presença de sinais ou síndromes neurológicas, clinicamente verificáveis, em doentes internados por COVID-19, aumenta o risco de morte intra-hospitalar.

Chou SH, Beghi E, Helbok R, Moro E, Sampson J, Altamirano V, et al; GCS-NeuroCOVID Consortium and ENERGY Consortium. Global Incidence of Neurological Manifestations Among Patients Hospitalized With COVID-19-A Report for the GCS-NeuroCOVID Consortium and the ENERGY Consortium. JAMA Netw Open. 2021 May 3; 4(5): e2112131. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2021.12131.

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2779759

Declaração atualizada sobre COVID-19 e doenças endócrinas e metabólicas publicada pela Sociedade Europeia de Endocrinologia (ESE), que confirma o forte envolvimento do sistema endócrino nas infeções por COVID-19. Destaca que agora há evidências de um "fenótipo endócrino” de COVID-19 e aponta as suas implicações para a prevenção e tratamento da doença.

Puig-Domingo M, Marazuela M, Yildiz BO, Giustina A. COVID-19 and endocrine and metabolic diseases. An updated statement from the European Society of Endocrinology. Endocrine. 2021 May; 72(2): 301-316. doi: 10.1007/s12020-021-02734-w. Epub 2021 May 8.

https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s12020-021-02734-w.pdf

Publicação do European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC), com o objetivo de avaliar as potenciais implicações para a saúde pública das linhagens B.1.617 do vírus SARS-CoV-2 para os países da UE/EEE, com foco na linhagem B.1.617.2.

European Centre for Disease Prevention and Control. Emergence of SARS-CoV-2 B.1.617 variants in India and situation in the EU/EEA– 11 May 2021. ECDC: Stockholm; 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Emergence-of-SARS-CoV-2-B.1.617-variants-in-India-and-situation-in-the-EUEEA_0.pdf

Revisão sistemática dos estudos que examinam a frequência e a variedade dos sintomas persistentes após infeção por SARS-CoV-2. Os mais frequentes foram falta de ar ou dispneia, fadiga ou exaustão e distúrbios do sono ou insónia. Os sintomas geralmente persistiam além da fase aguda da infeção, com implicações para o desempenho e a qualidade de vida. Os estudos atuais sobre a persistência dos sintomas são altamente heterogéneos e os estudos futuros precisam de um acompanhamento mais longo e desenhos padronizados para quantificar os riscos.

Nasserie T, Hittle M, Goodman SN. Assessment of the Frequency and Variety of Persistent Symptoms Among Patients With COVID-19: A Systematic Review. JAMA Netw Open. 2021; 4(5): e2111417. doi:10.1001/jamanetworkopen.2021.11417

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/articlepdf/2780376/nasserie_2021_oi_210337_1621437711.33721.pdf

Investigação da associação entre a obesidade e o risco de COVID-19 grave, através de um estudo prospetivo de coortes, de larga dimensão. Concluiu que a taxa de risco de resultados adversos, como admissão hospitalar, em cuidados intensivos, ou morte, aumenta progressivamente a partir de um índice de massa corporal de 23 kg/m², especialmente em indivíduos mais jovens.

Gao M, Piernas C, Astbury NM, Hippisley-Cox J, O'Rahilly S, Aveyard P, Jebb SA. Associations between body-mass index and COVID-19 severity in 6·9 million people in England: a prospective, community-based, cohort study. Lancet Diabetes Endocrinol. 2021 Apr 28:S2213-8587(21)00089-9. doi: 10.1016/S2213-8587(21)00089-9.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8081400/pdf/main.pdf

Avaliação da associação entre o uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINE) e aumento do risco de contrair COVID-19, através da comparação de coortes de indivíduos com osteoartrite, tratados ou não com AINE. Não foi observado aumento do risco de COVID-19 ou de mortalidade associado ao uso de AINE.

Chandan JS, Zemedikun DT, Thayakaran R, Byne N, Dhalla S, Acosta-Mena D, et al. Nonsteroidal Antiinflammatory Drugs and Susceptibility to COVID-19. Arthritis Rheumatol. 2021 May; 73(5): 731-739. doi: 10.1002/art.41593.

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/art.41593

Estudo prospetivo multicêntrico, que comparou duas coortes de indivíduos hipertensos hospitalizados por COVID-19, utilizadores ou não de bloqueadores do sistema renina-angiotensina-aldosterona. O uso crónico deste grupo de fármacos não mostrou estar associado a maior risco de mortalidade, nem a um potencial efeito protetor.

Gault N, Esposito-Farese M, Revest M, Inamo J, Cabie A, Polard É, et al; French-Covid cohort investigators and study group. Chronic use of Renin-Angiotensin-Aldosterone-System blockers and mortality in COVID-19: a multicenter prospective cohort and literature review. Fundam Clin Pharmacol. 2021 Apr 20. doi: 10.1111/fcp.12683.

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/fcp.12683

Avaliação dos riscos de resultados adversos maternos e neonatais associados à COVID-19 por meio de um estudo multinacional de coortes, que avaliou 2130 grávidas de 18 países. Foi demonstrada uma associação consistente entre o diagnóstico de COVID-19 e taxas superiores de resultados adversos, entre os quais mortalidade materna, pré-eclâmpsia e parto prematuro.

Villar J, Ariff S, Gunier RB, Thiruvengadam R, Rauch S, Kholin A, et al. Maternal and Neonatal Morbidity and Mortality Among Pregnant Women With and Without COVID-19 Infection: The INTERCOVID Multinational Cohort Study. JAMA Pediatr. 2021 Apr 22: e211050. doi: 10.1001/jamapediatrics.2021.1050.

https://jamanetwork.com/journals/jamapediatrics/fullarticle/2779182

Meta-análise que investigou a influência da asma no risco de desenvolver COVID-19 grave e a prevalência de asma em indivíduos com COVID-19. Os dados, provenientes de 18 estudos, sugerem que a asma não constitui um fator de risco significativo para desenvolvimento de COVID-19 grave.

Wu T, Yu P, Li Y, Wang J, Li Z, Qiu J, Cui L, Mou Y, Sun Y. Asthma does not influence the severity of COVID-19: a meta-analysis. Journal of Asthma. 2021; DOI: 10.1080/02770903.2021.1917603

https://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/02770903.2021.1917603?needAccess=true

Estudo de coortes que avaliou, em profissionais de saúde, a persistência de sintomas 8 meses após casos ligeiros de COVID-19. Mostrou que uma proporção considerável de indivíduos de baixo risco, com COVID-19 ligeira, reportou diversos sintomas de longa duração.

Havervall S, Rosell A, Phillipson M, Mangsbo SM, Nilsson P, Hober S, Thålin C. Symptoms and Functional Impairment Assessed 8 Months After Mild COVID-19 Among Health Care Workers. JAMA. 2021 Apr 7. doi: 10.1001/jama.2021.5612.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2778528

Revisão da evidência acerca da COVID-19 durante a gravidez e do risco de transmissão vertical, com descrição das suas consequências para a grávida e para os recém-nascidos com exposição perinatal.

Mark EG, McAleese S, Golden WC, Gilmore MM, Sick-Samuels A, Curless MS, et al. Coronavirus Disease 2019 in Pregnancy and Outcomes Among Pregnant Women and Neonates: A Literature Review. Pediatr Infect Dis J. 2021 May 1; 40(5): 473-478. doi: 10.1097/INF.0000000000003102.

https://journals.lww.com/pidj/Fulltext/2021/05000/Coronavirus_Disease_2019_in_Pregnancy_and_Outcomes.23.aspx

Revisão da fisiopatologia e do tratamento da infeção pelo vírus SARS-CoV-2 em pediatria, com referência a diversas populações especiais, como recém-nascidos ou crianças com comorbilidades.

Parsons S, Tran VL. The Trilogy of SARS-CoV-2 in Pediatrics (Part 1): Acute COVID-19 in Special Populations. J Pediatr Pharmacol Ther. 2021; 26(3): 220-239. doi: 10.5863/1551-6776-26.3.220.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8021247/pdf/i1551-6776-26-3-220.pdf

Estudo retrospetivo que avaliou a taxa de disfunção em sistemas e órgãos específicos numa coorte de 47 780 indivíduos com internamento hospitalar prévio por COVID-19. Ao longo de um período de 140 dias, as taxas de readmissão hospitalar e falecimento após alta foram, respetivamente, 4 e 8 vezes superiores às do grupo controlo, existindo também aumento no risco de disfunção multiorgânica comparativamente ao expectável na população em geral.

Ayoubkhani D, Khunti K, Nafilyan V, Maddox T, Humberstone B, Diamond I, Banerjee A. Post-covid syndrome in individuals admitted to hospital with covid-19: retrospective cohort study. BMJ. 2021 Mar 31; 372: n693. doi: 10.1136/bmj.n693. PMID: 33789877; PMCID: PMC8010267.

https://www.bmj.com/content/bmj/372/bmj.n693.full.pdf

Comparação do curso clínico de 48 440 indivíduos diagnosticados com COVID-19 relativamente ao risco de hospitalização, admissão em cuidados intensivos e morte consoante o grau de atividade física praticado. Os indivíduos inativos apresentaram um risco superior de desenvolver COVID-19 grave comparativamente aos que praticavam atividade física, mesmo que em quantidade inferior ao recomendado.

Sallis R, Young DR, Tartof SY, Sallis JF, Sall J, Li Q, Smith GN, Cohen DA. Physical inactivity is associated with a higher risk for severe COVID-19 outcomes: a study in 48 440 adult patients. Br J Sports Med. 2021 Apr 13: bjsports-2021-104080. doi: 10.1136/bjsports-2021-104080.

https://bjsm.bmj.com/content/bjsports/early/2021/04/07/bjsports-2021-104080.full.pdf?with-ds=yes

Revisão sistemática que avaliou a exatidão, em indivíduos sintomáticos e assintomáticos, de testes rápidos de antigénio e moleculares para diagnóstico da infeção pelo vírus SARS-CoV-2.

Dinnes J, Deeks JJ, Berhane S, Taylor M, Adriano A, Davenport C, et al. Rapid, point‐of‐care antigen and molecular‐based tests for diagnosis of SARS‐CoV‐2 infection. Cochrane Database of Systematic Reviews 2021, Issue 3. Art. No.: CD013705. DOI: 10.1002/14651858.CD013705.pub2. Accessed 28 April 2021.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD013705.pub2/epdf/standard

Análise de uma coorte de indivíduos com cancro e diagnóstico de COVID-19 para determinar quais os fatores clínicos e laboratoriais associados a pior prognóstico. Entre os fatores identificados incluem-se idade avançada, doença hemato-oncológica e quimioterapia recente.

Grivas P, Khaki AR, Wise-Draper TM, French B, Hennessy C, Hsu CY, et al. Association of Clinical Factors and Recent Anti-Cancer Therapy with COVID-19 Severity among Patients with Cancer: A Report from the COVID-19 and Cancer Consortium. Ann Oncol. 2021 Mar 18:S0923-7534(21)00874-7. doi: 10.1016/j.annonc.2021.02.024.

https://www.annalsofoncology.org/action/showPdf?pii=S0923-7534%2821%2900874-7

Estudo observacional de âmbito nacional, que investigou a possibilidade de existirem diferenças no risco de mortalidade relacionada com a COVID-19 com o uso de diferentes classes de antidiabéticos. A prescrição de insulina e de inibidores da dipeptidil peptidase-4 mostrou estar associada a ligeiro aumento do risco de mortalidade, mas que provavelmente estará relacionado com a sua utilização em estadios mais avançados da diabetes.

Khunti K, Knighton P, Zaccardi F, Bakhai C, Barron E, Holman N, Kar P, Meace C, Sattar N, Sharp S, Wareham NJ, Weaver A, Woch E, Young B, Valabhji J. Prescription of glucose-lowering therapies and risk of COVID-19 mortality in people with type 2 diabetes: a nationwide observational study in England. Lancet Diabetes Endocrinol. 2021 Mar 30:S2213-8587(21)00050-4. doi: 10.1016/S2213-8587(21)00050-4.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-8587%2821%2900050-4

Desafios e respostas aportadas pelas tecnologias de saúde na prevenção, diagnóstico, terapêutica, bem como na vigilância da efetividade e segurança dos tratamentos e vacinas para a COVID-19.

Advinha A, Costa D, Rocha J, Azevedo-Pereira J, Abreu I. A Resposta das Tecnologias de Saúde à Pandemia de COVID-19: Uma Luz ao Fundo do Túnel? Revista Portuguesa de Farmacoterapia. 2021; 12(4): 16-7. DOI: https://doi.org/10.25756/rpf.v12i4.255

http://revista.farmacoterapia.pt/index.php/rpf/article/view/321/278

Estudo de coorte populacional que avaliou a relação entre a presença de doença crónica pulmonar, ou o uso de corticosteroides por via inalatória, com o risco de contrair COVID-19 grave. Concluiu que o risco era relativamente pequeno em indivíduos com asma, mas modesto em indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crónica, doença pulmonar intersticial ou que utilizem corticosteroides inalados.

Aveyard P, Gao M, Lindson N, Hartmann-Boyce J, Watkinson P, Young D, et al. Association between pre-existing respiratory disease and its treatment, and severe COVID-19: a population cohort study. Lancet Respir Med. 2021 Apr 1:S2213-2600(21)00095-3. doi: 10.1016/S2213-2600(21)00095-3.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900095-3

Revisão sistemática e meta-análise que avaliou os efeitos da pandemia nos resultados maternos, fetais e neonatais a nível global. Constatou um aumento das mortes maternas, nados-mortos e gravidezes ectópicas com rotura, bem como dos sintomas de depressão materna.

Chmielewska B, Barratt I, Townsend R, Kalafat E, van der Meulen J, Gurol-Urganci I, et al. Effects of the COVID-19 pandemic on maternal and perinatal outcomes: a systematic review and meta-analysis. Lancet Glob Health. 2021 Mar 31:S2214-109X(21)00079-6. doi: 10.1016/S2214-109X(21)00079-6.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2214-109X%2821%2900079-6

A relação entre a diabetes mellitus e a mortalidade em doentes internados por COVID-19 foi avaliada através de uma revisão sistemática e meta-análise, concluindo que a diabetes aumenta o risco de mortalidade, dano em órgãos e a duração do internamento.

Kaminska H, Szarpak L, Kosior D, Wieczorek W, Szarpak A, Al-Jeabory M, et al. Impact of diabetes mellitus on in-hospital mortality in adult patients with COVID-19: a systematic review and meta-analysis. Acta Diabetol. 2021 Mar 20. doi: 10.1007/s00592-021-01701-1.

https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s00592-021-01701-1.pdf

Descrição dos mecanismos utilizados pelo vírus SARS-CoV-2 para invadir o sistema nervoso central e causar dano vascular e neuronal, disfunção dos neurotransmissores, eventos trombóticos e sintomas neuropsiquiátricos.

Boldrini M, Canoll PD, Klein RS. How COVID-19 Affects the Brain. JAMA Psychiatry. 2021 Mar 26. doi: 10.1001/jamapsychiatry.2021.0500.

https://jamanetwork.com/journals/jamapsychiatry/fullarticle/2778090

Estudo retrospetivo de coortes que avaliou a taxa de reinfeção pelo vírus SARS-CoV-2. Em indivíduos com um teste PCR positivo há pelo menos 90 dias, a proteção conferida por uma infeção previa foi de 81,8%, sendo de 84,5% contra infeção sintomática.

Sheehan MM, Reddy AJ, Rothberg MB. Reinfection Rates among Patients who Previously Tested Positive for COVID-19: a Retrospective Cohort Study. Clin Infect Dis. 2021 Mar 15: ciab234. doi: 10.1093/cid/ciab234.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab234/6170939

Revisão da evidencia atual acerca dos efeitos persistentes e prolongados que têm vindo a ser reportados após a infeção COVID-19 aguda, denominados síndrome pós-COVID. É discutida a sua fisiopatologia e descritas as sequelas específicas para cada órgão ou sistema.

Nalbandian A, Sehgal K, Gupta A, Madhavan MV, McGroder C, Stevens JS, et al. Post-acute COVID-19 syndrome. Nat Med. 2021 Mar 22. doi: 10.1038/s41591-021-01283-z.

https://www.nature.com/articles/s41591-021-01283-z.pdf

Revisão sistemática e meta-análise que avaliou e comparou o desempenho de testes PCR em tempo real para deteção do vírus SARS-CoV-2 efetuados em amostras biológicas que não as amostras padrão. Concluiu que a utilização de saliva poderá constituir uma alternativa com elevada sensibilidade e especificidade.

Moreira VM, Mascarenhas P, Machado V, Botelho J, Mendes JJ, Taveira N, Almeida MG. Diagnosis of SARS-Cov-2 Infection by RT-PCR Using Specimens Other Than Naso- and Oropharyngeal Swabs: A Systematic Review and Meta-Analysis. Diagnostics (Basel). 2021 Feb 21;11(2):363. doi: 10.3390/diagnostics11020363.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7926389/pdf/diagnostics-11-00363.pdf

Revisão sistemática e meta-análise que avaliou o impacto da COVID-19 durante a gravidez nos resultados maternos, fetais e neonatais. Concluiu que a infeção por SARS-CoV-2 durante a gravidez pode estar associada a risco aumentado de resultados adversos, entre os quais preeclampsia e parto prematuro.

Wei SQ, Bilodeau-Bertrand M, Liu S, Auger N. The impact of COVID-19 on pregnancy outcomes: a systematic review and meta-analysis. CMAJ. 2021 Mar 19: cmaj.202604. doi: 10.1503/cmaj.202604.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab004/https://www.cmaj.ca/content/cmaj/early/2021/03/18/cmaj.202604.full.pdf

Estudo observacional, que avaliou em que medida é que a infeção pelo SARS-CoV-2 confere proteção face a uma subsequente reinfeção, avaliando resultados de testes PCR em dois períodos de surto. Concluiu que indivíduos previamente infetados possuem uma proteção de cerca de 80% contra uma nova infeção.

Hansen CH, Michlmayr D, Gubbels SM, Mølbak K, Ethelberg S. Assessment of protection against reinfection with SARS-CoV-2 among 4 million PCR-tested individuals in Denmark in 2020: a population-level observational study. Lancet. 2021 Mar 17: S0140-6736(21)00575-4. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00575-4.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900575-4

Estudo prospetivo, não controlado, de uma coorte de sobreviventes de COVID-19, que descreve o seu estado clínico quatro meses após a sua hospitalização. Foram frequentemente reportados sintomas que não estavam presentes antes da infeção e, entre os doentes submetidos a tomografia axial computorizada pulmonar, foi comum a deteção de anomalias.

Writing Committee for the COMEBAC Study Group, Morin L, Savale L, Pham T, Colle R, Figueiredo S, Harrois A, Gasnier M, Lecoq AL, Meyrignac O, Noel N, Baudry E, Bellin MF, Beurnier A, Choucha W, Corruble E, Dortet L, Hardy-Leger I, Radiguer F, Sportouch S, Verny C, Wyplosz B, Zaidan M, Becquemont L, Montani D, Monnet X. Four-Month Clinical Status of a Cohort of Patients After Hospitalization for COVID-19. JAMA. 2021 Mar 17. doi: 10.1001/jama.2021.3331.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777787

Revisão sistemática que avaliou a prevalência de comorbilidades cardiovasculares prévias em indivíduos com suspeita, ou com infeção por SARS-CoV-2, bem como as caraterísticas e a frequência de complicações cardiovasculares subsequentes.

Pellicori P, Doolub G, Wong CM, Lee KS, Mangion K, Ahmad M, Berry C, Squire I, Lambiase PD, Lyon A, McConnachie A, Taylor RS, Cleland JGF. COVID‐19 and its cardiovascular effects: a systematic review of prevalence studies. Cochrane Database of Systematic Reviews 2021, Issue 3. Art. No.: CD013879. DOI: 10.1002/14651858.CD013879.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD013879/full

Estudo de seroprevalência de anticorpos IgG antinucleocápside e antiproteína spike em profissionais de saúde do Reino Unido com infeção prévia pelo SARS-CoV-2. Determinações ao longo de 6 meses demonstram que os títulos de IgG antinucleocápside se reduzem a metade em 85 dias, mais rapidamente em adultos jovens e após infeção assintomática, enquanto os títulos de IgG antiproteína spike se mantém elevados aos 6 meses na maioria dos indivíduos.

Lumley SF, Wei J, O'Donnell D, Stoesser NE, Matthews PC, Howarth A, et al; Oxford University Hospitals Staff Testing Group. The duration, dynamics and determinants of SARS-CoV-2 antibody responses in individual healthcare workers. Clin Infect Dis. 2021 Jan 6:ciab004. doi: 10.1093/cid/ciab004.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab004/6064824

Revisão dos efeitos hepáticos da COVID-19, bem como do seu curso em indivíduos com doença hepática crónica pré-existente.

Marjot T, Webb GJ, Barritt AS 4th, Moon AM, Stamataki Z, Wong VW, Barnes E. COVID-19 and liver disease: mechanistic and clinical perspectives. Nat Rev Gastroenterol Hepatol. 2021 Mar 10:1–17. doi: 10.1038/s41575-021-00426-4.

https://www.nature.com/articles/s41575-021-00426-4.pdf

Documento elaborado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) acerca das considerações de saúde pública a ter em conta pelas autoridades dos estados-membros da União Europeia ao incorporarem a utilização de autotestes para o SARS-CoV-2 na estratégia nacional de testagem.

European Centre for Disease Prevention and Control. Considerations on the use of self-tests for COVID-19 in the EU/EEA – 17 March 2021. ECDC: Stockholm; 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Considerations-for-the-use-of-self-tests-for-COVID-19-in-the-EU-EEA.pdf

Perspetivas sobre as possíveis caraterísticas futuras da infeção pelo vírus SARS-CoV-2, em consequência da implementação de programas de vacinação e dos desafios em atingir a imunidade de grupo.

Murray CJL, Piot P. The Potential Future of the COVID-19 Pandemic: Will SARS-CoV-2 Become a Recurrent Seasonal Infection? JAMA. 2021 Mar 3. doi: 10.1001/jama.2021.2828.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777343

Estudo que investigou a existência de diferenças na mortalidade por COVID-19 após o surgimento da nova variante VOC 202012/01 (B.1.1.7) no Reino Unido. Foram comparadas duas coortes de indivíduos com teste PCR positivo para o vírus SARS-CoV-2, com ou sem a mutação de interesse. O estudo concluiu que a taxa de risco de mortalidade associada à nova variante foi 1,64 (intervalo de confiança 95% 1,32-2,04) comparativamente às variantes previamente circulantes.

Challen R, Brooks-Pollock E, Read JM, Dyson L, Tsaneva-Atanasova K, Danon L. Risk of mortality in patients infected with SARS-CoV-2 variant of concern 202012/1: matched cohort study. BMJ. 2021 Mar 9; 372: n579. doi: 10.1136/bmj.n579.

https://www.bmj.com/content/bmj/372/bmj.n579.full.pdf

Revisão da fisiopatologia e do tratamento da pneumonia grave associada à COVID-19, das complicações após doença aguda, bem como de intervenções destinadas à recuperação do internamento em cuidados intensivos.

Attaway AH, Scheraga RG, Bhimraj A, Biehl M, Hatipoğlu U. Severe covid-19 pneumonia: pathogenesis and clinical management. BMJ. 2021 Mar 10; 372: n436. doi: 10.1136/bmj.n436.

https://www.bmj.com/content/bmj/372/bmj.n436.full.pdf

Caraterísticas da variante do vírus SARS-CoV-2 B.1.1.7, originária do Reino Unido, também denominada VOC 202012/01. Estimativa da sua transmissibilidade e do seu possível impacto no aumento do número de casos de COVID-19.

Davies NG, Abbott S, Barnard RC, Jarvis CI, Kucharski AJ, Munday JD, Pearson CAB, Russell TW, Tully DC, Washburne AD, Wenseleers T, Gimma A, Waites W, Wong KLM, van Zandvoort K, Silverman JD; CMMID COVID-19 Working Group; COVID-19 Genomics UK (COG-UK) Consortium, Diaz-Ordaz K, Keogh R, Eggo RM, Funk S, Jit M, Atkins KE, Edmunds WJ. Estimated transmissibility and impact of SARS-CoV-2 lineage B.1.1.7 in England. Science. 2021 Mar 3: eabg3055. doi: 10.1126/science.abg3055.

https://science.sciencemag.org/content/early/2021/03/03/science.abg3055/tab-pdf

Maior risco de mortalidade em indivíduos com COVID-19 e diagnóstico prévio de transtorno do espetro da esquizofrenia.

Nemani K, Li C, Olfson M, Blessing EM, Razavian N, Chen J, Petkova E, Goff DC. Association of Psychiatric Disorders With Mortality Among Patients With COVID-19. JAMA Psychiatry. 2021 Jan 27:e204442. doi: 10.1001/jamapsychiatry.2020.4442.

https://jamanetwork.com/journals/jamapsychiatry/fullarticle/2775179

Revisão sistemática com meta-análise, que compara a sensibilidade e especificidade de testes moleculares de amplificação de ácidos nucleicos efetuados em colheita nasofaríngea ou em saliva. Os resultados sugerem que ambas as amostras proporcionam resultados com exatidão semelhante e os autores recomendam a realização de estudos confirmatórios de larga escala.

Butler-Laporte G, Lawandi A, Schiller I, Yao M, Dendukuri N, McDonald EG, Lee TC. Comparison of Saliva and Nasopharyngeal Swab Nucleic Acid Amplification Testing for Detection of SARS-CoV-2: A Systematic Review and Meta-analysis. JAMA Intern Med. 2021 Mar 1;181(3):353-360. doi: 10.1001/jamainternmed.2020.8876. Erratum in: doi: 10.1001/jamainternmed.2021.0245.

https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/2775397

Documento que compila a evidência atual relativamente à fisiopatologia, diagnóstico, tratamento e seguimento da COVID-19, com uma estrutura sistematizada, destinada a facilitar a utilização em contexto clínico (point of care).

BMJ Best Practice. Coronavirus disease 2019 (COVID-19). Last updated: Mar 04, 2021.

https://bestpractice.bmj.com/topics/en-gb/3000201/pdf/3000201/Coronavirus%20disease%202019%20%28COVID-19%29.pdf

A farmácia comunitária como elemento indispensável da resposta à COVID-19.

Delgutte A, Santos D. Community pharmacy has been an indispensable element of the covid-19 response. The BMJ Opinion 21 fev 2021.

https://blogs.bmj.com/bmj/2021/02/21/community-pharmacy-has-been-an-indispensable-element-of-the-covid-19-response

Revisão da prevalência dos sintomas da COVID-19 nos vários sistemas e seu potencial para desencadear síndromes pós-virais.

Walitt B, Bartrum E. A clinical primer for the expected and potential post-COVID-19 syndromes. Pain Rep. 2021 Feb 16; 6(1): e887. doi: 10.1097/PR9.0000000000000887.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7889402/pdf/painreports-6-e887.pdf

Identificação dos principais fatores associados e das diferenças entre países na taxa de mortalidade de doentes hospitalizados por COVID-19. A taxa de mortalidade foi superior nos países europeus e nos EUA comparativamente aos países asiáticos e a diabetes foi o principal fator associado a maior taxa de mortalidade, seguido pela doença pulmonar obstrutiva crónica e doenças oncológicas.

Corona G, Pizzocaro A, Vena W, Rastrelli G, Semeraro F, Isidori AM, Pivonello R, Salonia A, Sforza A, Maggi M. Diabetes is most important cause for mortality in COVID-19 hospitalized patients: Systematic review and meta-analysis. Rev Endocr Metab Disord. 2021 Feb 22. doi: 10.1007/s11154-021-09630-8.

https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11154-021-09630-8


Revisão sistemática com meta-análise que avaliou as taxas de transmissibilidade do SARS-CoV-2 em diferentes contextos – domicílios, escolas, locais de trabalho, instituições de saúde e em contexto social. Avaliou a taxa de ataque secundária e o número de reprodução observado e suas diferenças consoante a idade do caso índice e dos contactos, duração da exposição do agregado familiar ao caso índice, dimensão do agregado familiar e sintomas do caso índice. Conclui que a exposição em contexto familiar aumenta o potencial de transmissão, bem como a presença de sintomas.

Thompson HA, Mousa A, Dighe A, Fu H, Arnedo-Pena A, Barrett P, et al. SARS-CoV-2 setting-specific transmission rates: a systematic review and meta-analysis. Clin Infect Dis. 2021 Feb 9:ciab100. doi: 10.1093/cid/ciab100. Epub ahead of print. PMID: 33560412.


https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab100/6131730

Estimativa da proporção de indivíduos infetados por SARS-CoV-2 que permanecem assintomáticos

Oran DP, Topol EJ. The Proportion of SARS-CoV-2 Infections That Are Asymptomatic: A Systematic Review.
Ann Intern Med. 2021 Jan 22:M20-6976. doi: 10.7326/M20-6976.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7839426/pdf/aim-olf-M206976.pdf 

Descrição das novas variantes do SARS-CoV-2 e dos seus possíveis riscos

Lauring AS, Hodcroft EB. Genetic Variants of SARS-CoV-2-What Do They Mean? JAMA. 2021 Jan 6. doi: 10.1001/jama.2020.27124.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2775006 

TRATAMENTOS

 

Ensaio aleatorizado, controlado e com dupla ocultação, que avaliou a eficácia e segurança da administração precoce de anacinra em indivíduos hospitalizados por COVID-19 moderada a grave e com risco aumentado de progressão para falha respiratória, identificados pelo aumento precoce dos níveis séricos de um biomarcador (soluble urokinase plasminogen activator receptor - suPAR). A sua administração mostrou reduzir significativamente o risco de resultados clínicos adversos num intervalo de 28 dias.

Kyriazopoulou E, Poulakou G, Milionis H, Metallidis S, Adamis G, Tsiakos K, et al. Early treatment of COVID-19 with anakinra guided by soluble urokinase plasminogen receptor plasma levels: a double-blind, randomized controlled phase 3 trial. Nat Med. 2021 Sep 3. doi: 10.1038/s41591-021-01499-z.

https://www.nature.com/articles/s41591-021-01499-z.pdf

Revisão sistemática, com o objetivo de avaliar a efetividade e segurança dos anticorpos monoclonais neutralizantes do SARS-CoV-2 no tratamento da COVID-19. Foram localizados apenas seis estudos, pelo que a evidência atual é insuficiente para conclusões significativas acerca do interesse terapêutico destes anticorpos monoclonais

Kreuzberger N, Hirsch C, Chai KL, Tomlinson E, Khosravi Z, Popp M, et al. SARS-CoV-2-neutralising monoclonal antibodies for treatment of COVID-19. Cochrane Database Syst Rev. 2021 Sep 2; 9(9): CD013825. doi: 10.1002/14651858.CD013825.pub2.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD013825.pub2/epdf/standard

Ensaio aleatorizado de fase 3, com dupla ocultação e controlado por placebo, que avaliou a eficácia e segurança do baricitinib no tratamento da COVID-19 em adultos hospitalizados. Quando adicionado ao tratamento padrão, o baricitinib não mostrou reduzir significativamente a frequência de progressão da doença, mas esteve associado a redução da mortalidade até um período de 60 dias.

Marconi VC, Ramanan AV, de Bono S, Kartman CE, Krishnan V, Liao R, et al; COV-BARRIER Study Group. Efficacy and safety of baricitinib for the treatment of hospitalised adults with COVID-19 (COV-BARRIER): a randomised, double-blind, parallel-group, placebo-controlled phase 3 trial. Lancet Respir Med. 2021 Aug 31: S2213-2600(21)00331-3. doi: 10.1016/S2213-2600(21)00331-3.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900331-3

Ensaio controlado e sem ocultação, em plataforma adaptativa, que investigou o uso da doxiciclina em indivíduos com suspeita de COVID-19, tratados em ambulatório e com comorbilidades que os colocavam em elevado risco de resultados adversos. A sua administração não esteve associada a reduções clinicamente significativas no tempo de recuperação, internamento ou morte relacionada com COVID-19.

Butler CC, Yu LM, Dorward J, Gbinigie O, Hayward G, Saville BR, et al; PRINCIPLE Trial Collaborative Group. Doxycycline for community treatment of suspected COVID-19 in people at high risk of adverse outcomes in the UK (PRINCIPLE): a randomised, controlled, open-label, adaptive platform trial. Lancet Respir Med. 2021 Sep; 9(9): 1010-1020. doi: 10.1016/S2213-2600(21)00310-6.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900310-6

Avaliação da eficácia e segurança do favipiravir em indivíduos com pneumonia por SARS-CoV-2 de gravidade moderada, sem necessidade de oxigenoterapia, por meio de um ensaio alaetorizado, com ocultação simples e controlado por placebo. A sua administração esteve associada a uma melhoria no tempo para recuperação, mas também a uma incidência significativamente superior de efeitos adversos.

Shinkai M, Tsushima K, Tanaka S, Hagiwara E, Tarumoto N, Kawada I, et al. Efficacy and Safety of Favipiravir in Moderate COVID-19 Pneumonia Patients without Oxygen Therapy: A Randomized, Phase III Clinical Trial. Infect Dis Ther. 2021 Aug 27: 1–21. doi: 10.1007/s40121-021-00517-4.

https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s40121-021-00517-4.pdf

Investigação do efeito da administração de bamlanivimab sobre a taxa de hospitalização de indivíduos com COVID-19 de gravidade ligeira a moderada, tratados em ambulatório. Em doentes de alto risco, o tratamento com bamlanivimab resultou numa redução estatisticamente significativa na taxa de hospitalização, admissão em cuidados intensivos e mortalidade comparativamente ao tratamento padrão.

Ganesh R, Pawlowski CF, O'Horo JC, Arndt LL, Arndt RF, Bell S, et al. Intravenous bamlanivimab use associates with reduced hospitalization in high-risk patients with mild to moderate COVID-19. J Clin Invest. 2021 Aug 19: 151697. doi: 10.1172/JCI151697.

https://www.jci.org/articles/view/151697/pdf

Ensaio aleatorizado, multicêntrico e com ocultação simples, que avaliou o efeito da administração de plasma convalescente com elevado título de anticorpos na progressão da COVID-19 em indivíduos de alto risco com doença aguda. A administração de uma unidade de plasma convalescente no intervalo de uma semana após o início dos sintomas não mostrou prevenir a progressão da doença

Korley FK, Durkalski-Mauldin V, Yeatts SD, Schulman K, Davenport RD, Dumont LJ, et al; SIREN-C3PO Investigators. Early Convalescent Plasma for High-Risk Outpatients with Covid-19. N Engl J Med. 2021 Aug 18. doi: 10.1056/NEJMoa2103784.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2103784?articleTools=true

Ensaio multicêntrico aleatorizado, controlado, aberto e de plataforma adaptativa, realizado com o objetivo de estabelecer os efeitos da budesonida inalada em pessoas com COVID-19 em ambulatório com alto risco de complicações. A budesonida inalada melhorou o tempo de recuperação, com possibilidade de reduzir também as admissões hospitalares ou mortes, se bem os resultados do estudo não tenham atingido o limite de superioridade.

Yu LM, Bafadhel M, Dorward J, Hayward G, Saville BR, Gbinigie O, et al; PRINCIPLE Trial Collaborative Group. Inhaled budesonide for COVID-19 in people at high risk of complications in the community in the UK (PRINCIPLE): a randomised, controlled, open-label, adaptive platform trial. Lancet. 2021 Aug 10: S0140-6736(21)01744-X. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01744-X. Erratum in: Lancet. 2021 Aug 18.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901744-X

Ensaio clínico multicêntrico, aleatorizado, com dupla ocultação e controlado por placebo destinado a avaliar a eficácia do losartan em indivíduos com COVID-19 leve, tratados em ambulatório. A sua administração durante 10 dias não reduziu as hospitalizações, embora a avaliação tenha sido limitada pela baixa taxa de eventos. O tratamento não melhorou o estado funcional e/ou afetou a carga viral.

Puskarich MA, Cummins NW, Ingraham NE, Wacker DA, Reilkoff RA, Driver BE, Biros MH, Bellolio F, Chipman JG, Nelson AC, Beckman K, Langlois R, Bold T, Aliota MT, Schacker TW, Voelker HT, Murray TA, Koopmeiners JS, Tignanelli CJ. A multi-center phase II randomized clinical trial of losartan on symptomatic outpatients with COVID-19. EClinicalMedicine. 2021 Jun 17; 37: 100957. doi: 10.1016/j.eclinm.2021.100957.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8225661/pdf/main.pdf

Avaliação da eficácia e segurança dos corticosteroides sistêmicos no tratamento da COVID-19, através de uma revisão sistemática dinâmica. Conclui que os corticosteroides são tratamentos provavelmente eficazes para pessoas hospitalizadas com COVID-19. Não se conhece se causam efeitos indesejáveis, nem qual é o corticosteroide sistêmico mais eficaz. Não há estudos em populações com infeção assintomática ou doença leve (não hospitalizados).

Wagner C, Griesel M, Mikolajewska A, Mueller A, Nothacker M, Kley K, Metzendorf MI, Fischer AL, Kopp M, Stegemann M, Skoetz N, Fichtner F. Systemic corticosteroids for the treatment of COVID-19. Cochrane Database Syst Rev. 2021 Aug 16;8:CD014963. doi: 10.1002/14651858.CD014963.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD014963/full?highlightAbstract=covid

Revisão sistemática dinâmica que avalia os efeitos do remdesivir comparativamente ao placebo, ou a tratamento padrão sozinho, nos resultados clínicos em doentes hospitalizados com COVID-19. Com base nas evidências disponíveis, o remdesivir provavelmente tem pouco ou nenhum efeito na mortalidade por todas as causas até 28 dias em adultos hospitalizados. Não há certeza sobre os seus efeitos nos resultados clínicos.

Ansems K, Grundeis F, Dahms K, Mikolajewska A, Thieme V, Piechotta V, Metzendorf MI, Stegemann M, Benstoem C, Fichtner F. Remdesivir for the treatment of COVID-19. Cochrane Database Syst Rev. 2021 Aug 5; 8: CD014962. doi: 10.1002/14651858.CD014962.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD014962/full

Revisão sistemática com meta-análise dos estudos com informação sobre o uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINE) e resultados da COVID-19. O uso de AINE não se associou a risco aumentado de contrair COVID-19 ou de desenvolver uma doença COVID-19 mais grave.

Moore N, Bosco-Levy P, Thurin N, Blin P, Droz-Perroteau C. NSAIDs and COVID-19: A Systematic Review and Meta-analysis. Drug Saf. 2021 Aug 2:1-10. doi: 10.1007/s40264-021-01089-5. 

https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s40264-021-01089-5.pdf

Ensaio aleatorizado, com dupla ocultação e controlado por placebo, que investigou a administração de uma dose única da associação bamlanivimab/etesevimab a indivíduos com COVID-19 leve ou moderada, tratados em ambulatório, que apresentavam alto risco de progressão para doença grave. A administração dos anticorpos monoclonais conduziu a uma menor incidência de hospitalização e morte por COVID-19 comparativamente ao placebo e acelerou o declínio da carga viral.

Dougan M, Nirula A, Azizad M, Mocherla B, Gottlieb RL, Chen P, et al; BLAZE-1 Investigators. Bamlanivimab plus Etesevimab in Mild or Moderate Covid-19. N Engl J Med. 2021 Jul 14. doi: 10.1056/NEJMoa2102685.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2102685?articleTools=true 

Revisão sistemática que avaliou a eficácia e segurança da ivermectina no tratamento em ambulatório ou hospital, ou na profilaxia pós-exposição, da infeção por SARS-CoV-2. A evidência existente até à data é incerta quanto ao benefício e segurança desta intervenção, pelo que apenas se recomenda o seu uso no âmbito de ensaios clínicos aleatorizados adequadamente estruturados.

Popp M, Stegemann M, Metzendorf MI, Gould S, Kranke P, Meybohm P, Skoetz N, Weibel S. Ivermectin for preventing and treating COVID-19. Cochrane Database Syst Rev. 2021 Jul 28; 7: CD015017. doi: 10.1002/14651858.CD015017.pub2.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD015017.pub2/epdf/standard 

Ensaio aleatorizado de fase 3, controlado por placebo e com dupla ocultação, que avaliou o efeito do canacinumab na sobrevivência sem recurso a ventilação mecânica invasiva (VMI) de indivíduos hospitalizados por COVID-19 grave. A administração de uma dose única, ajustada a intervalos de peso, não mostrou aumentar significativamente a probabilidade de sobrevivência sem VMI.

Caricchio R, Abbate A, Gordeev I, Meng J, Hsue PY, Neogi T, Arduino R, Fomina D, Bogdanov R, Stepanenko T, Ruiz-Seco P, Gónzalez-García A, Chen Y, Li Y, Whelan S, Noviello S; CAN-COVID Investigators. Effect of Canakinumab vs Placebo on Survival Without Invasive Mechanical Ventilation in Patients Hospitalized With Severe COVID-19: A Randomized Clinical Trial. JAMA. 2021 Jul 20; 326(3): 230-239. doi: 10.1001/jama.2021.9508.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2782185 

Avaliação da relação entre a toma de estatinas e resultados adversos em indivíduos com COVID-19, através de uma revisão sistemática e meta-análise. O uso prévio de estatinas não mostrou qualquer efeito protetor. Contudo, indivíduos que iniciaram a toma após o internamento, sem admissão em cuidados intensivos, apresentaram um risco de mortalidade inferior aos não tratados com estatinas.

Chow R, Im J, Chiu N, Chiu L, Aggarwal R, Lee J, Choi YG, Prsic EH, Shin HJ. The protective association between statins use and adverse outcomes among COVID-19 patients: A systematic review and meta-analysis. PLoS One. 2021 Jun 24; 16(6): e0253576. doi: 10.1371/journal.pone.0253576.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8224908/pdf/pone.0253576.pdf 

Revisão sistemática com meta-análise, realizada a partir dos dados provenientes de 4 ensaios clínicos aleatorizados destinados a avaliar a eficácia do remdesivir em adultos com COVID-19. Conclui que o remdesivir não mostrou nenhum benefício na taxa de mortalidade (evidência de qualidade moderada) quando utilizado no tratamento da COVID-19.

Singh S, Khera D, Chugh A, Khera PS, Chugh VK. Efficacy and safety of remdesivir in COVID-19 caused by SARS-CoV-2: a systematic review and meta-analysis. BMJ Open. 2021 Jun 24; 11(6): e048416. doi: 10.1136/bmjopen-2020-048416.

https://bmjopen.bmj.com/content/bmjopen/11/6/e048416.full.pdf 

Atualização das recomendações da Organização Mundial da Saúde relativas ao tratamento da COVID-19. A versão mais recente desta norma inclui uma nova recomendação a favor do uso dos bloqueadores do recetor de interleucina-6 (IL-6), tocilizumab ou sarilumab, em doentes graves ou críticos com COVID-19.

Therapeutics and COVID-19. Living guideline, World Health Organization, 6 july 2021.

https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/342368/WHO-2019-nCoV-therapeutics-2021.2-eng.pdf

Ensaio aleatorizado, controlado por placebo, que investigou o efeito da administração da azitromicina nos sintomas auto reportados aos 14 dias, em indivíduos com infeção por SARS-CoV-2 tratados em ambulatório. A administração de uma toma única de 1,2 g não resultou em maior probabilidade de estar assintomático após 14 dias.

Oldenburg CE, Pinsky BA, Brogdon J, Chen C, Ruder K, Zhong L, Nyatigo F, Cook CA, Hinterwirth A, Lebas E, Redd T, Porco TC, Lietman TM, Arnold BF, Doan T. Effect of Oral Azithromycin vs Placebo on COVID-19 Symptoms in Outpatients With SARS-CoV-2 Infection: A Randomized Clinical Trial. JAMA. 2021 Jul 16. doi: 10.1001/jama.2021.11517.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2782166 

Ensaio aleatorizado, com dupla ocultação e controlado por placebo, que investigou o efeito da ivermectina na prevenção de hospitalizações quando administrada no início da infeção por SARS-CoV-2. A sua administração durante 2 dias, numa dose ajustada a intervalos de peso, não mostrou efeito significativo na prevenção de hospitalizações.

Vallejos J, Zoni R, Bangher M, Villamandos S, Bobadilla A, Plano F, et al. Ivermectin to prevent hospitalizations in patients with COVID-19 (IVERCOR-COVID19) a randomized, double-blind, placebo-controlled trial. BMC Infect Dis. 2021 Jul 2; 21(1): 635. doi: 10.1186/s12879-021-06348-5. 

https://bmcinfectdis.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s12879-021-06348-5.pdf

Ensaio internacional, em plataforma adaptativa, que investigou o efeito do lopinavir-ritonavir, da hidroxicloroquina e da sua associação em doentes críticos com COVID-19, avaliando o número de dias sem suporte orgânico. Todas as intervenções estiveram associadas a piores resultados comparativamente à não administração de terapêutica antiviral.

Arabi YM, Gordon AC, Derde LPG, Nichol AD, Murthy S, Beidh FA, et al; REMAP-CAP Investigators. Lopinavir-ritonavir and hydroxychloroquine for critically ill patients with COVID-19: REMAP-CAP randomized controlled trial. Intensive Care Med. 2021 Jul 12. doi: 10.1007/s00134-021-06448-5. 
arienti JJ, Prazuck T, Peyro-Saint-Paul L, Fournier A, Valentin C, Brucato S, et al. Effect of Tenofovir Disoproxil Fumarate and Emtricitabine on nasopharyngeal SARS-CoV-2 viral load burden amongst outpatients with COVID-19: A pilot, randomized, open-label phase 2 trial. EClinicalMedicine. 2021 Jun 27: 100993. doi: 10.1016/j.eclinm.2021.100993.

https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s00134-021-06448-5.pdf

Avaliação retrospetiva e observacional do efeito do tocilizumab, corticosteroides, ou da sua associação sobre a mortalidade aos 28 dias de indivíduos hospitalizados por insuficiência respiratória devida a COVID-19. A associação de doses baixas de tocilizumab e doses moderadas de corticosteroides demonstrou benefício na mortalidade de doentes com hipoxia grave comparativamente aos corticosteroides em monoterapia.

Brosnahan SB, Chen XJC, Chung J, Altshuler D, Islam S, Thomas SV, et al. Low-Dose Tocilizumab With High-Dose Corticosteroids in Patients Hospitalized for COVID-19 Hypoxic Respiratory Failure Improves Mortality Without Increased Infection Risk. Ann Pharmacother. 2021 Jun 28:10600280211028882. doi: 10.1177/10600280211028882.

https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/10600280211028882

Estudo piloto aleatorizado e controlado, sem ocultação, que avaliou o efeito da toma da associação tenofovir disoproxil fumarato e emtricitabina na carga viral nasofaríngea de SARS-CoV-2 de indivíduos co COVID-19 tratados em ambulatório. Após 7 dias de administração, os indivíduos tratados com a associação apresentaram uma carga viral significativamente inferior aos tratados com o tratamento padrão.

Parienti JJ, Prazuck T, Peyro-Saint-Paul L, Fournier A, Valentin C, Brucato S, et al. Effect of Tenofovir Disoproxil Fumarate and Emtricitabine on nasopharyngeal SARS-CoV-2 viral load burden amongst outpatients with COVID-19: A pilot, randomized, open-label phase 2 trial. EClinicalMedicine. 2021 Jun 27: 100993. doi: 10.1016/j.eclinm.2021.100993.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2589-5370%2821%2900273-X

Estudo de coortes, com o objetivo de caraterizar a tendência do tratamento anticoagulante, como profilaxia de tromboembolismo venoso, em adultos hospitalizados por COVID-19. Conclui que existe uma boa implementação desta estratégia, com resultados mais favoráveis com a administração de doses profiláticas comparativamente a doses de tratamento.

Vaughn VM, Yost M, Abshire C, Flanders SA, Paje D, Grant P, Kaatz S, Kim T, Barnes GD. Trends in Venous Thromboembolism Anticoagulation in Patients Hospitalized With COVID-19. JAMA Netw Open. 2021 Jun 1; 4(6): e2111788. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2021.11788.

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2780927

Revisão sistemática e meta-análise de ensaios aleatorizados que avaliou a eficácia e segurança da ivermectina no tratamento da COVID-19. Em indivíduos com doença ligeira, que constituíam a maioria da população incluída nos estudos, a ivermectina não mostrou reduzir a mortalidade por todas as causas, a duração de hospitalização ou a eliminação do vírus.

Roman YM, Burela PA, Pasupuleti V, Piscoya A, Vidal JE, Hernandez AV. Ivermectin for the treatment of COVID-19: A systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Clin Infect Dis. 2021 Jun 28: ciab591. doi: 10.1093/cid/ciab591.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab591/6310839

Meta-análise prospetiva de ensaios aleatorizados, efetuada por um grupo de trabalho da Organização Mundial da Saúde, que avaliou a associação entre a administração de antagonistas da interleucina-6 e mortalidade em indivíduos hospitalizados por COVID-19. Comparativamente ao tratamento padrão, esta abordagem esteve associada a uma menor mortalidade por todas as causas num intervalo de 28 dias.

WHO Rapid Evidence Appraisal for COVID-19 Therapies (REACT) Working Group, Shankar-Hari M, Vale CL, Godolphin PJ, Fisher D, Higgins JPT, Spiga F, et al. Association Between Administration of IL-6 Antagonists and Mortality Among Patients Hospitalized for COVID-19: A Meta-analysis. JAMA. 2021 Jul 6. doi: 10.1001/jama.2021.11330.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2781880

Neste ensaio clínico aleatorizado, duplo-cego, controlado por placebo, o imatinib não reduziu o tempo para a interrupção da ventilação e do oxigénio suplementar por mais de 48 horas consecutivas em doentes com COVID-19 que necessitaram de oxigénio suplementar. Os efeitos observados na sobrevivência e a duração da ventilação mecânica sugerem que poderia ter benefício clínico em doentes hospitalizados com COVID-19, mas tal deverá ser confirmado em novos estudos.

Aman J, Duijvelaar E, Botros L, Kianzad A, Schippers JR, Smeele PJ, et al. Imatinib in patients with severe COVID-19: a randomised, double-blind, placebo-controlled, clinical trial. Lancet Respir Med. 2021 Jun 17: S2213-2600(21)00237-X. doi: 10.1016/S2213-2600(21)00237-X.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900237-X

O estudo proporciona dados do mundo real sobre o tratamento com anticorpos monoclonais neutralizantes na infeção por COVID-19 leve a moderada. Quando aplicado usando critérios pré-especificados, foi eficaz na redução de hospitalizações e pode reduzir a utilização de recursos hospitalares.

Verderese JP, Stepanova M, Lam B, Racila A, Kolacevski A, Allen D, et al. Neutralizing Monoclonal Antibody Treatment Reduces Hospitalization for Mild and Moderate COVID-19: A Real-World Experience. Clin Infect Dis. 2021 Jun 24: ciab579. doi: 10.1093/cid/ciab579.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab579/6309036

Revisão sistemática realizada para avaliar o efeito combinado de lopinavir-ritonavir na mortalidade, cura virológica, melhora radiológica e perfil de segurança em doentes com COVID-19. Concluiu que não há benefício na adição de lopinavir-ritonavir ao tratamento padrão.

Patel TK, Patel PB, Barvaliya M, Saurabh MK, Bhalla HL, Khosla PP. Efficacy and safety of lopinavir-ritonavir in COVID-19: A systematic review of randomized controlled trials. J Infect Public Health. 2021 Jun; 14(6): 740-748. doi: 10.1016/j.jiph.2021.03.015. Epub 2021 Apr 20.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8056786/pdf/main.pdf

Ensaio multicêntrico, aleatorizado, com dupla ocultação e controlado por placebo que investigou a eficácia e segurança do tofacitinib em indivíduos hospitalizados com pneumonia por COVID-19, não ventilados. Comparativamente ao placebo, o tofacitinib esteve associado a menor risco de morte e insuficiência respiratória ao longo de um intervalo de 28 dias.

Guimarães PO, Quirk D, Furtado RH, Maia LN, Saraiva JF, Antunes MO, et al; STOP-COVID Trial Investigators. Tofacitinib in Patients Hospitalized with Covid-19 Pneumonia. N Engl J Med. 2021 Jun 16. doi: 10.1056/NEJMoa2101643.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2101643?articleTools=true

Revisão sistemática com meta-análise que avaliou a eficácia e segurança do uso da azitromicina em indivíduos com COVID-19. Concluiu que a azitromicina não evidenciou benefício clínico, não devendo ser utilizada de modo rotineiro, pelo potencial aumento do risco resistências bacterianas.

Kamel AM, Monem MSA, Sharaf NA, Magdy N, Farid SF. Efficacy and safety of azithromycin in Covid-19 patients: A systematic review and meta-analysis of randomized clinical trials. Rev Med Virol. 2021 Jun 2: e2258. doi: 10.1002/rmv.2258. 

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/rmv.2258

Ensaio multicêntrico, aleatorizado, controlado e sem ocultação que comparou a eficácia e segurança da anticoagulação terapêutica vs. profilática em indivíduos hospitalizados por COVID-19 e com elevação do D-dímero, analisando a duração de internamento, tempo para morte ou duração de oxigenoterapia, bem como a ocorrência de hemorragia clinicamente relevante. A anticoagulação terapêutica não demonstrou benefício clínico e aumentou o risco hemorrágico.

Lopes RD, de Barros E Silva PGM, Furtado RHM, Macedo AVS, Bronhara B, et al; ACTION Coalition COVID-19 Brazil IV Investigators. Therapeutic versus prophylactic anticoagulation for patients admitted to hospital with COVID-19 and elevated D-dimer concentration (ACTION): an open-label, multicentre, randomised, controlled trial. Lancet. 2021 Jun 12;397(10291):2253-2263. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01203-4.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901203-4

Perspetiva sobre as abordagens atuais do tratamento ambulatório da COVID-19 e a necessidade premente de opções terapêuticas que permitam evitar a progressão para doença grave.

Cohen MS, Wohl DA, Fischer WA, Smith DJ, Eron JJ. Outpatient Treatment of SARS-CoV-2 Infection to Prevent COVID-19 Progression. Clin Infect Dis. 2021 May 28: ciab494. doi: 10.1093/cid/ciab494.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab494/6287650

Revisão do estado da arte das abordagens terapêuticas da COVID-19, com referência a fármacos antivirais, imunomoduladores, anticoagulantes, entre outros. São ainda mencionadas as vacinas atualmente em utilização, ou em desenvolvimento clínico avançado. 

Scavone C, Mascolo A, Rafaniello C, Sportiello L, Trama U, Zoccoli A, et al. Therapeutic strategies to fight COVID-19: Which is the status artis? Br J Pharmacol. 2021 May 7. doi: 10.1111/bph.15452.

https://bpspubs.onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/bph.15452

Ensaio adaptativo, multicêntrico e aleatorizado, com dupla ocultação, que avaliou o efeito da colquicina no risco de internamento hospitalar ou morte por COVID-19. Entre os indivíduos com teste PCR positivo, tratados em ambulatório, a colquicina esteve associada a uma taxa inferior de morte e hospitalização comparativamente ao placebo. 

Tardif JC, Bouabdallaoui N, L'Allier PL, Gaudet D, Shah B, Pillinger MH, et al; COLCORONA Investigators. Colchicine for community-treated patients with COVID-19 (COLCORONA): a phase 3, randomised, double-blinded, adaptive, placebo-controlled, multicentre trial. Lancet Respir Med. 2021 May 27: S2213-2600(21)00222-8.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900222-8


O papel da suplementação de vitamina D como tratamento para COVID-19 tem sido um assunto de considerável discussão. Esta revisão sistemática dinâmica conclui que, atualmente, não há evidências suficientes para determinar os benefícios e riscos da suplementação de vitamina D como tratamento da COVID-19.

Stroehlein JK, Wallqvist J, Iannizzi C, Mikolajewska A, Metzendorf MI, Benstoem C, et al. Vitamin D supplementation for the treatment of COVID-19: a living systematic review. Cochrane Database Syst Rev. 2021 May 24; 5: CD015043. doi: 10.1002/14651858.CD015043.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD015043/epdf/full 

Meta-análise que investigou a eficácia e segurança de anacinra em doentes adultos com COVID-19. Os dados disponíveis sugerem que, em indivíduos que foram internados, mas não intubados à admissão, o tratamento com anacinra reduz a necessidade de ventilação mecânica invasiva e o risco de mortalidade, sem aumentar o risco de eventos adversos.

Barkas F, Ntekouan SF, Kosmidou M, Liberopoulos E, Liontos A, Milionis H. Anakinra in hospitalized non-intubated patients with coronavirus disease 2019: a systematic review and meta-analysis. Rheumatology (Oxford). 2021 May 17: keab447. doi: 10.1093/rheumatology/keab447.

https://academic.oup.com/rheumatology/advance-article/doi/10.1093/rheumatology/keab447/6276997 

Revisão sistemática dinâmica que investigou a eficácia e segurança do plasma convalescente e da imunoglobulina hiperimune no tratamento da COVID-19. Concluiu, com elevado grau de certeza, que a utilização de plasma convalescente em indivíduos com COVID-19 moderada a grave não reduz a mortalidade e tem um impacto ligeiro a nulo em parâmetros de melhoria clínica.

Piechotta V, Iannizzi C, Chai KL, Valk SJ, Kimber C, Dorando E, et al. Convalescent plasma or hyperimmune immunoglobulin for people with COVID-19: a living systematic review. Cochrane Database Syst Rev. 2021 May 20; 5(5): CD013600. doi: 10.1002/14651858.CD013600.pub4.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD013600.pub4/epdf/full 

Ensaio clínico em plataforma, aleatorizado, controlado e sem ocultação, que investiga vários tratamentos em doentes hospitalizados com COVID-19 no Reino Unido. O plasma convalescente não melhorou a sobrevida ou outros desfechos clínicos pré-definidos.

RECOVERY Collaborative Group. Convalescent plasma in patients admitted to hospital with COVID-19 (RECOVERY): a randomised controlled, open-label, platform trial. Lancet. 2021 May 14: S0140-6736(21)00897-7. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00897-7.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900897-7 

Resumo do ponto da situação da terapêutica farmacológica da COVID-19, com indicação dos principais ensaios clínicos a decorrer, de quais os fármacos que demonstraram benefício e dos que se revelaram ineficazes, bem como das principais lacunas na abordagem terapêutica que requerem investigação adicional.

Baraniuk C. Where are we with drug treatments for covid-19? BMJ. 2021 May 7;373:n1109. doi: 10.1136/bmj.n1109.

https://www.bmj.com/content/bmj/373/bmj.n1109.full.pdf 

Estudo que avaliou o efeito da toma de ácido acetilsalicílico (AAS) e anti-inflamatórios não esteroides (AINE) no risco de enfarte do miocárdio, acidente cerebrovascular e tromboembolismo venoso em indivíduos com COVID-19. Concluiu que nem o AAS, nem os AINE preveniram o tromboembolismo ou afetaram a mortalidade por COVID-19.

Sahai A, Bhandari R, Godwin M, McIntyre T, Chung MK, Iskandar JP, Kamran H, Hariri E, Aggarwal A, Burton R, Kalra A, Bartholomew JR, McCrae KR, Elbadawi A, Bena J, Svensson LG, Kapadia S, Cameron SJ. Effect of aspirin on short-term outcomes in hospitalized patients with COVID-19. Vasc Med. 2021 May 19: 1358863X211012754. doi: 10.1177/1358863X211012754.

https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/1358863X211012754 

Ensaio clínico em plataforma, alaetorizado, controlado e sem ocultação, que investigou a utilização do tocilizumab em indivíduos hospitalizados por COVID-19, com evidência de hipoxia e inflamação sistémica. Comparativamente ao tratamento padrão, a administração de tocilizumab esteve associada a menor risco de mortalidade e melhoria de alguns resultados clínicos, independentemente do grau de suporte respiratório, e os seus benefícios foram adicionais aos dos corticosteroides sistémicos.

RECOVERY Collaborative Group. Tocilizumab in patients admitted to hospital with COVID-19 (RECOVERY): a randomised, controlled, open-label, platform trial. Lancet. 2021 May 1; 397(10285): 1637-1645. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00676-0.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900676-0 

Orientação para auxílio à decisão clínica no que diz respeito à utilização de dexametasona em indivíduos hospitalizados por COVID-19, a partir da revisão dos dados provenientes do ensaio RECOVERY.

Calzetta L, Aiello M, Frizzelli A, Rogliani P, Chetta A. Dexamethasone in Patients Hospitalized with COVID-19: Whether, When and to Whom. J Clin Med. 2021 Apr 10; 10(8): 1607. doi: 10.3390/jcm10081607.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8069656/pdf/jcm-10-01607.pdf 

Norma de orientação clínica, elaborada por organizações de doentes e sociedades científicas, destinada a auxiliar o acompanhamento de indivíduos que apresentam sinais e sintomas que se desenvolvem durante, ou após, uma infeção pelo vírus SARS-CoV-2, que persistem durante mais de 4-12 semanas e que não podem ser explicados por um diagnóstico alternativo.

Guía clínica para la atención al paciente LONG COVID/COVID persistente. Sociedad Española de Médicos Generales y de Familia (SEMG). Versión 1.0. 01/05/2021.

https://www.semg.es/images/2021/Documentos/GUIA_CLINICA_COVID_Persistent_20210501_version_final.pdf 

Perspetiva acerca da identificação e evolução das terapêuticas para tratamento da COVID-19 em indivíduos hospitalizados e do modo como este conhecimento pode servir de orientação para a investigação de tratamentos em meio ambulatório.

Paules CI, Fauci AS. COVID-19: The therapeutic landscape. Med (N Y). 2021 Apr 20. doi: 10.1016/j.medj.2021.04.015.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8057546/pdf/main.pdf 

Primeira atualização de uma revisão sistemática dinâmica que avaliou a eficácia e segurança do tratamento com tocilizumab em indivíduos hospitalizados por COVID-19. Demonstrou elevada evidência de diminuição do risco de ventilação mecânica em doentes graves e evidência moderada de diminuição do risco de resultados adversos e de infeções secundárias.

Tleyjeh IM, Kashour Z, Riaz M, Hassett L, Veiga VC, Kashour T. Efficacy and safety of tocilizumab in COVID-19 patients: A living systematic Review and meta-analysis: first update. Clin Microbiol Infect. 2021 Apr 26: S1198-743X(21)00204-4. doi: 10.1016/j.cmi.2021.04.019.

https://www.clinicalmicrobiologyandinfection.com/action/showPdf?pii=S1198-743X%2821%2900204-4 

Revisão sistemática e meta-análise que avaliou o efeito da administração de plasma convalescente sobre a mortalidade de indivíduos com COVID-19. Mostrou que, comparativamente ao tratamento padrão, o tratamento com plasma convalescente esteve associado a menor taxa de mortalidade, particularmente se administrado nos primeiros 3 dias de internamento e contendo um elevado título de anticorpos.

Klassen SA, Senefeld JW, Johnson PW, Carter RE, Wiggins CC, Shoham S, et al. The Effect of Convalescent Plasma Therapy on Mortality Among Patients With COVID-19: Systematic Review and Meta-analysis. Mayo Clin Proc. 2021 May; 96(5): 1262-1275. doi: 10.1016/j.mayocp.2021.02.008.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7888247/pdf/main.pdf 

Evidência atual acerca da coagulopatia associada à infeção pelo vírus SARS-CoV-2 e sua fisiopatologia em diferentes contextos clínicos, bem como do estado da arte da terapêutica antitrombótica em indivíduos com COVID-19.

Leentjens J, van Haaps TF, Wessels PF, Schutgens REG, Middeldorp S. COVID-19-associated coagulopathy and antithrombotic agents-lessons after 1 year. Lancet Haematol. 2021 Apr 27: S2352-3026(21)00105-8. doi: 10.1016/S2352-3026(21)00105-8.
https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2352-3026%2821%2900105-8

Análise das caraterísticas dos ensaios clínicos que investigaram o uso dos bloqueadores dos recetores da interleucina-6 no tratamento da COVID-19. Concluem que a heterogeneidade metodológica e clínica pode ter originado resultados inconsistentes, com eventuais implicações nos critérios de utilização.

Angriman F, Ferreyro BL, Burry L, Fan E, Ferguson ND, Husain S, et al. Interleukin-6 receptor blockade in patients with COVID-19: placing clinical trials into context. Lancet Respir Med. 2021 Apr 27: S2213-2600(21)00139-9. doi: 10.1016/S2213-2600(21)00139-9.
https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900139-9

Ensaio clínico aleatorizado, com dupla ocultação e controlado por placebo, que avaliou a eficácia do baricitinib em associação ao remdesivir, comparativamente ao remdesivir em monoterapia, em indivíduos hospitalizados por COVID-19. Concluiu que a associação mostrou superioridade na redução do tempo para recuperação, particularmente em indivíduos a receber oxigénio ou ventilação não invasiva.

Kalil AC, Patterson TF, Mehta AK, Tomashek KM, Wolfe CR, Ghazaryan V, et al; ACTT-2 Study Group Members. Baricitinib plus Remdesivir for Hospitalized Adults with Covid-19. N Engl J Med. 2021 Mar 4; 384(9): 795-807. doi: 10.1056/NEJMoa2031994.
https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2031994?articleTools=true

Norma dinâmica, elaborada pela European Respiratory Society, com orientações acerca do tratamento de doentes hospitalizados por COVID-19. Entre as intervenções farmacológicas recomendadas, em contextos clínicos definidos, incluem-se os corticosteroides sistémicos, os anticoagulantes e os anticorpos monoclonais antagonistas do recetor da interleucina-6.

Chalmers JD, Crichton ML, Goeminne PC, Cao B, Humbert M, Shteinberg M, Antoniou KM, Ulrik CS, Parks H, Wang C, Vandendriessche T, Qu J, Stolz D, Brightling C, Welte T, Aliberti S, Simonds AK, Tonia T, Roche N. Management of hospitalised adults with coronavirus disease 2019 (COVID-19): a European Respiratory Society living guideline. Eur Respir J. 2021 Apr 15; 57(4): 2100048. doi: 10.1183/13993003.00048-2021.
https://erj.ersjournals.com/content/erj/early/2021/03/07/13993003.00048-2021.full.pdf

Revisão da eficácia e segurança de fármacos imunomoduladores utilizados no tratamento de doenças reumatológicas e que têm vindo a ser investigados para tratamento da COVID-19 moderada a grave.

Nissen CB, Sciascia S, de Andrade D, Atsumi T, Bruce IN, Cron RQ, Hendricks O, Roccatello D, Stach K, Trunfio M, Vinet É, Schreiber K. The role of antirheumatics in patients with COVID-19. Lancet Rheumatol. 2021 Mar 30. doi: 10.1016/S2665-9913(21)00062-X.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8009617/pdf/main.pdf

Revisão da fisiopatologia, manifestações clínicas, abordagem terapêutica e vacinação contra a COVID-19 em indivíduos que vivem com HIV.

Ambrosioni J, Blanco JL, Reyes-Urueña JM, Davies M-A, Sued O, Marcos MA, et al. Overview of SARS-CoV-2 infection in adults living with HIV. Lancet HIV 2021; 8: e294–305. doi:https://doi.org/10.1016/S2352-3018(21)00070-9
https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2352-3018%2821%2900070-9

Meta-análise de ensaios aleatorizados, com objetivo de avaliar o efeito do tratamento com hidroxicloroquina ou cloroquina na sobrevivência de indivíduos com COVID-19. Concluiu que o tratamento com hidroxicloroquina esteve associado a aumento da mortalidade e que a cloroquina não demonstrou benefício.

Axfors C, Schmitt AM, Janiaud P, Van't Hooft J, Abd-Elsalam S, Abdo EF, et al. Mortality outcomes with hydroxychloroquine and chloroquine in COVID-19 from an international collaborative meta-analysis of randomized trials. Nat Commun. 2021 Apr 15; 12(1): 2349. doi: 10.1038/s41467-021-22446-z.

https://www.nature.com/articles/s41467-021-22446-z.pdf 

Recente atualização da norma britânica de tratamento da COVID-19, com incorporação de recomendações acerca do uso de corticosteroides, tocilizumab e sarilumab.

COVID-19 rapid guideline: managing COVID-19. NICE guideline [NG191]. The National Institute for Health and Care Excellence. Published date: 23 March 2021. Last updated: 08 April 2021

https://www.nice.org.uk/guidance/ng191/resources/fully-accessible-version-of-the-guideline-pdf-pdf-9078468301 

Ensaio clínico prospetivo, aleatorizado e sem ocultação, que comparou os resultados clínicos de doentes hospitalizados por COVID-19 que continuaram ou não o tratamento com inibidores do sistema renina-angiotensina. Não existiram diferenças significativas quer na gravidade da doença, quer na duração do internamento.

Cohen JB, Hanff TC, William P, Sweitzer N, Rosado-Santander NR, Medina C, et al. Continuation versus discontinuation of renin-angiotensin system inhibitors in patients admitted to hospital with COVID-19: a prospective, randomised, open-label trial. Lancet Respir Med. 2021 Mar;9(3):275-284. doi: 10.1016/S2213-2600(20)30558-0.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2820%2930558-0 

Estudo de coortes, observacional e retrospetivo, que investigou o efeito da toma de ácido acetilsalicílico (AAS) nos resultados clínicos de doentes hospitalizados por COVID-19. O uso de AAS esteve associado a menor risco de ventilação mecânica e de admissão em Unidade de Cuidados Intensivos, e a menor risco de mortalidade durante o internamento.

Chow JH, Khanna AK, Kethireddy S, Yamane D, Levine A, Jackson AM, et al. Aspirin Use Is Associated With Decreased Mechanical Ventilation, Intensive Care Unit Admission, and In-Hospital Mortality in Hospitalized Patients With Coronavirus Disease 2019. Anesth Analg. 2021 Apr 1; 132(4): 930-941. doi: 10.1213/ANE.0000000000005292.

https://journals.lww.com/anesthesia-analgesia/Fulltext/2021/04000/Aspirin_Use_Is_Associated_With_Decreased.2.aspx 

Revisão das normas e recomendações para administração de anticoagulantes no tratamento das manifestações tromboembólicas da COVID-19, bem como dos fatores de risco que podem levar à necessidade de tromboprofilaxia após alta hospitalar.

Chandra A, Chakraborty U, Ghosh S, Dasgupta S. Anticoagulation in COVID-19: current concepts and controversies. Postgrad Med J. 2021 Apr 13:postgradmedj-2021-139923. doi: 10.1136/postgradmedj-2021-139923.

https://pmj.bmj.com/content/postgradmedj/early/2021/04/12/postgradmedj-2021-139923.full.pdf 

Estudo aleatorizado e controlado, de fase 2, sem ocultação e de pequena dimensão, que avaliou o efeito da administração de budesonida por via inalatória a indivíduos com COVID-19 ligeira nos primeiros 7 dias após aparecimento dos sintomas. O seu uso reduziu a necessidade de cuidados médicos urgentes e encurtou o tempo para resolução dos sintomas.

Ramakrishnan S, Nicolau DV Jr, Langford B, Mahdi M, Jeffers H, Mwasuku C, et al. Inhaled budesonide in the treatment of early COVID-19 (STOIC): a phase 2, open-label, randomised controlled trial. Lancet Respir Med. 2021 Apr 9:S2213-2600(21)00160-0. doi: 10.1016/S2213-2600(21)00160-0.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900160-0 

Revisão sistemática e meta-análise que avaliou o impacto do tratamento com plasma convalescente nos resultados clínicos de indivíduos com COVID-19. Não foi evidenciado benefício na sobrevivência, duração de internamento, utilização de ventilação mecânica, ou noutros resultados clinicamente relevantes.

Janiaud P, Axfors C, Schmitt AM, Gloy V, Ebrahimi F, Hepprich M, Smith ER, Haber NA, Khanna N, Moher D, Goodman SN, Ioannidis JPA, Hemkens LG. Association of Convalescent Plasma Treatment With Clinical Outcomes in Patients With COVID-19: A Systematic Review and Meta-analysis. JAMA. 2021 Mar 23; 325(12): 1185-1195. doi: 10.1001/jama.2021.2747.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777060 

Revisão sistemática e meta-análise que efetuou uma análise comparativa, no que diz respeito à mortalidade e eventos adversos graves, em indivíduos com COVID-19 tratados ou não com inibidores da enzima de conversão da angiotensina (IECA) ou antagonistas dos recetores da angiotensina (ARA). A toma de IECA ou ARA não mostrou estar associada a maior risco de mortalidade ou eventos adversos graves, podendo inclusive ter efeitos protetores em indivíduos hipertensos.

Baral R, Tsampasian V, Debski M, Moran B, Garg P, Clark A, Vassiliou VS. Association Between Renin-Angiotensin-Aldosterone System Inhibitors and Clinical Outcomes in Patients With COVID-19: A Systematic Review and Meta-analysis. JAMA Netw Open. 2021 Mar 1;4(3):e213594. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2021.3594.

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2777978 

Avaliação da eficácia e segurança dos inibidores da interleucina-6 (IL-6) no tratamento da COVID-19, através de uma revisão sistemática dinâmica. Conclui que o tocilizumab mostrou reduzir a mortalidade por todas as causas aos 28 dias, e que a evidência para o sarilumab é incerta e inexistente para outros inibidores IL-6.

Ghosn L, Chaimani A, Evrenoglou T, Davidson M, Graña C, Schmucker C, et al. Interleukin-6 blocking agents for treating COVID-19: a living systematic review. Cochrane Database Syst Rev. 2021 Mar 18;3:CD013881. doi: 10.1002/14651858.CD013881.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD013881/epdf/full 

Segunda edição de uma revisão sistemática dinâmica de abordagens terapêuticas da COVID-19. Avaliou o uso de corticosteroides, remdesivir, imunoglobulina intravenosa, tocilizumab e bromexina, concluindo que existe evidência muito incerta de benefício clínico.

Juul S, Nielsen EE, Feinberg J, Siddiqui F, Jørgensen CK, Barot E, Holgersson J, Nielsen N, Bentzer P, Veroniki AA, Thabane L, Bu F, Klingenberg S, Gluud C, Jakobsen JC. Interventions for treatment of COVID-19: Second edition of a living systematic review with meta-analyses and trial sequential analyses (The LIVING Project). PLoS One. 2021 Mar 11;16(3):e0248132. doi: 10.1371/journal.pone.0248132.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7954033/pdf/pone.0248132.pdf 

Ensaio clínico de fase 3, aleatorizado, controlado por placebo e com dupla ocultação, que avaliou a segurança e eficácia do sarilumab, um inibidor do recetor da interleucina-6, em indivíduos com COVID-19 grave e crítica. O sarilumab não mostrou melhorar os resultados clínicos em casos graves de COVID-19 com necessidade de oxigénio suplementar.

Lescure FX, Honda H, Fowler RA, Lazar JS, Shi G, Wung P, Patel N, Hagino O; Sarilumab COVID-19 Global Study Group. Sarilumab in patients admitted to hospital with severe or critical COVID-19: a randomised, double-blind, placebo-controlled, phase 3 trial. Lancet Respir Med. 2021 Mar 4:S2213-2600(21)00099-0. doi: 10.1016/S2213-2600(21)00099-0.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2821%2900099-0 

Recomendações da European Alliance of Associations for Rheumatology (EULAR) sobre os aspetos a considerar, sob uma perspetiva reumatológica, da fisiopatologia da COVID-19 e na utilização de terapêuticas imunomoduladoras no seu tratamento.

Alunno A, Najm A, Machado PM, Bertheussen H, Burmester GR, Carubbi F, et al. EULAR points to consider on pathophysiology and use of immunomodulatory therapies in COVID-19. Ann Rheum Dis. 2021 Feb 5:annrheumdis-2020-219724. doi: 10.1136/annrheumdis-2020-219724

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7871226/pdf/annrheumdis-2020-219724.pdf 

Comparação dos efeitos da administração profilática de anticoagulação em doses-padrão ou em doses intermédias (ajustadas ao peso) em doentes críticos com COVID-19. A administração de doses intermédias não demonstrou benefício estatisticamente significativo no risco de tromboembolismo, tratamento com ECMO (Extracorporeal Membrane Oxygenation Treatment) ou mortalidade.

INSPIRATION Investigators, Sadeghipour P, Talasaz AH, Rashidi F, Sharif-Kashani B, Beigmohammadi MT, et al. Effect of Intermediate-Dose vs Standard-Dose Prophylactic Anticoagulation on Thrombotic Events, Extracorporeal Membrane Oxygenation Treatment, or Mortality Among Patients With COVID-19 Admitted to the Intensive Care Unit: The INSPIRATION Randomized Clinical Trial. JAMA. 2021 Mar 18. doi: 10.1001/jama.2021.4152.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777829 

Revisão sistemática e meta-análise qua avaliou a efetividade dos inibidores da interleucina anacinra, sarilumab, siltuximab e tocilizumab no tratamento da COVID-19. Conclui que, para os três primeiros, a evidência é atualmente insuficiente. Os dados relativos ao tocilizumab são heterogéneos, mas os estudos prospetivos apontam para um menor risco relativo de mortalidade.

Khan FA, Stewart I, Fabbri L, Moss S, Robinson K, Smyth AR, Jenkins G. Systematic review and meta-analysis of anakinra, sarilumab, siltuximab and tocilizumab for COVID-19. Thorax. 2021 Feb 12: thoraxjnl-2020-215266. doi: 10.1136/thoraxjnl-2020-215266.

https://thorax.bmj.com/content/thoraxjnl/early/2021/02/15/thoraxjnl-2020-215266.full.pdf 

Ensaio retrospetivo, que efetuou uma comparação do intervalo de tempo para melhoria clínica entre indivíduos hospitalizados com COVID-19 tratados, ou não, com remdesivir, bem como avaliar o efeito da administração concomitante de corticosteroides na melhoria clínica e tempo para morte. O tratamento com remdesivir esteve associado a melhoria clínica mais rápida e a associação de corticosteroides não mostrou benefício no risco de morte a 28 dias.

Garibaldi BT, Wang K, Robinson ML, Zeger SL, Bandeen-Roche K, Wang MC, Alexander GC, Gupta A, Bollinger R, Xu Y. Comparison of Time to Clinical Improvement With vs Without Remdesivir Treatment in Hospitalized Patients With COVID-19. JAMA Netw Open. 2021 Mar 1; 4(3): e213071. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2021.3071.

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2777863 

Posição oficial da Agência Europeia do Medicamento (EMA) relativa ao uso da ivermectina na prevenção e tratamento da COVID-19. A EMA conclui, após revisão da evidência recentemente publicada, que o uso da ivermectina não está recomendado quer em prevenção, quer no tratamento da COVID-19, exceto se em contexto de ensaio clínico adequadamente concebido.

EMA advises against use of ivermectin for the prevention or treatment of COVID-19 outside randomised clinical trials. European Medicines Agency, 22/03/2021.

https://www.ema.europa.eu/en/news/ema-advises-against-use-ivermectin-prevention-treatment-covid-19-outside-randomised-clinical-trials 

Revisão sistemática com meta-análise que avaliou os resultados clínicos de doentes com COVID-19 tratados com plasma convalescente. Conclui, com evidência de qualidade baixa a moderada, que o seu uso não esteve associado a diminuição da mortalidade por todas as causas ou a melhoria de outros parâmetros, como duração do internamento ou necessidade de ventilação mecânica.

Janiaud P, Axfors C, Schmitt AM, Gloy V, Ebrahimi F, Hepprich M, et al. Association of Convalescent Plasma Treatment With Clinical Outcomes in Patients With COVID-19: A Systematic Review and Meta-analysis. JAMA. 2021 Feb 26. doi: 10.1001/jama.2021.2747.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777060 

Ensaio clínico aberto, sem ocultação, que avaliou o uso de dexametasona em doentes hospitalizados com COVID-19 comparativamente aos cuidados habituais. A dexametasona resultou numa menor mortalidade aos 28 dias, mas somente em indivíduos com suporte respiratório.

RECOVERY Collaborative Group, Horby P, Lim WS, Emberson JR, Mafham M, Bell JL, et al. Dexamethasone in Hospitalized Patients with Covid-19. N Engl J Med. 2021 Feb 25; 384(8): 693-704. doi: 10.1056/NEJMoa2021436.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2021436?articleTools=true 

O uso da azitromicina para o tratamento ambulatório de indivíduos com suspeita de COVID-19 e fatores de risco para pior prognóstico foi avaliado num ensaio aleatorizado, sem ocultação, em plataforma adaptativa, que investiga múltiplas intervenções. A azitromicina não mostrou diminuir o tempo de recuperação ou diminuir o risco de hospitalização face ao cuidado habitual.

PRINCIPLE Trial Collaborative Group. Azithromycin for community treatment of suspected COVID-19 in people at increased risk of an adverse clinical course in the UK (PRINCIPLE): a randomised, controlled, open-label, adaptive platform trial. Lancet. 2021 Mar 4: S0140-6736(21)00461-X. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00461-X.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900461-X 

Ensaio clínico, em plataforma adaptativa, que avaliou o uso dos inibidores da interleucina-6 tocilizumab e sarilumab em doentes críticos com COVID-19. Concluiu que o uso destes fármacos esteve associado a melhores resultados clínicos e a maior sobrevivência.

REMAP-CAP Investigators, Gordon AC, Mouncey PR, Al-Beidh F, Rowan KM, Nichol AD, Arabi YM, et al. Interleukin-6 Receptor Antagonists in Critically Ill Patients with Covid-19. N Engl J Med. 2021 Feb 25. doi: 10.1056/NEJMoa2100433.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2100433?articleTools=true 

Evolução mais favorável da pneumonia grave por SARS-CoV-2 em doentes tratados com pulsos de glucocorticoides (dose equivalente de prednisona maior ou igual a 250 mg), com menor risco de mortalidade e ingresso em cuidados intensivos.

Pascual Pareja JF, García-Caballero R, Soler Rangel L, Vázquez-Ronda MA, Roa Franco S, Navarro Jiménez G, et al. Effectiveness of glucocorticoids in patients hospitalized for severe SARS-CoV-2 pneumonia. Med Clin (Barc). 2020 Dec 5; 156(5): 221–8. doi: 10.1016/j.medcli.2020.11.004.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7719003/pdf/main.pdf 

Ensaio clínico aleatorizado e com dupla ocultação, que avaliou o efeito de 5 dias de terapêutica com ivermectina na duração dos sintomas em indivíduos adultos com COVID-19 ligeira. Conclui que a ivermectina não melhorou de forma significativa o tempo para resolução dos sintomas comparativamente ao placebo.

López-Medina E, López P, Hurtado IC, Dávalos DM, Ramirez O, Martínez E, Díazgranados JA, Oñate JM, Chavarriaga H, Herrera S, Parra B, Libreros G, Jaramillo R, Avendaño AC, Toro DF, Torres M, Lesmes MC, Rios CA, Caicedo I. Effect of Ivermectin on Time to Resolution of Symptoms Among Adults With Mild COVID-19: A Randomized Clinical Trial. JAMA. 2021 Mar 4. doi: 10.1001/jama.2021.3071.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777389 

Normas de orientação clínica da American Society of Hematology acerca do uso da terapêutica anticoagulante na profilaxia do tromboembolismo na COVID-19.

Cuker A, Tseng EK, Nieuwlaat R, Angchaisuksiri P, Blair C, Dane K, et al. American Society of Hematology 2021 guidelines on the use of anticoagulation for thromboprophylaxis in patients with COVID-19. Blood Adv. 2021 Feb 9;5(3):872-888. doi: 10.1182/bloodadvances.2020003763.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7869684/pdf/advancesADV2020003763C.pdf 

Revisão da evidência científica atual acerca dos potenciais benefícios e riscos do remdesivir no tratamento da COVID-19, efetuada pela Agência Canadiana do Medicamento e das Tecnologias de Saúde (CADTH).

Remdesivir: Evidence Review and Appraisal. CADTH (updated February 19, 2021)

https://cadth.ca/sites/default/files/covid-19/HC0003-remdesivir-update5-final.pdf 

Ensaio aleatorizado, multicêntrico e sem ocultação, que avaliou o efeito da anacinra em indivíduos hospitalizados com COVID-19 e pneumonia ligeira a moderada. O estudo foi interrompido prematuramente, por constatação de ineficácia na diminuição da necessidade de ventilação invasiva e não invasiva e na mortalidade.

CORIMUNO-19 Collaborative group. Effect of anakinra versus usual care in adults in hospital with COVID-19 and mild-to-moderate pneumonia (CORIMUNO-ANA-1): a randomised controlled trial. Lancet Respir Med. 2021 Jan 22;9(3):295–304. doi: 10.1016/S2213-2600(20)30556-7.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2213-2600%2820%2930556-7 

Resultados interinos do ensaio Solidarity, patrocinado pela OMS, destinado a avaliar o efeito sobre a mortalidade de fármacos identificados como potencialmente benéficos em doentes hospitalizados por COVID-19. São descritos os resultados dos primeiros 4 fármacos investigados – remdesivir, hidroxicloroquina, lopinavir e interferão beta-1ª. Nenhum provou diminuir a mortalidade, necessidade de ventilação mecânica ou duração do internamento.

WHO Solidarity Trial Consortium, Pan H, Peto R, Henao-Restrepo AM, Preziosi MP, Sathiyamoorthy V, Abdool Karim Q, et al. Repurposed Antiviral Drugs for Covid-19 - Interim WHO Solidarity Trial Results. N Engl J Med. 2021 Feb 11;384(6):497-511. doi: 10.1056/NEJMoa2023184.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2023184?articleTools=true


Resposta rápida a questões práticas, elaboradas pelo American College of Physicians com base numa revisão sistemática atualizada, que proporcionam recomendações baseadas em evidência sobre o uso de remdesivir em doentes hospitalizados com COVID-19.

Qaseem A, Yost J, Etxeandia-Ikobaltzeta I, Abraham GM, Jokela JA, Forciea MA, Miller MC, Humphrey LL. Should Remdesivir Be Used for the Treatment of Patients With COVID-19? Rapid, Living Practice Points From the American College of Physicians (Version 2). Ann Intern Med. 2021 Feb 9. doi: 10.7326/M20-8101. Epub ahead of print. 

https://www.acpjournals.org/doi/10.7326/M20-8101?url_ver=Z39.88-2003&rfr_id=ori:rid:crossref.org&rfr_dat=cr_pub%20%200pubmed


Ensaio clínico aleatorizado que compara a manutenção ou descontinuação do tratamento com IECA em doentes hospitalizados com COVID-19 ligeira a moderada.

Lopes RD, Macedo AVS, de Barros E Silva PGM, Moll-Bernardes RJ, Dos Santos TM, et al; BRACE CORONA Investigators. Effect of Discontinuing vs Continuing Angiotensin-Converting Enzyme Inhibitors and Angiotensin II Receptor Blockers on Days Alive and Out of the Hospital in Patients Admitted With COVID-19: A Randomized Clinical Trial. JAMA. 2021 Jan 19;325(3):254-264. doi: 10.1001/jama.2020.25864. PMID: 33464336; PMCID: PMC7816106.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2775280


Ensaio multicêntrico, aleatorizado e sem ocultação que avaliou o efeito da administração de doses elevadas de zinco, ácido ascórbico, ou da sua associação comparativamente ao tratamento habitual, sobre a redução dos sintomas de COVID-19 em doentes tratados em ambulatório. Não foi identificada diminuição significativa da duração dos sintomas por comparação com o tratamento habitual.

Thomas S, Patel D, Bittel B, Wolski K, Wang Q, Kumar A, et al. Effect of High-Dose Zinc and Ascorbic Acid Supplementation vs Usual Care on Symptom Length and Reduction Among Ambulatory Patients With SARS-CoV-2 Infection: The COVID A to Z Randomized Clinical Trial. JAMA Netw Open. 2021 Feb 1;4(2):e210369. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2021.0369. PMID: 33576820.

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2776305

Ensaio aleatorizado, controlado, aberto e de plataforma adaptativa realizado em doentes internados com COVID-19, que concluiu que a azitromicina não melhorou a sobrevida ou outros desfechos clínicos pré-definidos. O uso de azitromicina em doentes com COVID-19 em internamento hospitalar deve ser restringido a doentes nos quais existe uma indicação antimicrobiana clara.

RECOVERY Collaborative Group. Azithromycin in patients admitted to hospital with COVID-19 (RECOVERY): a randomised, controlled, open-label, platform trial. Lancet. 2021 Feb 2: S0140-6736(21)00149-5. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00149-5. Epub ahead of print. PMID: 33545096.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900149-5


Estudo de coorte observacional, no qual o início precoce da anticoagulação profilática nos doentes hospitalizados com covid-19 foi associado a um risco reduzido de mortalidade aos 30 dias, sem aumento do risco de eventos hemorrágicos graves. 

Rentsch CT, Beckman JA, Tomlinson L, Gellad WF, Alcorn C, Kidwai-Khan F, et al. Early initiation of prophylactic anticoagulation for prevention of coronavirus disease 2019 mortality in patients admitted to hospital in the United States: cohort study. BMJ. 2021 Feb 11;372:n311. doi: 10.1136/bmj.n311.

https://www.bmj.com/content/bmj/372/bmj.n311.full.pdf 


Revisão sistemática do uso da cloroquina e hidroxicloroquina em prevenção e tratamento da COVID-19. Conclui que, em pessoas infetadas com SARS-CoV-2, a hidroxicloroquina tem pouco ou nenhum efeito sobre o risco de morte e provavelmente nenhum efeito sobre a progressão para ventilação mecânica. Os autores consideram que não devem ser realizados mais estudos com hidroxicloroquina ou cloroquina para tratamento da COVID-19.

Singh B, Ryan H, Kredo T, Chaplin M, Fletcher T. Chloroquine or hydroxychloroquine for prevention and treatment of COVID‐19. Cochrane Database of Systematic Reviews 2021, Issue 2. Art. No.: CD013587. DOI: 10.1002/14651858.CD013587.pub2. Accessed 16 February 2021.

https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD013587.pub2/full/es?highlightAbstract=covid
 


Revisão sistemática e meta-análise que avalia a eficácia de alguns inibidores da interleucina para o tratamento da COVID-19. O tocilizumab foi associado a um menor risco relativo de mortalidade em estudos prospetivos, mas os efeitos foram inconclusivos para outros resultados. A evidência atual da eficácia de anacinra, siltuximab ou sarilumab em COVID-19 é insuficiente, sendo necessários mais estudos.

Khan FA, Stewart I, Fabbri L, Moss S, Robinson K, Smyth AR, Jenkins G. Systematic review and meta-analysis of anakinra, sarilumab, siltuximab and tocilizumab for COVID-19. Thorax. 2021 Feb 12:thoraxjnl-2020-215266. doi: 10.1136/thoraxjnl-2020-215266. Epub ahead of print. 

https://thorax.bmj.com/content/thoraxjnl/early/2021/02/15/thoraxjnl-2020-215266.full.pdf

Ensaio clínico de fase 1-3 multicêntrico, aleatorizado, com dupla ocultação e controlado por placebo, com recrutamento ativo, que investiga a utilização da associação REGN-COV2 - casirivimab + imdevimab em doentes COVID-19 tratados em ambulatório. Neste artigo são descritas a fase 1-2, na qual foram comparadas duas doses da associação. A administração da associação de anticorpos monoclonais mostrou diminuir a carga viral, especialmente nos doentes ainda sem resposta imunitária ou com maior carga viral de base, com um perfil de segurança aceitável. Nos doentes com resposta imunitária ativa, a sua eficácia foi mínima.

Weinreich DM, Sivapalasingam S, Norton T, Ali S, Gao H, Bhore R, et al; Trial Investigators. REGN-COV2, a Neutralizing Antibody Cocktail, in Outpatients with Covid-19. N Engl J Med. 2021 Jan 21; 384(3): 238-251. doi: 10.1056/NEJMoa2035002. Epub 2020 Dec 17. 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7781102/pdf/NEJMoa2035002.pdf


Revisão sobre o uso de plasma convalescente em doenças infecciosas e sua aplicação ao tratamento da COVID-19.

Ripoll JG, van Helmond N, Senefeld JW, Wiggins CC, Klassen SA, Baker SE, et al. Convalescent Plasma for Infectious Diseases: Historical Framework and Use in COVID-19. Clin Microbiol Newsl. 2021 Feb 15;43(4):23-32. doi: 10.1016/j.clinmicnews.2021.02.001. Epub 2021 Feb 5. 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7862032/pdf/main.pdf
 


Atualização da norma de gestão clínica da COVID-19. Inclui recomendações para doentes com diferentes níveis de gravidade e uma nova secção sobre o cuidado dos doentes após a fase aguda da doença

COVID-19 Clinical management: living guidance. World Health Organization

https://www.who.int/publications/i/item/WHO-2019-nCoV-clinical-2021-1 

Estudo retrospetivo que descreve a utilização de anti-histamínicos e azitromicina no tratamento da COVID-19 em indivíduos idosos residentes em lares

Morán Blanco JI, Alvarenga Bonilla JA, Homma S, Suzuki K, Fremont-Smith P, Villar Gómez de Las Heras K. Antihistamines and azithromycin as a treatment for COVID-19 on primary health care - A retrospective observational study in elderly patients. Pulm Pharmacol Ther. 2021 Jan 16;67:101989. doi: 10.1016/j.pupt.2021.101989.

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1094553921000018 

Síntese de norma britânica com orientação acerca do manejo, em cuidados primários, de indivíduos com sintomas persistentes após COVID-19 aguda

Shah W, Hillman T, Playford ED, Hishmeh L. Managing the long term effects of covid-19: summary of NICE, SIGN, and RCGP rapid guideline. BMJ. 2021 Jan 22;372:n136. doi: 10.1136/bmj.n136.

https://www.bmj.com/content/bmj/372/bmj.n136.full.pdf 

O remdesivir tem vindo a ser utilizado no tratamento da COVID-19, ao ter demonstrado atividade inibidora da replicação do SARS-CoV-2 in vitro. Contudo, existem ainda poucos ensaios aleaorizados e controlados concluídos. Esta revisão avaliou a eficácia e segurança do remdesivir, encontrando somente quatro ensaios passíveis de inclusão. Concluiu que, aos 14 dias, os doentes tratados com remdesivir apresentam uma menor mortalidade e necessidade de suporte ventilatório, superior melhoria clínica e taxas de alta. Adicionalmente, mostrou que esquemas de tratamento de 10 dias estão associados a maior ocorrência de efeitos adversos, sem benefício significativo, comparativamente a esquemas de 5 dias

Shrestha DB, Budhathoki P, Syed NI, Rawal E, Raut S, Khadka S. Remdesivir: A potential game-changer or just a myth? A systematic review and meta-analysis. Life Sci. 2021 Jan 1;264:118663. doi: 10.1016/j.lfs.2020.118663. Epub 2020 Oct 26.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7586105/pdf/main.pdf 

Revisão sistemática da eficácia e segurança do tocilizumab no tratamento da COVID-19

Cortegiani A, Ippolito M, Greco M, Granone V, Protti A, Gregoretti C, Giarratano A, Einav S, Cecconi M. Rationale and evidence on the use of tocilizumab in COVID-19: a systematic review. Pulmonology. 2021 Jan-Feb;27(1):52-66. doi: 10.1016/j.pulmoe.2020.07.003.

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2531043720301537?via%3Dihub 

Avaliação comparativa do benefício na mortalidade em doentes tratados com remdesivir e corticosteroides, consoante as necessidades de suplementação em oxigénio

Lee TC, McDonald EG, Butler-Laporte G, Harrison LB, Cheng MP, Brophy JM. Remdesivir and Systemic Corticosteroids for the Treatment of COVID-19: A Bayesian Reanalysis. Int J Infect Dis. 2021 Feb 1: S1201-9712(21)00077-1. doi: 10.1016/j.ijid.2021.01.065. Epub ahead of print. PMID: 33540128.

https://www.ijidonline.com/article/S1201-9712(21)00077-1/pdf 
(pre-proof) 


Os anticorpos monoclonais neutralizantes da proteína spike do SARS-CoV-2 têm-se mostrado como uma abordagem promissora no tratamento da COVID-19. Este ensaio de fase 2/3 avaliou comparativamente o efeito da administração de bamlanivimab em monoterapia, com a sua associação ao etesevimab, na carga viral de doentes com COVID-19 ligeira a moderada em ambulatório. Concluiu que apenas para a associação bamlanivimab + etesevimab ocorreu redução estatisticamente significativa da carga viral

Gottlieb RL, Nirula A, Chen P, Boscia J, Heller B, Morris J, Huhn G, Cardona J, Mocherla B, Stosor V, Shawa I, Kumar P, Adams AC, Van Naarden J, Custer KL, Durante M, Oakley G, Schade AE, Holzer TR, Ebert PJ, Higgs RE, Kallewaard NL, Sabo J, Patel DR, Klekotka P, Shen L, Skovronsky DM. Effect of Bamlanivimab as Monotherapy or in Combination With Etesevimab on Viral Load in Patients With Mild to Moderate COVID-19: A Randomized Clinical Trial. JAMA. 2021 Jan 21:e210202. doi: 10.1001/jama.2021.0202. Epub ahead of print.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2775647 

VACINAS

 

Monitorização dos efeitos adversos associados a vacinas contra a COVID-19 baseadas em ARN mensageiro. Uma análise interina de dados de vigilância obtidos de 6,2 milhões de indivíduos, que receberam 11,8 milhões de doses das vacinas em causa, não mostrou aumento significativo nas taxas de 23 eventos adversos graves em investigação 1-21 dias após a vacinação, comparativamente a 22-42 após a vacinação.

Klein NP, Lewis N, Goddard K, Fireman B, Zerbo O, Hanson KE, et al. Surveillance for Adverse Events After COVID-19 mRNA Vaccination. JAMA. 2021 Sep 3. doi: 10.1001/jama.2021.15072.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2784015

Subestudo de pequena dimensão, realizado em indivíduos entre os 18 e os 55 anos, que reportou maior subida de títulos de anticorpos neutralizantes induzidos pela vacina ChAdOx1 nCoV-19 (AstraZeneca) com um maior intervalo entre a primeira e a segunda doses. A administração de uma terceira dose foi bem tolerada e induziu títulos de anticorpos significativamente maiores 28 dias após a inoculação comparativamente aos induzidos 28 dias após uma segunda dose, aumentando ainda a imunidade celular.

Flaxman A, Marchevsky NG, Jenkin D, Aboagye J, Aley PK, Angus B, et al. Reactogenicity and immunogenicity after a late second dose or a third dose of ChAdOx1 nCoV-19 in the UK: a substudy of two randomised controlled trials (COV001 and COV002). Lancet. 2021 Sep 11; 398(10304): 981-990. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01699-8.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901699-8

Estudo realizado nos Estados Unidos, para determinar a efetividade de vacinas contra a COVID-19 baseadas em ARN mensageiro (mRNA) em indivíduos com idade igual ou superior a 50 anos. As vacinas foram altamente eficazes contra casos de infeção por SARS-CoV-2 com necessidade de hospitalização, admissão em unidades de cuidados intensivos ou atendimento num serviço de urgência.

Thompson MG, Stenehjem E, Grannis S, Ball SW, Naleway AL, Ong TC, et al. Effectiveness of Covid-19 Vaccines in Ambulatory and Inpatient Care Settings. N Engl J Med. 2021 Sep 8. doi: 10.1056/NEJMoa2110362.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2110362?articleTools=true

Estudo prospetivo de coortes, que investigou a relação entre a administração da vacina BNT162b2 mRNA (Pfizer/BioNTech) e a infeção por SARS-CoV-2, internamento hospitalar e morte por COVID-19 em residentes em lares, seus funcionários e profissionais de saúde. A administração de 2 doses esteve associada a uma redução de 80-91% nas infeções sintomáticas e assintomáticas por SARS-CoV-2 nas três coortes, bem como a uma redução superior a 95% na hospitalização e na mortalidade por COVID-19 entre os residentes.

Cabezas C, Coma E, Mora-Fernandez N, Li X, Martinez-Marcos M, Fina F, et al. Associations of BNT162b2 vaccination with SARS-CoV-2 infection and hospital admission and death with covid-19 in nursing homes and healthcare workers in Catalonia: prospective cohort study. BMJ. 2021 Aug 18; 374: n1868. doi: 10.1136/bmj.n1868.

https://www.bmj.com/content/bmj/374/bmj.n1868.full.pdf


Estudo em contexto real, que avaliou a efetividade das vacinas baseadas em ARN mensageiro no risco de hospitalização por COVID-19, em adultos. Durante um período de 24 meses, as vacinas demonstraram uma eficácia sustentada e superior a 80%, inclusive em subgrupos com risco mais elevado de resultados adversos.

Tenforde MW, Self WH, Naioti EA, Ginde AA, Douin DJ, Olson SM, et al; IVY Network Investigators; IVY Network. Sustained Effectiveness of Pfizer-BioNTech and Moderna Vaccines Against COVID-19 Associated Hospitalizations Among Adults - United States, March-July 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021 Aug 27; 70(34): 1156-1162. doi: 10.15585/mmwr.mm7034e2.

https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm7034e2-H.pdf

Documento elaborado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), que sumariza a evidência atual acerca da efetividade das vacinas contra infeções sintomáticas ou assintomáticas causados pelas variantes do SARS-CoV-2 em circulação e da duração da imunidade, de modo a fundamentar decisões acerca da necessidade de administração de doses adicionais de vacinas contra a COVID-19.

European Centre for Disease Prevention and Control. Interim public health considerations for the provision of additional COVID-19 vaccine doses, 1 September 2021. ECDC: Stockholm; 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Interim-public-health-considerations-for-the-provision-of-additional-COVID-19-vaccine-doses.pdf

Ensaio aleatorizado, controlado e com dupla ocultação, que avaliou a efetividade e segurança da administração de uma terceira dose de vacina mRNA-1273 (Moderna) a indivíduos transplantados com órgão sólido. A administração de uma terceira dose da vacina mostrou substancial imunogenicidade, com um perfil aceitável de efeitos adversos comparativamente ao placebo.

Hall VG, Ferreira VH, Ku T, Ierullo M, Majchrzak-Kita B, Chaparro C, Selzner N, Schiff J, McDonald M, Tomlinson G, Kulasingam V, Kumar D, Humar A. Randomized Trial of a Third Dose of mRNA-1273 Vaccine in Transplant Recipients. N Engl J Med. 2021 Aug 11: NEJMc2111462. doi: 10.1056/NEJMc2111462.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMc2111462?articleTools=true

Revisão da evidencia atual acerca da eficácia e segurança da administração de vacinas contra a COVID-19 a diferentes populações de indivíduos imunocomprometidos, com indicação de recomendações efetuadas por autoridades de saúde e sociedades científicas.

Duly K, Farraye FA, Bhat S. COVID-19 vaccine use in immunocompromised patients: A commentary on evidence and recommendations. Am J Health Syst Pharm. 2021 Aug 29: zxab344. doi: 10.1093/ajhp/zxab344.

https://academic.oup.com/ajhp/advance-article/doi/10.1093/ajhp/zxab344/6359346

Ensaio prospetivo de coortes que avaliou a eficácia e segurança da vacina Pfizer–BioNTech em pessoas com VIH. Esta vacina parece ser imunogénica e segura em pessoas sob terapêutica antirretroviral com contagem de linfócitos T CD4 não suprimida e carga vírica suprimida.

Levy I, Wieder-Finesod A, Litchevsky V, Biber A, Indenbaum V, Olmer L, et al. Immunogenicity and safety of the BNT162b2 mRNA Covid-19 vaccine in people living with HIV-1. Clin Microbiol Infect. 2021 Aug 23: S1198-743X(21)00423-7. doi: 10.1016/j.cmi.2021.07.031.

https://www.clinicalmicrobiologyandinfection.com/action/showPdf?pii=S1198-743X%2821%2900423-7

Estudo de coortes conduzido em Israel, que analisou a segurança da vacina Pfizer/BioNTech BNT162B2 com base em registos de saúde de um banco de dados de uma organização de saúde com implantação nacional. A administração desta vacina não mostrou estar associada a um risco elevado para a maioria dos eventos adversos em estudo, com exceção de miocardite.

Barda N, Dagan N, Ben-Shlomo Y, Kepten E, Waxman J, Ohana R, et al. Safety of the BNT162b2 mRNA Covid-19 Vaccine in a Nationwide Setting. N Engl J Med. 2021 Aug 25. doi: 10.1056/NEJMoa2110475.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2110475?articleTools=true

Revisão da evidência atual acerca da fisiopatologia, fatores de risco, caraterísticas clínicas e tratamento farmacológico da trombocitopenia trombótica imune induzida por vacinas com trombose dos seios venosos cerebrais.

Rizk JG, Gupta A, Sardar P, Henry BM, Lewin JC, Lippi G, Lavie CJ. Clinical Characteristics and Pharmacological Management of COVID-19 Vaccine-Induced Immune Thrombotic Thrombocytopenia With Cerebral Venous Sinus Thrombosis: A Review. JAMA Cardiol. 2021 Aug 10. doi: 10.1001/jamacardio.2021.3444.

https://jamanetwork.com/journals/jamacardiology/fullarticle/2783051

Estudo que analisa a resposta humoral e celular, induzida pela vacinação ou por infeção natural pelo vírus SARS-CoV-2, contra variantes de interesse, como a Alfa e a Beta. Foi encontrada uma diminuição da neutralização, especialmente após infeção ou administração de uma única dose da vacina, mais acentuadamente face à variante Beta. Contudo, é mantida uma resposta celular robusta após a administração de duas doses da vacina

Skelly DT, Harding AC, Gilbert-Jaramillo J, Knight ML, Longet S, Brown A, et al; PITCH (Protective Immunity T cells in Health Care Worker) Study Group; C-MORE/PHOSP-C Group, Frater J, Goulder P, Conlon CP, Jeffery K, Dold C, Pollard AJ, et al. Two doses of SARS-CoV-2 vaccination induce robust immune responses to emerging SARS-CoV-2 variants of concern. Nat Commun. 2021 Aug 17; 12(1): 5061. doi: 10.1038/s41467-021-25167-5.

https://www.nature.com/articles/s41467-021-25167-5.pdf

Comparação dos títulos de anticorpos obtidos, por profissionais de saúde, após imunização com duas doses de vacinas contra o SARS-CoV-2 baseadas em ARN mensageiro. Os indivíduos imunizados com a vacina mRNA-1273 (Moderna) obtiveram uma resposta humoral significativamente mais elevada do que os imunizados com a vacina BNT162b2 (Pfizer-BioNTech).

Steensels D, Pierlet N, Penders J, Mesotten D, Heylen L. Comparison of SARS-CoV-2 Antibody Response Following Vaccination With BNT162b2 and mRNA-1273. JAMA. 2021 Aug 30. doi: 10.1001/jama.2021.15125.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2783797

Estudo observacional, destinado a avaliar a taxa de notificação de trombose venosa cerebral (TVC) como reação adversa atribuída às vacinas contra a COVID-19 autorizadas na Europa, reportada à base de dados EudraVigilance. Foi encontrado um risco aumentado de TVC com todas as vacinas aprovadas, mas com taxas superiores para as vacinas com vetor adenovírico.

Abbattista M, Martinelli I, Peyvandi F. Comparison of adverse drug reactions among four COVID-19 vaccines in Europe using the EudraVigilance database: thrombosis at unusual sites. J Thromb Haemost. 2021 Aug 10. doi: 10.1111/jth.15493.

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/jth.15493

Avaliação da efetividade das vacinas contra a COVID-19 em trabalhadores essenciais, antes e depois da predominância da variante Delta. Os resultados deste estudo de coortes sugerem uma redução moderada na efetividade das vacinas na prevenção da infeção desde que a variante SARS-CoV-2 Delta se tornou predominante. Contudo, a redução sustentada de dois terços no risco de infeção ressalta a importância e os benefícios contínuos da vacinação.

Fowlkes A, Gaglani M, Groover K, et al. Effectiveness of COVID-19 Vaccines in Preventing SARS-CoV-2 Infection Among Frontline Workers Before and During B.1.617.2 (Delta) Variant Predominance — Eight U.S. Locations, December 2020–August 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. ePub: 24 August 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.15585/mmwr.mm7034e4external icon

https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm7034e4-H.pdf

Ensaio aleatorizado, de não inferioridade, destinado a avaliar a segurança e eficácia de esquemas homólogos e heterólogos de vacinação contra a COVID-19, nos quais as vacinas ChAdOx1 nCoV-19 (AstraZeneca) e BNT162b2 (Pfizer–BioNTech) foram administradas com um intervalo de 28 dias. A concentração de IgG contra a proteína da espícula obtida com esquemas heterólogos foi superior à obtida com esquemas homólogos de ChAdOx1 nCoV-19.

Liu X, Shaw RH, Stuart ASV, Greenland M, Aley PK, Andrews NJ, et al; Com-COV Study Group. Safety and immunogenicity of heterologous versus homologous prime-boost schedules with an adenoviral vectored and mRNA COVID-19 vaccine (Com-COV): a single-blind, randomised, non-inferiority trial. Lancet. 2021 Aug 6: S0140-6736(21)01694-9. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01694-9.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901694-9

Descrição do curso clínico e imagiológico de uma série de 15 casos de miocardite ocorrida em crianças após imunização com a vacina contra a COVID-19 BNT162b2 (Pfizer–BioNTech). Os casos ocorreram principalmente em rapazes e após a administração da segunda dose. No seguimento de curto prazo a afetação foi ligeira, mas são necessários estudos de maior dimensão, que permitam avaliar possíveis efeitos a longo prazo.

Dionne A, Sperotto F, Chamberlain S, Baker AL, Powell AJ, Prakash A, et al. Association of Myocarditis With BNT162b2 Messenger RNA COVID-19 Vaccine in a Case Series of Children. JAMA Cardiol. 2021 Aug 10: e213471. doi: 10.1001/jamacardio.2021.3471.

https://jamanetwork.com/journals/jamacardiology/fullarticle/2783052

A miocardite é uma complicação rara das vacinas contra a COVID-19 baseadas em ARN mensageiro, especialmente em adultos jovens e em adolescentes do sexo masculino. O artigo aborda os mecanismos potenciais, o diagnóstico e o tratamento deste efeito, ajudando a quantificar o risco real. Apesar dos raros casos de miocardite, a avaliação risco-benefício da vacinação COVID-19 mostra um balanço favorável para todos os grupos de idade e sexo.

Bozkurt B, Kamat I, Hotez PJ. Myocarditis with COVID-19 mRNA Vaccines. Circulation. 2021 Jul 20. doi: 10.1161/CIRCULATIONAHA.121.056135.

https://www.ahajournals.org/doi/pdf/10.1161/CIRCULATIONAHA.121.056135

Neste ensaio clínico aleatorizado, controlado por placebo, da vacina de mRNA-1273 (Moderna) realizado em adolescentes de 12 a 17 anos de idade, verificou-se uma resposta imune semelhante à de adultos jovens. A vacina foi eficaz na prevenção de COVID-19 com um perfil de segurança aceitável nesta faixa etária.

Ali K, Berman G, Zhou H, Deng W, Faughnan V, Coronado-Voges M, Ding B, Dooley J, Girard B, Hillebrand W, Pajon R, Miller JM, Leav B, McPhee R. Evaluation of mRNA-1273 SARS-CoV-2 Vaccine in Adolescents. N Engl J Med. 2021 Aug 11. doi: 10.1056/NEJMoa2109522.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2109522?articleTools=true

Estudo prospetivo de coortes, que caraterizou as infeções pelo vírus SARS-CoV-2 ocorridas em profissionais de saúde com vacinação completa. Os profissionais de saúde infetados possuíam títulos mais baixos de anticorpos neutralizantes no período peri-infecioso, comparativamente a indivíduos sem infeção. Apesar de a maioria dos casos terem sido assintomáticos ou ligeiros, 19% dos indivíduos descreveu persistência de sintomas após 6 semanas.

Bergwerk M, Gonen T, Lustig Y, Amit S, Lipsitch M, Cohen C, et al. Covid-19 Breakthrough Infections in Vaccinated Health Care Workers. N Engl J Med. 2021 Jul 28. doi: 10.1056/NEJMoa2109072.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2109072?articleTools=true

Revisão e descrição dos métodos e processos científicos e governamentais que conduziram ao desenvolvimento e comercialização de vacinas contra a COVID-19 de forma rápida, perspetivando abordagens que podem vir a ser úteis em futuras emergências de saúde pública.

Bok K, Sitar S, Graham BS, Mascola JR. Accelerated COVID-19 vaccine development: milestones, lessons, and prospects. Immunity. 2021 Aug 3: S1074-7613(21)00303-4. doi: 10.1016/j.immuni.2021.07.017.

https://www.cell.com/action/showPdf?pii=S1074-7613%2821%2900303-4

Estudo que avaliou as respostas imunitárias humorais após administração da vacina contra a COVID-19 BNT162b2 (Pfizer-BioNTech) em indivíduos com ou sem história prévia de infeção por SARS-CoV-2. Os níveis de anticorpos em indivíduos seropositivos foram significativamente mais elevados após administração de uma dose comparativamente aos seronegativos, e foram comparáveis aos níveis obtidos por estes após administração de duas doses. Foram ainda identificados os epitopos chave da proteína da espícula que são alvo dos anticorpos após vacinação

Fraley E, LeMaster C, Geanes E, Banerjee D, Khanal S, Grundberg E, Selvarangan R, Bradley T. Humoral immune responses during SARS-CoV-2 mRNA vaccine administration in seropositive and seronegative individuals. BMC Med. 2021 Jul 26; 19(1): 169. doi: 10.1186/s12916-021-02055-9.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8310732/pdf/12916_2021_Article_2055.pdf

Revisão elaborada pelos Centers for Disease Control and Prevention, acerca da eficácia e efetividade das vacinas contra a COVID-19 aprovadas nos EUA, inclusive contra as variantes emergentes. É ainda discutido o impacto de outras medidas preventivas no contexto da vacinação.

National Center for Immunization and Respiratory Diseases (NCIRD), Division of Viral Diseases. CDC COVID-19 Science Briefs [Internet]. Atlanta (GA): Centers for Disease Control and Prevention (US); 2020–. Science Brief: COVID-19 Vaccines and Vaccination. 2021 Jul 27.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK570435/pdf/Bookshelf_NBK570435.pdf

Orientações práticas do American College of Obstetricians and Gynecologists acerca da vacinação em contexto obstétrico e ginecológico, recomendando que todas as pessoas elegíveis, incluindo grávidas e mulheres a amamentar, sejam imunizadas contra a COVID-19.

COVID-19 Vaccination Considerations for Obstetric–Gynecologic Care. American College of Obstetricians and Gynecologists. Last updated July 30, 2021.

https://www.acog.org/clinical/clinical-guidance/practice-advisory/articles/2020/12/covid-19-vaccination-considerations-for-obstetric-gynecologic-care?utm_source=redirect&utm_medium=web&utm_campaign=int

Estudo caso-controle realizado para avaliar a efetividade a curto prazo, em contexto real, das vacinas contra a COVID-19 (Pfizer–BioNTech e Moderna). Numa população de alto risco, as vacinas mostraram-se elevada efetividade na prevenção de infeções por SARS-CoV-2, sustentadamente acima de 95% independentemente de fatores como o grupo etário, o género, ou a presença de comorbilidades.

Butt AA, Omer SB, Yan P, Shaikh OS, Mayr FB. SARS-CoV-2 Vaccine Effectiveness in a High-Risk National Population in a Real-World Setting. Ann Intern Med. 2021 Jul 20. doi: 10.7326/M21-1577.

https://www.acpjournals.org/doi/10.7326/M21-1577

Revisão e síntese dos dados atualmente disponíveis sobre reações alérgicas às vacinas contra o vírus SARS-CoV-2. Inclui recomendações relacionadas com os fatores de risco, avaliação e manejo de doentes com possível risco para reações alérgicas graves, elaboradas por um grupo multidisciplinar de especialistas internacionais.

Greenhawt M, Abrams EM, Shaker M, Chu DK, Khan D, Akin C, et al. The Risk of Allergic Reaction to SARS-CoV-2 Vaccines and Recommended Evaluation and Management: A Systematic Review, Meta-analysis, GRADE Assessment, and International Consensus Approach. J Allergy Clin Immunol Pract. 2021 Jun 18. pii: S2213-2198(21)00671-1. doi: 10.1016/j.jaip.2021.06.006

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8248554/pdf/main.pdf

Documento elaborado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), com uma revisão da evidência disponível acerca da efetividade da vacinação parcial contra a COVID-19, imunogenicidade e efetividade da vacinação de indivíduos com infeção prévia, e segurança e imunogenicidade de esquemas heterólogos de vacinação, com o objetivo de auxiliar na definição das estratégias nacionais de vacinação.

European Centre for Disease Prevention and Control. Partial COVID-19 vaccination, vaccination following SARS-CoV-2 infection and heterologous vaccination schedule: summary of evidence. 22 July 2021. ECDC: Stockholm; 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Partial%20COVID%20vaccination%20and%20heterologous%20vacc%20schedule%20-%2022%20July%202021.pdf

Avaliação da efetividade das vacinas contra a COVID-19 BNT162b2 (Comirnaty®) e ChAdOx1 (Vaxzevria®) contra a variante Delta do vírus SARS-CoV-2, comparativamente à variante Alfa. A administração de uma dose de qualquer das vacinas mostrou uma efetividade notavelmente inferior contra a variante Delta, mas o esquema de duas doses mostrou apenas uma redução modesta de efetividade face à variante Alfa.

Lopez Bernal J, Andrews N, Gower C, Gallagher E, Simmons R, Thelwall S, Stowe J, Tessier E, Groves N, Dabrera G, Myers R, Campbell CNJ, Amirthalingam G, Edmunds M, Zambon M, Brown KE, Hopkins S, Chand M, Ramsay M. Effectiveness of Covid-19 Vaccines against the B.1.617.2 (Delta) Variant. N Engl J Med. 2021 Jul 21. doi: 10.1056/NEJMoa2108891.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2108891?articleTools=true

Revisão sistemática e meta-análise de estudos que avaliaram os títulos de anticorpos neutralizantes contra variantes do vírus SARS-CoV-2 induzidos por infeção natural, ou por vacinação. Os anticorpos induzidos por ambas as situações mostraram uma redução significativa na capacidade de neutralização de diversas variantes. Os níveis de anticorpos neutralizantes induzidos por vacinas baseadas em ARN mensageiro foram similares ou superiores aos induzidos por infeção natural.

Chen X, Chen Z, Azman AS, Sun R, Lu W, Zheng N, et al. Neutralizing antibodies against SARS-CoV-2 variants induced by natural infection or vaccination: a systematic review and pooled meta-analysis. Clin Infect Dis. 2021 Jul 24: ciab646. doi: 10.1093/cid/ciab646.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab646/6327511

Estudo multicêntrico, com dados provenientes de 8 países europeus, que avaliou a efetividade das vacinas contra a COVID-19 face a infeção sintomática em contexto de cuidados primários, em indivíduos com idade igual ou superior a 65 anos. Conclui que a vacinação proporciona substancial proteção neste grupo etário contra infeções identificadas em ambulatório, especialmente nos que completaram o esquema de vacinação.

Kissling E, Hooiveld M, Sandonis Martín V, Martínez-Baz I, William N, et al; I-MOVE-COVID-19 primary care study team; I-MOVE-COVID-19 primary care study team (in addition to authors above). Vaccine effectiveness against symptomatic SARS-CoV-2 infection in adults aged 65 years and older in primary care: I-MOVE-COVID-19 project, Europe, December 2020 to May 2021. Euro Surveill. 2021 Jul; 26(29). doi: 10.2807/1560-7917.ES.2021.26.29.2100670.

https://www.eurosurveillance.org/content/10.2807/1560-7917.ES.2021.26.29.2100670

Ensaio de fase 3 aleatorizado, em ocultação simples e controlado por placebo, realizado para determinar a eficácia e segurança da vacina contra SARS-CoV-2 NVX-CoV2373 (Novavax). Em adultos, um regime de duas doses administradas com um intervalo de 21 dias mostrou ser eficaz contra a infeção por SARS-CoV-2.

Heath PT, Galiza EP, Baxter DN, Boffito M, Browne D, Burns F, et al. Safety and Efficacy of NVX-CoV2373 Covid-19 Vaccine. N Engl J Med. 2021 Jun 30: NEJMoa2107659. doi: 10.1056/NEJMoa2107659.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2107659?articleTools=true

Resultados preliminares de uma revisão sistemática, que reporta a eficácia e efetividade das vacinas contra a COVID-19 aprovadas pela Agência Europeia do Medicamento. O esquema de vacinação completo demonstrou uma eficácia/efetividade de 80-90% na prevenção de infeções pelo SARS-CoV-2, incluindo assintomáticas.

Harder T, Koch J, Vygen-Bonnet S, Külper-Schiek W, Pilic A, Reda S, Scholz S, Wichmann O. Efficacy and effectiveness of COVID-19 vaccines against SARS-CoV-2 infection: interim results of a living systematic review, 1 January to 14 May 2021. Euro Surveill. 2021 Jul;26(28). doi: 10.2807/1560-7917.ES.2021.26.28.2100563.

https://www.eurosurveillance.org/content/10.2807/1560-7917.ES.2021.26.28.2100563

Investigação da sensibilidade da variante Delta (B.1.617.2) aos anticorpos neutralizantes induzidos pela vacina Vaxzevria®. Esta vacina mostrou induzir um título diminuído de anticorpos neutralizantes contra esta variante comparativamente à estirpe original, e inferior ao obtido com a administração da vacina BNT162b2 (Comirnaty®).

Wall EC, Wu M, Harvey R, Kelly G, Warchal S, Sawyer C, et al. AZD1222-induced neutralising antibody activity against SARS-CoV-2 Delta VOC. Lancet. 2021 Jul 17;398(10296):207-209. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01462-8.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901462-8

Estudo retrospetivo de coortes, que investigou o risco de infeção por SARS-CoV-2 em grávidas imunizadas com a vacina contra a COVID-19 BNT162b2 (Comirnaty®). As grávidas que receberam a vacina apresentaram um risco de infeção significativamente inferior ao das não vacinadas.

Goldshtein I, Nevo D, Steinberg DM, Rotem RS, Gorfine M, Chodick G, Segal Y. Association Between BNT162b2 Vaccination and Incidence of SARS-CoV-2 Infection in Pregnant Women. JAMA. 2021 Jul 12. doi: 10.1001/jama.2021.11035.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2782047

A associação entre a toma da primeira dose das vacinas contra a COVID-19 ChAdOx1 (Vaxzevria®) e BNT162b2 (Comirnaty®) e eventos adversos hematológicos e vasculares foi investigada com base numa coorte nacional prospetiva. Foi detetada uma potencial associação entre a toma de Vaxzevria® e ocorrência de purpura trombocitopénica idiopática e evidência que sugere associação a eventos tromboembólicos arteriais e hemorrágicos. Não foi encontrada associação entre a toma de Comirnaty® e eventos trombocitopénicos, tromboembólicos ou hemorrágicos.

Simpson CR, Shi T, Vasileiou E, Katikireddi SV, Kerr S, Moore E, et al. First-dose ChAdOx1 and BNT162b2 COVID-19 vaccines and thrombocytopenic, thromboembolic and hemorrhagic events in Scotland. Nat Med. 2021 Jun 9. doi: 10.1038/s41591-021-01408-4.

https://www.nature.com/articles/s41591-021-01408-4.pdf

Ensaio aleatorizado, sem ocultação, que investigou a imunogenicidade e reatogenicidade de um esquema heterólogo de vacinação contra a COVID-19. Indivíduos a quem foi administrada uma primeira dose de vacina ChAdOx1-S (Vaxzevria®) e cuja imunização foi completada com uma segunda dose de BNT162b2 (Comirnaty®) mostraram obter uma resposta imunológica robusta, com um perfil de segurança aceitável.

Borobia AM, Carcas AJ, Pérez-Olmeda M, Castaño L, Bertran MJ, García-Pérez J, et al; CombiVacS Study Group. Immunogenicity and reactogenicity of BTN162b2 booster in ChAdOx1-S-primed participants (CombiVacS): a multicentre, open-label, randomised, controlled, phase 2 trial. Lancet. 2021 Jul 10; 398(10295): 121-130. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01420-3.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901420-3

Estudo prospetivo de coortes que avaliou, em contexto real, o efeito das vacinas contra a COVID-19 baseadas em ARN mensageiro na prevenção e atenuação da COVID-19. Foi demonstrada uma eficácia preventiva de 91% em indivíduos totalmente vacinados e 81% nos parcialmente vacinados. Nos casos de infeção ocorridos em indivíduos parcial ou totalmente vacinados a duração da doença foi inferior, a carga viral foi 40% inferior e o risco de sintomas febris foi 58% inferior comparativamente a indivíduos não vacinados.

Thompson MG, Burgess JL, Naleway AL, Tyner H, Yoon SK, Meece J, et al. Prevention and Attenuation of Covid-19 with the BNT162b2 and mRNA-1273 Vaccines. N Engl J Med. 2021 Jun 30:NEJMoa2107058. doi: 10.1056/NEJMoa2107058.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2107058?articleTools=true

Estudo que investigou a sensibilidade à neutralização da variante Delta do vírus SARS-CoV-2. Esta variante mostrou-se resistente a anticorpos monoclonais, como o bamlanivimab, e mostrou uma suscetibilidade 4 vezes menor a plasma de indivíduos convalescentes, comparativamente à variante Alfa. O plasma de indivíduos vacinados com uma dose das vacinas Comirnaty® e Vaxzevria® praticamente não inibiu esta variante, mas a administração de duas doses gerou uma resposta neutralizante em 95% dos indivíduos, mas com títulos neutralizantes 3-5 vezes inferiores relativamente à variante Alfa.

Planas D, Veyer D, Baidaliuk A, Staropoli I, Guivel-Benhassine F, Rajah MM, et al. Reduced sensitivity of SARS-CoV-2 variant Delta to antibody neutralization. Nature. 2021 Jul 8. doi: 10.1038/s41586-021-03777-9.

https://www.nature.com/articles/s41586-021-03777-9_reference.pdf

Avaliação da relação benefício-risco da utilização das vacinas contra a COVID-19 baseadas em ARN mensageiro nos EUA, na sequência da identificação de um risco aumentado de miocardite. Apesar da confirmação de um risco aumentado de miocardite em indivíduos do sexo masculino com idade entre os 12-29 anos, estas vacinas continuam a apresentar um perfil benefício-risco favorável nesta população.

Gargano JW, Wallace M, Hadler SC, Langley G, Su JR, Oster ME, et al. Use of mRNA COVID-19 Vaccine After Reports of Myocarditis Among Vaccine Recipients: Update from the Advisory Committee on Immunization Practices - United States, June 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021 Jul 9; 70(27): 977-982. doi: 10.15585/mmwr.mm7027e2.

https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm7027e2-H.pdf

Recomendações da International Society on Thrombosis and Haemostasis para o diagnóstico clínico e laboratorial da trombocitopenia com trombose induzida por vacinas contra a COVID-19, com um algoritmo de atuação para abordagem dos casos suspeitos.

Nazy I, Sachs UJ, Arnold DM, McKenzie SE, Choi P, Althaus K, et al. Recommendations for the clinical and laboratory diagnosis of VITT against COVID-19: Communication from the ISTH SSC Subcommittee on Platelet Immunology. J Thromb Haemost. 2021 Jun; 19(6): 1585-1588. doi: 10.1111/jth.15341.

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/jth.15341


Descrição da demografia, na Escócia, da variante Delta do SARS-CoV-2, do seu impacto no risco de hospitalização e da efetividade das vacinas na prevenção de internamentos. Esta variante foi encontrada principalmente em indivíduos mais jovens e esteve associada a uma duplicação do risco de hospitalização. As vacinas Comirnaty® e Vaxzevria® mostraram-se eficazes na redução do risco de infeção, mas de modo inferior relativamente à variante Alfa, especialmente com a segunda, e no risco de hospitalização.

Sheikh A, McMenamin J, Taylor B, Robertson C; Public Health Scotland and the EAVE II Collaborators. SARS-CoV-2 Delta VOC in Scotland: demographics, risk of hospital admission, and vaccine effectiveness. Lancet. 2021 Jun 14; 397(10293): 2461–2. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01358-1.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901358-1


Descrição de uma série de 23 casos de miocardite ocorridos em militares após administração de vacinas contra a COVID-19 baseadas em ARN mensageiro. A maioria dos casos ocorreu após a administração da segunda dose e, apesar de a incidência ter sido reduzida, foi superior ao espectável, pelo que os autores recomendam monitorização do risco deste efeito adverso.

Montgomery J, Ryan M, Engler R, Hoffman D, McClenathan B, Collins L, et al. Myocarditis Following Immunization With mRNA COVID-19 Vaccines in Members of the US Military. JAMA Cardiol. 2021 Jun 29. doi: 10.1001/jamacardio.2021.2833.

https://jamanetwork.com/journals/jamacardiology/fullarticle/2781601


Resultados dos dados de imunogenicidade de esquemas heterólogos de imunização, utilizando as vacinas contra a COVID-19 Comirnaty® e Vaxzevria®, em indivíduos com idade ≥ 50 anos. Um mês após a administração da segunda dose, os esquemas heterólogos (vacinas diferentes na primeira e segunda administração) mostraram induzir concentrações geométricas médias de anticorpos IgG contra a proteína da espícula superiores às produzidas por esquemas homólogos da vacina Vaxzevria®.

Xinxue L, Shaw RH, Stuart ASV, Greenland M, Dinesh T, Provstgaard-Morys S, et al; Com-COV Study Group. Safety and Immunogenicity Report from the Com-COV Study – a Single-Blind Randomised Non-Inferiority Trial Comparing Heterologous And Homologous Prime-Boost Schedules with An Adenoviral Vectored and mRNA COVID-19 Vaccine. http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.3874014

https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=3874014


Resumo dos dados existentes até o momento e das perspetivas futuras sobre as variantes e vacinas contra o SARS-CoV-2. Continuam a surgir variantes de COVID-19, incluindo algumas com maior transmissibilidade e gravidade. Será essencial a manutenção da eficácia das vacinas contra as variantes emergentes e um acesso equitativo a vacinas eficazes em todos os países.

Krause PR, Fleming TR, Longini IM, Peto R, Briand S, Heymann DL, et al. SARS-CoV-2 Variants and Vaccines. N Engl J Med. 2021 Jun 23. doi: 10.1056/NEJMsr2105280.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMsr2105280?articleTools=true


Estudo realizado com o objetivo de comparar as apresentações clínicas e os cursos das tromboses acompanhadas de trombocitopenia induzidas por vacina entre as duas vacinas de vetor adenoviral, Ad26.COV.2.S (Janssen / Johnson & Johnson) e ChAdOx1 nCoV-19 (Astra-Zeneca). Compreender as diferentes características pode ajudar a orientar o tratamento clínico de VITT.

Hwang J, Lee SB, Lee SW, Lee MH, Koyanagi A, Jacob L, et al. Comparison of vaccine-induced thrombotic events between ChAdOx1 nCoV-19 and Ad26.COV.2.S vaccines. J Autoimmun. 2021 Jun 14; 122: 102681. doi: 10.1016/j.jaut.2021.102681.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8204660/pdf/main.pdf


Revisão sistemática e meta-análise que resume e analisa as características clínicas das vacinas e proporciona dados sobre a sua eficácia, efeitos colaterais e imunogenicidade. 

Pormohammad A, Zarei M, Ghorbani S, Mohammadi M, Razizadeh MH, Turner DL, Turner RJ. Efficacy and Safety of COVID-19 Vaccines: A Systematic Review and Meta-Analysis of Randomized Clinical Trials. Vaccines (Basel). 2021 May 6; 9(5): 467. doi: 10.3390/vaccines9050467.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8148145/pdf/vaccines-09-00467.pdf


Protocolo de atuação em casos de trombose com trombocitopenia induzida por vacinas contra a COVID-19. São aportadas recomendações acerca do diagnóstico e tratamento desta síndrome.

Morais S, Cruz E. Trombose, Hemorragia e Trombocitopenia Induzidas pelas Vacinas contra a COVID-19: Protocolo de Atuação. Acta Med Port. 2021 Jun 18. doi: 10.20344/amp.16602.

https://actamedicaportuguesa.com/revista/index.php/amp/article/view/16602/6379


Investigação da ocorrência de casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 em indivíduos com esquema de vacinação completo. Num total de aproximadamente 101 milhões de indivíduos com vacinação completa, foram reportados 10 262 casos de infeção, entre os quais 27% foram assintomáticos, 10% requereram hospitalização e 2% resultaram em morte. Entre os casos de hospitalização e óbito, 29% e 18%, respetivamente, estavam assintomáticos ou o evento ocorreu por motivos não relacionados com COVID-19.

CDC COVID-19 Vaccine Breakthrough Case Investigations Team. COVID-19 Vaccine Breakthrough Infections Reported to CDC - United States, January 1-April 30, 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021 May 28;70(21):792-793. doi: 10.15585/mmwr.mm7021e3.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8158893/pdf/mm7021e3.pdf

Avaliação da atividade neutralizante dos anticorpos induzidos pela vacina contra a COVID-19 BNT162b2 (Comirnaty®) sobre as variantes B.1.617.2 e B.1.351. Os títulos de anticorpos neutralizantes induzidos por duas doses da vacina mostraram atividade significativamente reduzida face às variantes, com correlação com o aumento da idade.

Wall EC, Wu M, Harvey R, Kelly G, Warchal S, Sawyer C, et al. Neutralising antibody activity against SARS-CoV-2 VOCs B.1.617.2 and B.1.351 by BNT162b2 vaccination. Lancet. 2021 Jun 19;397(10292):2331-2333. doi: 10.1016/S0140-6736(21)01290-3. 

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901290-3

Estudo prospetivo e observacional, que avaliou a eficácia e segurança de uma vs. duas doses da vacina contra a COVID-19 BNT162b2 (Comirnaty®) em indivíduos com cancro. Concluiu que, neste grupo, a administração de uma dose é pouco eficaz, particularmente em indivíduos com cancros hematológicos, realçando a importância da administração da segunda dose no intervalo adequado. 

Monin L, Laing AG, Muñoz-Ruiz M, McKenzie DR, Del Molino Del Barrio I, Alaguthurai T, et al. Safety and immunogenicity of one versus two doses of the COVID-19 vaccine BNT162b2 for patients with cancer: interim analysis of a prospective observational study. Lancet Oncol. 2021 Jun; 22(6): 765-778. doi: 10.1016/S1470-2045(21)00213-8. 

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S1470-2045%2821%2900213-8

Avaliação do efeito neutralizante dos anticorpos produzidos pela vacina BNT162b2 (Comirnaty®) sobre as variantes B.1.617.1, B.1.617.2, B.1.618 (identificadas inicialmente na Índia) ou B.1.525 (identificada inicialmente na Nigéria) com recurso ao soro de indivíduos obtido 2 ou 4 semanas após a segunda dose. Ocorreu apenas uma redução modesta na capacidade de neutralização das variantes, mais acentuada para a variante B.1.617.1 que, contudo, foi eficientemente neutralizada.

Liu J, Liu Y, Xia H, Zou J, Weaver SC, Swanson KA, Cai H, Cutler M, Cooper D, Muik A, Jansen KU, Sahin U, Xie X, Dormitzer PR, Shi PY. BNT162b2-elicited neutralization of B.1.617 and other SARS-CoV-2 variants. Nature. 2021 Jun 10. doi: 10.1038/s41586-021-03693-y. 

https://www.nature.com/articles/s41586-021-03693-y_reference.pdf

Documento elaborado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), que proporciona uma perspetiva global sobre o progresso das estratégias nacionais de vacinação nos diferentes países da União Europeia e do Espaço Económico Europeu. 

European Centre for Disease Prevention and Control. Overview of the implementation of COVID-19 vaccination strategies and deployment plans in the EU/EEA14 June 2021. Stockholm: ECDC; 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Overview-of-the-implementation-of-COVID-19-vaccination-strategies-and-deployment-plans-14-June-2021.pdf

Estudo multinacional aleatorizado que avaliou a imunogenicidade, eficácia e segurança da vacina BNT162b2 (Comirnaty®) em adolescentes entre os 12 e os 15 anos. Nesta população, a vacina desencadeou uma resposta imunitária superior à obtida em adultos jovens e mostrou-se altamente eficaz, com um perfil de segurança favorável.

Frenck RW Jr, Klein NP, Kitchin N, Gurtman A, Absalon J, Lockhart S, et al; C4591001 Clinical Trial Group. Safety, Immunogenicity, and Efficacy of the BNT162b2 Covid-19 Vaccine in Adolescents. N Engl J Med. 2021 May 27. doi: 10.1056/NEJMoa2107456. 

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2107456?articleTools=true

Estudo observacional e prospetivo, que avaliou o reporte de sintomas locais e sistémicos pelos utilizadores da COVID Symptom Study app no intervalo de 8 dias após receberem a vacina BNT162b2 (Comirnaty®) ou ChAdOx1 nCoV-19 (Vaxzevria®), bem como o risco de infeção comparativamente a indivíduos não vacinados. A frequência de efeitos adversos foi inferior à reportada nos ensaios clínicos de fase 3 e foi observada uma diminuição significativa do risco de infeção, com início 12 dias após a primeira dose.

Menni C, Klaser K, May A, Polidori L, Capdevila J, Louca P, et al. Vaccine side-effects and SARS-CoV-2 infection after vaccination in users of the COVID Symptom Study app in the UK: a prospective observational study. Lancet Infect Dis. 2021 Apr 27: S1473-3099(21)00224-3. doi: 10.1016/S1473-3099(21)00224-3.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S1473-3099%2821%2900224-3

Divulgação, pela Agência Europeia do Medicamento (EMA na sigla em inglês), de recomendações elaboradas por diversas sociedades científicas acerca da avaliação e manejo de indivíduos com sinais e sintomas de síndrome de trombose com trombocitopenia após vacinação com Vaxzevria® ou COVID-19 Vaccine Janssen®. É sugerido ter em consideração o documento elaborado pela International Society on Thrombosis and Haemostasis (ISTH) caso não existam normas nacionais.

EMA raises awareness of clinical care recommendations to manage suspected thrombosis with thrombocytopenia syndrome. European Medicines Agency. News 07/06/2021.

https://www.ema.europa.eu/en/news/ema-raises-awareness-clinical-care-recommendations-manage-suspected-thrombosis-thrombocytopenia

Estudo, em contexto real, da efetividade de duas doses da vacina mRNA BNT162b2 (Comirnaty®) em diversos parâmetros associados à infeção por SARS-CoV-2. A vacina mostrou-se altamente eficaz na prevenção da infeção sintomática e assintomática por SARS-CoV-2, inclusive pela variante B.1.1.7, bem como na prevenção de hospitalização, doença grave e morte. Ocorreu ainda uma redução progressiva na incidência da infeção.

Haas EJ, Angulo FJ, McLaughlin JM, Anis E, Singer SR, Khan F, et al. Impact and effectiveness of mRNA BNT162b2 vaccine against SARS-CoV-2 infections and COVID-19 cases, hospitalisations, and deaths following a nationwide vaccination campaign in Israel: an observational study using national surveillance data. Lancet. 2021 May 15; 397(10287): 1819-1829. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00947-8.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900947-8

Avaliação, em contexto real, do efeito da administração de vacinas contra a COVID-19 (Comirnaty® ou COVID-19 Vaccine Moderna®) no risco de hospitalização por COVID-19 em indivíduos com idade ≥65 anos. A proteção contra hospitalização foi de 94% nos indivíduos totalmente vacinados e de 64% nos indivíduos parcialmente vacinados.

THaas EJ, Angulo FJ, McLaughlin JM, Anis E, Singer SR, Khan F, et al. Impact and effectiveness of mRNA BNT162b2 vaccine against SARS-CoV-2 infections and COVID-19 cases, hospitalisations, and deaths following a nationwide vaccination campaign in Israel: an observational study using national surveillance data. Lancet. 2021 May 15; 397(10287): 1819-1829. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00947-8. enforde MW, Olson SM, Self WH, Talbot HK, Lindsell CJ, Steingrub JS, et al; IVY Network; HAIVEN Investigators. Effectiveness of Pfizer-BioNTech and Moderna Vaccines Against COVID-19 Among Hospitalized Adults Aged ≥65 Years - United States, January-March 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021 May 7; 70(18): 674-679. doi: 10.15585/mmwr.mm7018e1.

https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm7018e1-H.pdf

Ensaio clínico realizado na África do Sul para estudar a eficácia da vacina NVX-CoV2373 (Novavax) na prevenção da COVID-19. A vacina mostrou eficácia na prevenção da COVID-19 e uma aceitável segurança, com maior eficácia observada entre participantes HIV-negativos. A maioria das infeções foi causada pela variante B.1.351.

Shinde V, Bhikha S, Hoosain Z, Archary M, Bhorat Q, Fairlie L, et al. Efficacy of NVX-CoV2373 Covid-19 Vaccine against the B.1.351 Variant. N Engl J Med. 2021 May 20; 384(20): 1899-1909. doi: 10.1056/NEJMoa2103055.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2103055?articleTools=true

Revisão dos desafios colocados pelas mutações da proteína da espícula (spike) do vírus SARS-CoV-2 no desenvolvimento e na eficácia de vacinas baseadas neste antigénio.

Jia Z, Gong W. Will Mutations in the Spike Protein of SARS-CoV-2 Lead to the Failure of COVID-19 Vaccines? J Korean Med Sci. 2021 May 10; 36(18): e124. doi: 10.3346/jkms.2021.36.e124.

https://jkms.org/pdf/10.3346/jkms.2021.36.e124

Pequeno estudo de coortes que avaliou a imunogenicidade de vacinas de RNA mensageiro (mRNA) COVID-19 em mulheres grávidas e em mulheres a amamentar. As vacinas foram imunogénicas e induziram respostas imunes contra as variantes do SARS-CoV-2.

Collier AY, McMahan K, Yu J, Tostanoski LH, Aguayo R, Ansel J, et al. Immunogenicity of COVID-19 mRNA Vaccines in Pregnant and Lactating Women. JAMA. 2021 May 13. doi: 10.1001/jama.2021.7563.

https://www.bmj.com/content/bmj/373/bmj.n1114.full.pdf

Avaliação da efetividade em contexto real das vacinas Pfizer-BioNTech BNT162b2 e Oxford-AstraZeneca ChAdOx1-S (Comirnaty® e Vaxzevria® na União Europeia) nos sintomas de COVID-19, internamentos e mortalidade entre indivíduos mais velhos. A administração de uma única dose proporcionou 60-70% de proteção contra COVID-19 sintomática e cerca de 80% contra admissão hospitalar, com um efeito claro contra a variante B.1.1.7.

Lopez Bernal J, Andrews N, Gower C, Robertson C, Stowe J, Tessier E, et al. Effectiveness of the Pfizer-BioNTech and Oxford-AstraZeneca vaccines on covid-19 related symptoms, hospital admissions, and mortality in older adults in England: test negative case-control study. BMJ. 2021 May 13; 373: n1088. doi: 10.1136/bmj.n1088.
https://www.bmj.com/content/bmj/373/bmj.n1088.full.pdf

Revisão sobre o conhecimento atual acerca da patogénese, caraterísticas clínicas e laboratoriais, tratamento e questões em aberto na abordagem da trombocitopenia associada a trombose reportada após vacinação contra a COVID-19 com vacinas de vetor adenoviral.

McCrae KR. Thrombotic thrombocytopenia due to SARS-CoV-2 vaccination. Cleve Clin J Med. 2021 May 6. doi: 10.3949/ccjm.88a.ccc078

https://www.ccjm.org/content/ccjom/early/2021/05/06/ccjm.88a.ccc078.full.pdf

Investigação, na Dinamarca e Noruega, das taxas de eventos cardiovasculares e hematológicos surgidos nos 28 dias posteriores à administração da primeira dose da vacina ChAdOx1-S (Vaxzevria previously COVID-19 Vaccine AstraZeneca). Foi detetado uma taxa aumentada de eventos tromboembólicos venosos, incluindo trombose dos seios venosos cerebrais, mas o risco absoluto destes eventos foi pequeno.

Pottegård A, Lund LC, Karlstad Ø, Dahl J, Andersen M, Hallas J, et al. Arterial events, venous thromboembolism, thrombocytopenia, and bleeding after vaccination with Oxford-AstraZeneca ChAdOx1-S in Denmark and Norway: population based cohort study. BMJ. 2021 May 5; 373: n1114. doi: 10.1136/bmj.n1114.

https://www.bmj.com/content/bmj/373/bmj.n1114.full.pdf

Avaliação, com base em simulações, do impacto da aceleração da vacinação na sobrecarga da COVID-19 causada pelas novas variantes. Concluem que o ritmo de vacinação atual é insuficiente para prevenir uma exacerbação da pandemia devido a novas variantes mais contagiosas.

Sah P, Vilches TN, Moghadas SM, Fitzpatrick MC, Singer BH, Hotez PJ, Galvani AP. Accelerated vaccine rollout is imperative to mitigate highly transmissible COVID-19 variants. EClinicalMedicine. 2021 May; 35: 100865. doi: 10.1016/j.eclinm.2021.100865.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2589-5370%2821%2900145-0

Investigação do impacto da implementação massiva da primeira inoculação das vacinas BNT162b2 mRNA (Pfizer–BioNTech) e ChAdOx1 nCoV-19 (Oxford–AstraZeneca), na Escócia, nos internamentos hospitalares devido à COVID-19. Ocorreu uma diminuição substancial dos internamentos hospitalares nos 28-34 dias após a administração (91% e 88%, respetivamente), similar nos indivíduos de maior risco, com um efeito combinado de 83% em indivíduos com idade ≥ 80 anos.

Vasileiou E, Simpson CR, Shi T, Kerr S, Agrawal U, Akbari A, et al. Interim findings from first-dose mass COVID-19 vaccination roll-out and COVID-19 hospital admissions in Scotland: a national prospective cohort study. Lancet. 2021 May 1;397(10285):1646-1657. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00677-2.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900677-2

Documento elaborado por sociedades científicas dos EUA, com o propósito de informar acerca do diagnóstico e tratamento da trombose dos seios venosos cerebrais, relacionada com a trombocitopenia e tromboembolismo associado à administração de vacinas contra a COVID-19 contendo vetores adenovirais.

American Heart Association/American Stroke Association Stroke Council Leadership. Diagnosis and Management of Cerebral Venous Sinus Thrombosis with Vaccine-Induced Thrombotic Thrombocytopenia. Stroke. 2021 Apr 29. doi: 10.1161/STROKEAHA.121.035564.

https://www.ahajournals.org/doi/pdf/10.1161/STROKEAHA.121.035564

Resultados preliminares dos dados de reatogenicidade de esquemas heterólogos de imunização, utilizando as vacinas contra a COVID-19 Comirnaty® e Vaxzevria®. Quando administrados com um intervalo de 4 semanas a indivíduos com idade ≥ 50 anos, os esquemas heterólogos (vacinas diferentes na primeira e segunda administração) induziram mais frequentemente reações sistémicas, de curta duração, do que os esquemas homólogos.

Shaw RH, Stuart A, Greenland M, Liu X, Van-Tam JSN, Snape MD, et al. Heterologous prime-boost COVID-19 vaccination: initial reactogenicity data. Lancet 2021; published online May 12. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(21)01115-6.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2901115-6

Documento elaborado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), com uma revisão das atuais recomendações de uso da vacina Vaxzevria® nos vários países europeus, e com um resumo da evidência atual que possa auxiliar os países na tomada de decisões acerca da administração da segunda dose.

European Centre for Disease Prevention and Control. Overview of EU/EEA country recommendations on COVID-19 vaccination with Vaxzevria, and a scoping review of evidence to guide decision-making. 18 May 2021. Stockholm: ECDC; 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/en/publications-data/overview-eueea-country-recommendations-covid-19-vaccination-vaxzevria-and-scoping

Relato dos casos clínicos de 5 profissionais de saúde que desenvolveram trombose e trombocitopenia 7 a 10 dias após inoculação com a primeira dose da vacina ChAdOx1 nCoV-19 (Vaxzevria previously COVID-19 Vaccine AstraZeneca).

Schultz NH, Sørvoll IH, Michelsen AE, Munthe LA, Lund-Johansen F, Ahlen MT, Wiedmann M, Aamodt AH, Skattør TH, Tjønnfjord GE, Holme PA. Thrombosis and Thrombocytopenia after ChAdOx1 nCoV-19 Vaccination. N Engl J Med. 2021 Apr 9. doi: 10.1056/NEJMoa2104882.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2104882?articleTools=true

Estudo que comparou as respostas humorais e celulares induzidas pela administração de uma dose da vacina BNT162b2 (Comirnaty® na União Europeia) contra as variantes B.1.1.7 e B.1.351 em indivíduos com ou sem infeção prévia pelo vírus SARS-CoV-2. Mostrou que indivíduos com infeção prévia desenvolvem melhor resposta imunitária contra as variantes.

Reynolds CJ, Pade C, Gibbons JM, Butler DK, Otter AD, Menacho K, Fontana M, Smit A, Sackville-West JE, Cutino-Moguel T, Maini MK, Chain B, Noursadeghi M; UK COVIDsortium Immune Correlates Network, Brooks T, Semper A, Manisty C, Treibel TA, Moon JC; UK COVIDsortium Investigators, Valdes AM, McKnight Á, Altmann DM, Boyton R. Prior SARS-CoV-2 infection rescues B and T cell responses to variants after first vaccine dose. Science. 2021 Apr 30: eabh1282. doi: 10.1126/science.abh1282.

https://science.sciencemag.org/content/sci/early/2021/04/29/science.abh1282.full.pdf

Ensaio clínico de fase 3 que investigou a segurança e eficácia da vacina Ad26.COV2.S (Janssen/Johnson & Johnson) na proteção contra COVID-19 moderada a grave. A administração de uma dose única mostrou ser segura e possuir uma eficácia de cerca de 66% contra casos moderados a graves e superior contra casos graves a críticos (76,7% para casos surgidos ≥ 14 dias e 85,4% em casos com início ≥ 28 dias).

Sadoff J, Gray G, Vandebosch A, Cárdenas V, Shukarev G, Grinsztejn B, et al; ENSEMBLE Study Group. Safety and Efficacy of Single-Dose Ad26.COV2.S Vaccine against Covid-19. N Engl J Med. 2021 Apr 21. doi: 10.1056/NEJMoa2101544.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2101544?articleTools=true

Estudo de coortes, multicêntrico e prospetivo, que avaliou os fatores associados à cobertura vacinal contra a COVID-19 em profissionais de saúde ingleses e a efetividade da vacina BNT162b2 (Comirnaty® na União Europeia). Entre os fatores associados a menor cobertura vacinal incluem-se infeção prévia, sexo feminino, ou pertencer a uma minoria étnica. A efetividade da vacina foi de 70% 21 dias após a primeira dose e de 85% 7 dias após a segunda dose.

Hall VJ, Foulkes S, Saei A, Andrews N, Oguti B, Charlett A, et al; SIREN Study Group. COVID-19 vaccine coverage in health-care workers in England and effectiveness of BNT162b2 mRNA vaccine against infection (SIREN): a prospective, multicentre, cohort study. Lancet. 2021 May 8;397(10286):1725-1735. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00790-X. Epub 2021 Apr 23. PMID: 33901423; PMCID: PMC8064668.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900790-X

Relato de dois casos de infeção por variantes do vírus SARS-CoV-2 numa coorte de 417 indivíduos que haviam recebido, pelo menos duas semanas antes, a segunda dose de uma vacina contra a COVID-19 baseada em mRNA.

Hacisuleyman E, Hale C, Saito Y, Blachere NE, Bergh M, Conlon EG, et al. Vaccine Breakthrough Infections with SARS-CoV-2 Variants. N Engl J Med. 2021 Apr 21. doi: 10.1056/NEJMoa2105000.
https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2105000?articleTools=true


Descrição dos casos de trombose dos seios venosos cerebrais com trombocitopenia relatados nos EUA após administração da vacina contra a COVID-19 Ad26.COV2.S (Janssen/Johnson & Johnson). São referidas as manifestações clínicas, os achados laboratoriais e os resultados clínicos.

See I, Su JR, Lale A, Woo EJ, Guh AY, Shimabukuro TT, et al. US Case Reports of Cerebral Venous Sinus Thrombosis With Thrombocytopenia After Ad26.COV2.S Vaccination, March 2 to April 21, 2021. JAMA. 2021 Apr 30. doi: 10.1001/jama.2021.7517.
https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2779731


Revisão dos aspetos farmacêuticos a considerar no desenvolvimento das vacinas contra a COVID-19, como a seleção de antigénios, plataformas de veiculação do antigénio, adjuvantes e características das formulações.

Hofman K, Shenoy GN, Chak V, Balu-Iyer SV. Pharmaceutical Aspects and Clinical Evaluation of COVID-19 Vaccines. Immunol Invest. 2021 Apr 30: 1-37. doi: 10.1080/08820139.2021.1904977.
https://www.tandfonline.com/doi/pdf/10.1080/08820139.2021.1904977?needAccess=true


Relato dos achados clínicos e laboratoriais de 23 doentes que desenvolveram trombose e trombocitopenia após administração da primeira dose da vacina ChAdOx1 nCoV-19 (Vaxzevria previously COVID-19 Vaccine AstraZeneca). Os autores apontam para a possibilidade de esta síndrome estar relacionada com formação de anticorpos contra o fator plaquetário-4 e propõem um algoritmo de diagnóstico e tratamento.

Scully M, Singh D, Lown R, Poles A, Solomon T, Levi M, Goldblatt D, Kotoucek P, Thomas W, Lester W. Pathologic Antibodies to Platelet Factor 4 after ChAdOx1 nCoV-19 Vaccination. N Engl J Med. 2021 Apr 16. doi: 10.1056/NEJMoa2105385.
https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2105385?articleTools=true

Revisão da evidência acerca das implicações das novas variantes do vírus SARS-CoV-2 na atividade dos anticorpos neutralizantes e na eficácia protetora das vacinas disponíveis. São propostas estratégias para a utilização das vacinas atuais e para o desenvolvimento de vacinas futuras.

Bian L, Gao F, Zhang J, He Q, Mao Q, Xu M, Liang Z. Effects of SARS-CoV-2 variants on vaccine efficacy and response strategies. Expert Rev Vaccines. 2021 Apr 14: 1-9. doi: 10.1080/14760584.2021.1903879.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8054487/pdf/IERV_0_1903879.pdf

Relato dos dados preliminares acerca da segurança das vacinas contra a COVID-19 baseadas em mRNA durante a gravidez, com base em dados de 3 sistemas de monitorização da segurança de vacinas existentes nos EUA. Não foram reportados sinais de segurança óbvios associados à vacinação durante o 3.º trimestre.

Shimabukuro TT, Kim SY, Myers TR, Moro PL, Oduyebo T, Panagiotakopoulos L, et al; CDC v-safe COVID-19 Pregnancy Registry Team. Preliminary Findings of mRNA Covid-19 Vaccine Safety in Pregnant Persons. N Engl J Med. 2021 Apr 21. doi: 10.1056/NEJMoa2104983.
https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2104983?articleTools=true

Revisão acerca do estado da arte do desenvolvimento de vacinas contra o vírus SARS-CoV-2. Aporta ainda dados comparativos sobre os reagentes e ensaios imunológicos utilizados para avaliar a imunogenicidade das vacinas e aborda o impacto das novas variantes no seu desenvolvimento.

Kumar A, Dowling WE, Román RG, Chaudhari A, Gurry C, Le TT, Tollefson S, Clark CE, Bernasconi V, Kristiansen PA. Status Report on COVID-19 Vaccines Development. Curr Infect Dis Rep. 2021;23(6):9. doi: 10.1007/s11908-021-00752-3.
https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s11908-021-00752-3.pdf

Análise exploratória de um ensaio clínico da vacina ChAdOx1 nCoV-19 (Vaxzevria previously COVID-19 Vaccine AstraZeneca) que avaliou a sua eficácia contra a variante 202012/01 (B.1.1.7). Concluiu que, apesar de uma menor capacidade neutralizante in vitro, a vacina demonstrou eficácia clínica contra COVID-19 sintomática.

Emary KRW, Golubchik T, Aley PK, Ariani CV, Angus B, Bibi S, et al; COVID-19 Genomics UK consortium; AMPHEUS Project; Oxford COVID-19 Vaccine Trial Group. Efficacy of ChAdOx1 nCoV-19 (AZD1222) vaccine against SARS-CoV-2 variant of concern 202012/01 (B.1.1.7): an exploratory analysis of a randomised controlled trial. Lancet. 2021 Apr 10;397(10282):1351-1362. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00628-0.
https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900628-0

Estudo de pequena dimensão que investigou a presença de anticorpos contra o SARS-CoV-2 no leite materno em mulheres que haviam recebido 2 doses de vacina contra a COVID-19 Pfizer-BioNTech (Comirnaty® na União Europeia). Foi detetada uma significativa secreção de anticorpos específicos anti-SARS-CoV-2 IgA e IgG durante seis semanas após a vacinação.

Perl SH, Uzan-Yulzari A, Klainer H, Asiskovich L, Youngster M, Rinott E, Youngster I. SARS-CoV-2-Specific Antibodies in Breast Milk After COVID-19 Vaccination of Breastfeeding Women. JAMA. 2021 Apr 12. doi: 10.1001/jama.2021.5782.
https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2778766

Estudo em contexto real que avaliou a eficácia das vacinas contra a COVID-19 baseadas em mRNA em coortes de profissionais de saúde e outros trabalhadores essenciais, ao longo de 13 semanas. A administração de 2 doses destas vacinas mostrou uma eficácia de 90% contra infeção pelo vírus SARS-CoV-2 confirmada por teste PCR em tempo real.

Thompson MG, Burgess JL, Naleway AL, Tyner HL, Yoon SK, Meece J, et al. Interim Estimates of Vaccine Effectiveness of BNT162b2 and mRNA-1273 COVID-19 Vaccines in Preventing SARS-CoV-2 Infection Among Health Care Personnel, First Responders, and Other Essential and Frontline Workers - Eight U.S. Locations, December 2020-March 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021 Apr 2; 70(13): 495-500. doi: 10.15585/mmwr.mm7013e3. PMID: 33793460.
https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm7013e3-H.pdf

Estudo que avaliou a passagem transplacentária de anticorpos em 20 parturientes que haviam recebido 2 doses de vacina contra a COVID-19 BNT162b2 (Comirnaty® na União Europeia). Todas as parturientes e recém-nascidos possuíam anticorpos IgG anti-proteína spike e anti domínio de ligação ao receptor. As concentrações de anticorpos no sangue do cordão umbilical mostraram correlação com os níveis maternos e com o tempo desde a inoculação.

CDC Interim Recommendations for Fully Vaccinated People. Centers for Disease Control and Prevention. Last Updated Apr. 2, 2021Rottenstreich A, Zarbiv G, Oiknine-Djian E, Zigron R, Wolf DG, Porat S. Efficient maternofetal transplacental transfer of anti- SARS-CoV-2 spike antibodies after antenatal SARS-CoV-2 BNT162b2 mRNA vaccination. Clin Infect Dis. 2021 Apr 3:ciab266. doi: 10.1093/cid/ciab266. Epub ahead of print. PMID: 33822014.
https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab266/6209876

Descrição do curso clínico e dados laboratoriais de 11 indivíduos que desenvolveram trombose e trombocitopenia após inoculação com a vacina ChAdOx1 nCov-19 (Vaxzevria previously COVID-19 Vaccine AstraZeneca). São indicadas potenciais estratégias para o diagnóstico e tratamento dos casos suspeitos.

Greinacher A, Thiele T, Warkentin TE, Weisser K, Kyrle PA, Eichinger S. Thrombotic Thrombocytopenia after ChAdOx1 nCov-19 Vaccination. N Engl J Med. 2021 Apr 9. doi: 10.1056/NEJMoa2104840. Epub ahead of print. PMID: 33835769.
https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2104840?articleTools=true

Recomendações dos Centers for Disease Control and Prevention acerca das atividades que os indivíduos com vacinação completa contra a COVID-19 podem efetuar, bem como das medidas preventivas que têm de continuar a manter.

CDC Interim Recommendations for Fully Vaccinated People. Centers for Disease Control and Prevention. Last Updated Apr. 2, 2021.
https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/vaccines/fully-vaccinated-guidance.html

Documento elaborado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) acerca dos desafios observados pelos países europeus na implementação dos programas de vacinação contra a COVID-19 e formas de os mitigar.

European Centre for Disease Prevention and Control. Rollout of COVID-19 vaccines in the EU/EEA: challenges and good practice. 29 March 2021. Stockholm: ECDC; 2021.
https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Rollout%20of%20COVID-19%20vaccinations%20in%20the%20EU-EEA-%20challenges-good-practice.pdf

Estudo, em contexto real, que descreve a ocorrência de carga viral reduzida em indivíduos infetados pelo vírus SARS-CoV-2 num intervalo entre 12-37 dias após serem inoculados com a primeira dose da vacina BNT162b2 (Comirnaty® na União Europeia).

Levine-Tiefenbrun M, Yelin I, Katz R, Herzel E, Golan Z, Schreiber L, Wolf T, Nadler V, Ben-Tov A, Kuint J, Gazit S, Patalon T, Chodick G, Kishony R. Initial report of decreased SARS-CoV-2 viral load after inoculation with the BNT162b2 vaccine. Nat Med. 2021 Mar 29. doi: 10.1038/s41591-021-01316-7.
https://www.nature.com/articles/s41591-021-01316-7.pdf

Estudo prospetivo, que avaliou a imunogenicidade das vacinas contra a COVID-19 baseadas em RNA mensageiro numa coorte de indivíduos transplantados com órgão sólido. Mostrou que a maioria dos indivíduos desenvolveu um baixo título de anticorpos antiproteína spike.

Boyarsky BJ, Werbel WA, Avery RK, Tobian AAR, Massie AB, Segev DL, Garonzik-Wang JM. Immunogenicity of a Single Dose of SARS-CoV-2 Messenger RNA Vaccine in Solid Organ Transplant Recipients. JAMA. 2021 Mar 15:e214385. doi: 10.1001/jama.2021.4385.
https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777685

Descrição das diversas variáveis a considerar ao efetuar comparações entre medidas de eficácia reportadas nos ensaios clínicos das vacinas contra a COVID-19, tais como caraterísticas da população, estirpes, prevalência e transmissão do vírus, conceção do estudo, entre outras.

Rapaka RR, Hammershaimb EA, Neuzil KM. Are some COVID vaccines better than others? Interpreting and comparing estimates of efficacy in trials of COVID-19 vaccines. Clin Infect Dis. 2021 Mar 6: ciab213. doi: 10.1093/cid/ciab213.

https://academic.oup.com/cid/advance-article/doi/10.1093/cid/ciab213/6159795

Ensaio multicêntrico, controlado, aleatorizado e com dupla ocultação que avaliou a eficácia e segurança da vacina ChAdOx1 nCoV-19 (Vaxzevria® na União Europeia) contra a variante B.1.351 (501Y.V2) do vírus SARS-CoV-2, identificada na África do Sul. Os autores concluem que esta vacina não confere proteção contra COVID-19 ligeira a moderada causada por esta variante, uma vez que a eficácia contra esta variante foi somente de 10,4%.

Madhi SA, Baillie V, Cutland CL, Voysey M, Koen AL, Fairlie L, et al; NGS-SA Group Wits–VIDA COVID Group. Efficacy of the ChAdOx1 nCoV-19 Covid-19 Vaccine against the B.1.351 Variant. N Engl J Med. 2021 Mar 16. doi: 10.1056/NEJMoa2102214.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2102214?articleTools=true

Caso clínico que descreve a passagem transplacentária de anticorpos de uma grávida vacinada, às 32 e 35 semanas de gestação, com a vacina contra a COVID-19 BNT162b2 (Comirnaty® na União Europeia).

Gill L, Jones CW. Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2 (SARS-CoV-2) Antibodies in Neonatal Cord Blood After Vaccination in Pregnancy. Obstet Gynecol. 2021 Mar 8. doi: 10.1097/AOG.0000000000004367.

https://journals.lww.com/greenjournal/Fulltext/9900/Severe_Acute_Respiratory_Syndrome_Coronavirus_2.122.aspx

Estudo de pequena dimensão, que avaliou a resposta de indivíduos com infeção prévia pelo SARS-CoV-2 a uma única dose de vacina mRNA contra a COVID-19. Em indivíduos seropositivos, a administração de uma dose única originou títulos de anticorpos semelhantes ou superiores aos de indivíduos seronegativos vacinados com duas doses.

Krammer F, Srivastava K, Alshammary H, Amoako AA, Awawda MH, Beach KF, et al. Antibody Responses in Seropositive Persons after a Single Dose of SARS-CoV-2 mRNA Vaccine. N Engl J Med. 2021 Mar 10. doi: 10.1056/NEJMc2101667.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMc2101667?articleTools=true

Revisão que aborda as dificuldades em avaliar a eficácia das vacinas contra o SARS-CoV-2 em investigação e as ressalvas necessárias ao interpretar os resultados de eficácia reportados. Alerta para a necessidade de uma abordagem padronizada na sua avaliação, que permita comparações adequadas entre as diferentes vacinas.

Hodgson SH, Mansatta K, Mallett G, Harris V, Emary KRW, Pollard AJ. What defines an efficacious COVID-19 vaccine? A review of the challenges assessing the clinical efficacy of vaccines against SARS-CoV-2. Lancet Infect Dis. 2021 Feb; 21(2): e26-e35. doi: 10.1016/S1473-3099(20)30773-8..

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7837315/pdf/main.pdf

Estudo prospetivo que investigou a incidência de reações alérgicas agudas após administração de mais de 60 000 doses de vacinas mRNA contra a COVID-19. Ocorreram reações alérgicas graves numa taxa de 2,47 casos por 10 000 vacinações, na maioria dos casos em indivíduos com história prévia de alergias.

Blumenthal KG, Robinson LB, Camargo CA Jr, Shenoy ES, Banerji A, Landman AB, Wickner P. Acute Allergic Reactions to mRNA COVID-19 Vaccines. JAMA. 2021 Mar 8. doi: 10.1001/jama.2021.3976. Epub ahead of print.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777417

Estudo de pequena dimensão, que avaliou o efeito da infeção prévia por SARS-CoV-2 na resposta humoral e celular a uma dose da vacina BNT162b2 (Comirnaty®). Concluiu que indivíduos previamente infetados geralmente desenvolvem fortes respostas imunitárias humorais e celulares após administração de uma única dose da vacina.

Prendecki M, Clarke C, Brown J, Cox A, Gleeson S, Guckian M, Randell P, Pria AD, Lightstone L, Xu XN, Barclay W, McAdoo SP, Kelleher P, Willicombe M. Effect of previous SARS-CoV-2 infection on humoral and T-cell responses to single-dose BNT162b2 vaccine. Lancet. 2021 Feb 25:S0140-6736(21)00502-X. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00502-X.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900502-X

Documento orientador, elaborado por peritos, com o objetivo de proporcionar aos profissionais de saúde informação fidedigna que lhes permita corrigir alegações incorretas sobre as vacinas contra a COVID-19.

Hotez P, Batista C, Ergonul O, Figueroa JP, Gilbert S, Gursel M, et al. Correcting COVID-19 vaccine misinformation: Lancet Commission on COVID-19 Vaccines and Therapeutics Task Force Members. EClinicalMedicine. 2021 Mar; 33: 100780. doi: 10.1016/j.eclinm.2021.100780.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7935671/pdf/main.pdf

Apresentação efetuada num evento do Comité Americano de Vacinação (ACIP), que aborda as implicações do surgimento de novas variantes do vírus SARS-CoV-2 na eficácia das vacinas existentes.

Scobie H. Emerging SARS-CoV-2 Variants: Considerations for Vaccine. Advisory Committee on Imunization Practices (ACIP) Meeting March 1, 2021.

https://www.cdc.gov/vaccines/acip/meetings/downloads/slides-2021-02/28-03-01/07-COVID-Scobie.pdf

Revisão das caraterísticas das vacinas contra a COVID-19 atualmente existentes a nível global.

Creech CB, Walker SC, Samuels RJ. SARS-CoV-2 Vaccines. JAMA. 2021 Feb 26. doi: 10.1001/jama.2021.3199. Epub ahead of print. PMID: 33635317.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777059

Ensaio clínico de fase I, aleatorizado, controlado por placebo e com dupla ocultação, que avaliou a imunogenicidade da vacina contra a COVID-19 Ad26.COV2.S (Janssen/Johnson & Johnson). A administração de uma única dose mostrou induzir rápida resposta humoral, com formação de anticorpos de união e neutralizantes, bem como respostas imunitárias celulares.

Stephenson KE, Le Gars M, Sadoff J, de Groot AM, Heerwegh D, Truyers C, et al. Immunogenicity of the Ad26.COV2.S Vaccine for COVID-19. JAMA. 2021 Mar 11. doi: 10.1001/jama.2021.3645.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2777598

Estudo que avaliou a sensibilidade da nova variante VOC 202012/01 (B.1.1.7) aos anticorpos induzidos pela vacina BNT162b2 mRNA (Comirnaty®) em indivíduos inoculados com uma ou duas doses. Concluiu que ocorreu uma pequena redução da capacidade neutralizante do soro de indivíduos vacinados face a esta variante, mais marcada com a administração de uma única dose.

Collier DA, De Marco A, Ferreira IATM, Meng B, Datir R, Walls AC, Kemp S SA, Bassi J, Pinto D, Fregni CS, Bianchi S, Tortorici MA, Bowen J, Culap K, Jaconi S, Cameroni E, Snell G, Pizzuto MS, Pellanda AF, Garzoni C, Riva A; CITIID-NIHR BioResource COVID-19 Collaboration, Elmer A, Kingston N, Graves B, McCoy LE, Smith KGC, Bradley JR, Temperton N, Lourdes Ceron-Gutierrez L, Barcenas-Morales G; COVID-19 Genomics UK (COG-UK) consortium, Harvey W, Virgin HW, Lanzavecchia A, Piccoli L, Doffinger R, Wills M, Veesler D, Corti D, Gupta RK. Sensitivity of SARS-CoV-2 B.1.1.7 to mRNA vaccine-elicited antibodies. Nature. 2021 Mar 11. doi: 10.1038/s41586-021-03412-7.

https://www.nature.com/articles/s41586-021-03412-7_reference.pdf

Desafios no desenvolvimento e produção de vacinas contra a COVID-19 e na implementação de programas de vacinação, que assegurem o acesso global.

Wouters OJ, Shadlen KC, Salcher-Konrad M, Pollard AJ, Larson HJ, Teerawattananon Y, Jit M. Challenges in ensuring global access to COVID-19 vaccines: production, affordability, allocation, and deployment. Lancet. 2021 Feb 12:S0140-6736(21)00306-8. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00306-8.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900306-8

Avaliação do impacto da implementação do programa nacional de vacinação na ocorrência de casos graves de COVID-19 em Israel, utilizando como parâmetro o número de doentes com necessidade de ventilação mecânica. Foi comparada a razão entre o número de doentes com idade igual ou superior a 70 anos (maior cobertura vacinal) e o número de doentes com menos de 50 anos (menor cobertura vacinal) com necessidade de ventilação em dois períodos, antes e após a implementação do programa. Verificou-se uma diminuição de 67% na razão da necessidade de ventilação entre os dois grupos, o que sugere que a vacinação resulta em redução da taxa de COVID-19 grave.

Rinott E, Youngster I, Lewis YE. Reduction in COVID-19 Patients Requiring Mechanical Ventilation Following Implementation of a National COVID-19 Vaccination Program - Israel, December 2020-February 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021 Mar 5;70(9):326-328. doi: 10.15585/mmwr.mm7009e3.

https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm7009e3-H.pdf

Casos de anafilaxia reportados nos Estados Unidos da América após administração da primeira dose da vacina Pfizer-BioNTech (Comirnaty® na União Europeia) e suas caraterísticas clínicas.

Casos de anafilaxia reportados nos Estados Unidos da América após administração da primeira dose da vacina Pfizer-BioNTech (Comirnaty® na União Europeia) e suas caraterísticas clínicas.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2775646

Compilação de resultados de 4 ensaios clínicos efetuados com a vacina contra a COVID-19 ChAdOx1 nCoV-19 (AZD1222) (Universidade de Oxford/AstraZeneca). Foi avaliada a eficácia da vacina, a imunogenicidade da primeira dose vacinal, bem como o efeito de doses de reforço administradas a diferentes intervalos de tempo. A sua eficácia global foi de 66,7% mais de 14 dias após a segunda dose. Análises exploratórias mostraram que a eficácia da vacina foi de 76% após a primeira dose, entre os dias 22-90 após a vacinação, e que ocorreu maior eficácia após a segunda dose com um maior intervalo entre doses (≥ 12 semanas).

Voysey M, Costa Clemens SA, Madhi SA, Weckx LY, Folegatti PM, Aley PK, et al; Oxford COVID Vaccine Trial Group. Single-dose administration and the influence of the timing of the booster dose on immunogenicity and efficacy of ChAdOx1 nCoV-19 (AZD1222) vaccine: a pooled analysis of four randomised trials. Lancet. 2021 Feb 19:S0140-6736(21)00432-3. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00432-3. 

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900432-3

Documento que recomenda a inclusão de pessoas doença mental grave, internadas e tratadas em ambulatório, nos grupos prioritários para a vacinação COVID-19. Os autores apelam à União Europeia e às autoridades nacionais de saúde para que tomem medidas concertadas para proteger estes doentes vulneráveis.
Siva N. Severe mental illness: reassessing COVID-19 vaccine priorities. Lancet. 2021 Feb 20; 397(10275): 657. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00429-3. 

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S2215-0366%2821%2900046-8

Estudo observacional que avaliou a efetividade da administração da vacina BNT162b2 mRNA (Pfizer, BioNTech) em contexto real, comparando um grupo de 596 618 indivíduos vacinados com um grupo de não vacinados (1:1), com idênticas caraterísticas clínicas e demográficas. Os resultados apontam para uma elevada efetividade na prevenção de COVID-19 sintomática, bem como na prevenção de hospitalização, doença grave e morte, especialmente após a administração da segunda dose, o que é consistente com os resultados alcançados no ensaio clínico.

Dagan N, Barda N, Kepten E, Miron O, Perchik S, Katz MA, Hernán MA, Lipsitch M, Reis B, Balicer RD. BNT162b2 mRNA Covid-19 Vaccine in a Nationwide Mass Vaccination Setting. N Engl J Med. 2021 Feb 24. doi: 10.1056/NEJMoa2101765. 

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2101765?articleTools=true

Recomendações do American College of Obstetricians and Gynecologists sobre a vacinação contra a COVID-19 nas mulheres a amamentar e nas grávidas. 

Vaccinating Pregnant and Lactating Patients Against COVID-19. American College of Obstetricians and Gynecologists. Last updated February 4, 2021.

https://www.acog.org/en/Clinical/Clinical%20Guidance/Practice%20Advisory/Articles/2020/12/Vaccinating%20Pregnant%20and%20Lactating%20Patients%20Against%20COVID%2019

Estudo que descreve a imunogenicidade 21 dias após a administração da primeira dose da vacina BNT162b2 mRNA (Pfizer, BioNTech) a um grupo de profissionais de saúde israelitas, de acordo com a idade, sexo, etnia e infeção prévia por SARS-CoV-2. A imunogenicidade da vacina foi de 92% após a primeira dose e semelhante entre sexos e etnias, mas diminuiu com o aumento da idade. Os títulos de anticorpos IgG foram superiores em quase uma ordem de grandeza nos indivíduos com infeção prévia, nos quais a vacina teve um efeito de reforço.

Abu Jabal K, Ben-Amram H, Beiruti K, Batheesh Y, Sussan C, Zarka S, Edelstein M. Impact of age, ethnicity, sex and prior infection status on immunogenicity following a single dose of the BNT162b2 mRNA COVID-19 vaccine: real-world evidence from healthcare workers, Israel, December 2020 to January 2021. Euro Surveill. 2021 Feb;26(6). doi: 10.2807/1560-7917.ES.2021.26.6.2100096. 


https://www.eurosurveillance.org/content/10.2807/1560-7917.ES.2021.26.6.2100096 

Resultados dos estudos em fase 1 e 2 da vacina de Johnson&Johnson, Ad26.COV2. S., uma vacina recombinante, veiculada por adenovirus serotipo 26 (Ad26) incompetentes para a replicação, que induzem uma resposta frente à proteína S. Os perfis de segurança e imunogenicidade da vacina apoiam o seu desenvolvimento posterior

Sadoff J, Le Gars M, Shukarev G, Heerwegh D, Truyers C, de Groot AM, et al. Interim Results of a Phase 1-2a Trial of Ad26.COV2.S Covid-19 Vaccine. N Engl J Med. 2021. DOI: 10.1056/NEJMoa2034201.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7821985/pdf/NEJMoa2034201.pdf 

Informações sobre o armazenamento, manuseamento e uso de vacinas COVID-19 (Moderna, Pfizer/BioNTech e Universidade de Oxford/AstraZeneca)

COVID-19 vaccines: Frequently asked questions

https://www.fip.org/files/content/priority-areas/coronavirus/Other_FIP_resources/Frequently_Asked_Questions_COVID-19_Vaccine_26-01-2021_final.pdf 

Análise provisória de 4 ensaios clínicos a decorrer, avaliando os pontos fortes e fracos e a aplicabilidade no mundo real. A vacina ChAdOx1 nCoV-19 tem um perfil de segurança aceitável e foi considerada eficaz contra a COVID-19 sintomática

Voysey M, Clemens SAC, Madhi SA, Weckx LY, Folegatti PM, Aley PK, et al. Safety and efficacy of the ChAdOx1 nCoV-19 vaccine (AZD1222) against SARS-CoV-2: an interim analysis of four randomised controlled trials in Brazil, South Africa, and the UK. Lancet. 2021 Jan 9;397(10269):99-111. doi: 10.1016/S0140-6736(20)32661-1.

https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(20)32661-1/fulltext 

Revisão dos dados de segurança relativos à vacina Comirnaty®, efetuada pelo Comité de Avaliação do Risco em Farmacovigilância (PRAC) da Agência Europeia do Medicamento (EMA)

Revisão dos dados de segurança relativos à vacina Comirnaty®, efetuada pelo Comité de Avaliação do Risco em Farmacovigilância (PRAC) da Agência Europeia do Medicamento (EMA).

https://www.ema.europa.eu/en/documents/covid-19-vaccine-safety-update/covid-19-vaccine-safety-update-comirnaty-january-2021_en.pdf 

Revisão da segurança das vacinas contra a COVID-19, com especial enfoque sobre as reações de hipersensibilidade reportadas com as vacinas atualmente disponíveis

Castells MC, Phillips EJ. Maintaining Safety with SARS-CoV-2 Vaccines. N Engl J Med. 2020 Dec 30:NEJMra2035343. doi: 10.1056/NEJMra2035343.

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMra2035343?articleTools=true 

Tomada de posição da European Academy of Allergy and Clinical Immunology (EAACI) acerca do risco de reações de hipersensibilidade graves após administração das vacinas contra a COVID-19

Sokolowska M, Eiwegger T, Ollert M, Torres MJ, Barber D, Del Giacco S, Jutel M, Nadeau KC, Palomares O, Rabin RL, Riggioni C, Vieths S, Agache I, Shamji MH. EAACI statement on the diagnosis, management and prevention of severe allergic reactions to COVID-19 vaccines. Allergy. 2021 Jan 16. doi: 10.1111/all.14739. Epub ahead of print. PMID: 33452689.

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/all.14739 
(pre-proof)


PREVENÇÃO

 

Estudo que avalia, com base num modelo matemático, o impacto de diferentes cenários de cobertura vacinal e de níveis de adesão a medidas preventivas comportamentais contra o SARS-CoV-2, em parâmetros como casos e mortes evitadas, e tempo até obter imunidade de grupo. Foi constatado que a vacinação e as medidas comportamentais funcionam sinergicamente, reduzindo a carga de doença, e que estas devem continuar a ser implementadas.

León TM, Vargo J, Pan ES, Jain S, Shete PB. Nonpharmaceutical Interventions Remain Essential to Reducing Coronavirus Disease 2019 Burden Even in a Well- Vaccinated Society: A Modeling Study. Open Forum Infect Dis. 2021 Aug 9; 8(9): ofab415. doi: 10.1093/ofid/ofab415.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8419741/pdf/ofab415.pdf


Atualização de uma revisão sistemática e meta-análise que avaliou os fatores associados à transmissão domiciliária da infeção por SARS-Cov-2. Os resultados apontam para um aumento da transmissão domiciliária, o que pode dever-se a fatores como melhorias no diagnóstico, aumento do período de seguimento, variantes mais transmissíveis, entre outros.

Madewell ZJ, Yang Y, Longini IM Jr, Halloran ME, Dean NE. Factors Associated With Household Transmission of SARS-CoV-2: An Updated Systematic Review and Meta-analysis. JAMA Netw Open. 2021 Aug 2; 4(8): e2122240. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2021.22240.  

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2783544

Estudo populacional de coortes com o objetivo de determinar eventuais diferenças, relacionadas com a idade, na probabilidade de transmissão pediátrica domiciliária do vírus SARS-CoV-2. Conclui-se que crianças mais novas podem ser mais propensas a transmitir a infeção por SARS-CoV-2 em contexto familiar, tendo sido observada maior probabilidade de transmissão nas crianças com idade entre 0-3 anos.

Paul LA, Daneman N, Schwartz KL, Science M, Brown KA, Whelan M, Chan E, Buchan SA. Association of Age and Pediatric Household Transmission of SARS-CoV-2 Infection. JAMA Pediatr. 2021 Aug 16: e212770. doi: 10.1001/jamapediatrics.2021.2770.  

https://jamanetwork.com/journals/jamapediatrics/fullarticle/2783022

Estudo longitudinal destinado a avaliar o papel das creches e infantários na transmissão da infeção pelo vírus SARS-CoV-2, com base na identificação de excreção viral fecal num grupo de crianças entre 1-6 anos, e na seroprevalência de anticorpos nos pais e funcionários. Num período de cerca de 6 meses, foram detetados anticorpos em 11% dos adultos e excreção do vírus em 6,8% das crianças. Os resultados obtidos não proporcionam evidência de transmissão assintomática relevante nestas instituições.

Haag L, Blankenburg J, Unrath M, Grabietz J, Kahre E, Galow L, et al. Prevalence and Transmission of Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus Type 2 in Childcare Facilities: A Longitudinal Study. J Pediatr. 2021 Jul 27: S0022-3476(21)00746-0. doi: 10.1016/j.jpeds.2021.07.054. 

https://www.jpeds.com/action/showPdf?pii=S0022-3476%2821%2900746-0

Ensaio clínico, que avaliou o efeito da administração subcutânea da combinação de anticorpos monoclonais casirivimab e imdevimab, designada por REGEN-COV, na prevenção da infeção por SARS-CoV-2 em indivíduos em risco elevado após exposição em contexto domiciliário. A associação mostrou-se eficaz na diminuição do risco de infeções, sintomáticas e assintomáticas, bem como na duração dos sintomas e da carga viral dos indivíduos infetados.

O'Brien MP, Forleo-Neto E, Musser BJ, Isa F, Chan KC, Sarkar N, et al; Covid-19 Phase 3 Prevention Trial Team. Subcutaneous REGEN-COV Antibody Combination to Prevent Covid-19. N Engl J Med. 2021 Aug 4. doi: 10.1056/NEJMoa2109682. 

https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2109682?articleTools=true

Estudo caso-controle que examinou as infeções por COVID-19 em indivíduos com infeção prévia por SARS-CoV-2. Os indivíduos não vacinados tiveram um risco maior de reinfeção com COVID-19, sugerindo que uma vacinação completa proporciona proteção adicional contra a reinfeção.

Cavanaugh AM, Spicer KB, Thoroughman D, Glick C, Winter K. Reduced Risk of Reinfection with SARS-CoV-2 After COVID-19 Vaccination — Kentucky, May–June 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. ePub: 6 August 2021.  

https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/mm7032e1.htm?s_cid=mm7032e1_w

O envio de equipes médicas nacionais para Wuhan desempenhou um papel fundamental na proteção contra COVID-19. O estudo teve como objetivo a avaliação quantitativa do efeito desta medida na redução de infeções e de óbitos.

Fan X, Gu Y, Guan B. The effect of dispatch of national medical teams to Wuhan on its control and prevention of COVID-19. Public Health. 2021 Apr 27; 198: 1-5. doi: 10.1016/j.puhe.2021.04.011. 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8078900/pdf/main.pdf

Orientações elaboradas pelos Centers for Disease Control and Prevention dos EUA relativamente à implementação de estratégias preventivas contra a COVID-19 de acordo com diferentes níveis de transmissão comunitária, cobertura vacinal, capacidade de deteção precoce dos casos e de resposta dos sistemas de saúde.

Christie A, Brooks JT, Hicks LA, Sauber-Schatz EK, Yoder JS, Honein MA; CDC COVID-19 Response Team. Guidance for Implementing COVID-19 Prevention Strategies in the Context of Varying Community Transmission Levels and Vaccination Coverage. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2021 Jul 27; 70(30): 1044-1047. doi: 10.15585/mmwr.mm7030e2.

https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm7030e2-H.pdf

Revisão sistemática que pretende efetuar uma estimativa da prevalência do vírus SARS-CoV-2 em superfícies inanimadas, identificando níveis de risco de acordo com as suas caraterísticas. O risco de contaminação de uma superfície depende principalmente da duração da exposição à fonte do vírus, podendo ser considerado baixo quando esta é limitada, e elevado em zonas com exposição prolongada a indivíduos infetados.

Belluco S, Mancin M, Marzoli F, Bortolami A, Mazzetto E, Pezzuto A, Favretti M, Terregino C, Bonfante F, Piro R. Prevalence of SARS-CoV-2 RNA on inanimate surfaces: a systematic review and meta-analysis. Eur J Epidemiol. 2021 Jul 27. doi: 10.1007/s10654-021-00784-y.

https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s10654-021-00784-y.pdf

Revisão que identificou os fatores de risco mais significativos a nível demográfico, ambiental, socioeconómico e governamental para a disseminação da COVID-19. A análise de dados provenientes de 29 países levou à conclusão de que o risco é superior em países com maior poluição atmosférica e maior prevalência de população com excesso de peso.

Mashrur FR, Roy AD, Chhoan AP, Sarker S, Saha A, Hasan SMN, Saha S. Impact of demographic, environmental, socioeconomic, and government intervention on the spreading of COVID-19. Clin Epidemiol Glob Health. 2021 Oct-Dec; 12: 100811. doi: 10.1016/j.cegh.2021.100811.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8236127/pdf/main.pdf

Segunda atualização de um documento elaborado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), que revê o papel das crianças na transmissão do vírus SARS-CoV-2 e apresenta um modelo que avalia a efetividade do encerramento das escolas no controlo da transmissão.

European Centre for Disease Prevention and Control. COVID-19 in children and the role of school settings in transmission - second update. 8 July 2021. Stockholm: ECDC; 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/COVID-19-in-children-and-the-role-of-school-settings-in-transmission-second-update.pdf

Revisão que salienta o papel do exercício físico na diminuição da suscetibilidade a infeções, nomeadamente virais. Recomenda a inclusão da prática regular de exercício físico de intensidade moderada numa estratégia integrada de prevenção e mitigação da infeção pelo vírus SARS-CoV-2.

Hutchinson NT, Steelman A, Woods JA. Behavioral strategies to prevent and mitigate COVID-19 infection. Sports Med Health Sci. 2020 Sep 10. doi: 10.1016/j.smhs.2020.09.001.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7481129/pdf/main.pdf

Modelo de simulação que relaciona diferentes níveis de cobertura e eficácia vacinal, em conjunto com a continuidade, ou não, da adoção de intervenções comportamentais, como o distanciamento social e o uso de máscara, com o risco de infeções, hospitalizações e mortalidade por SARS-CoV-2. Conclui que uma elevada cobertura vacinal tem de ser acompanhada pela adesão continuada às medidas comportamentais.

Patel MD, Rosenstrom E, Ivy JS, Mayorga ME, Keskinocak P, Boyce RM, et al. Association of Simulated COVID-19 Vaccination and Nonpharmaceutical Interventions With Infections, Hospitalizations, and Mortality. JAMA Netw Open. 2021 Jun 1; 4(6): e2110782. doi: 10.1001/jamanetworkopen.2021.10782.

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2780539

Estudo de simulação que conclui que a realização do teste de rotina para o SARS-CoV-2 em assintomáticos, antes de uma viagem aérea, pode ser uma estratégia eficaz para reduzir o risco de infeção durante a viagem. Contudo, uma quarentena abreviada pós-viagem poderá reduzir a importação de infeções. Os testes são uma ferramenta que deve ser usada juntamente com o distanciamento físico, uso de máscaras faciais e outras medidas de controlo da infeção durante a viagem.

Kiang MV, Chin ET, Huynh BQ, Chapman LAC, Rodríguez-Barraquer I, Greenhouse B, Rutherford GW, et al. Routine asymptomatic testing strategies for airline travel during the COVID-19 pandemic: a simulation study. Lancet Infect Dis. 2021 Mar 22; 21(7): 929–38. doi: 10.1016/S1473-3099(21)00134-1.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S1473-3099%2821%2900134-1

Relatório que proporciona informações sobre possíveis padrões na transmissão de COVID-19 nos Estados Unidos em diferentes cenários. Indica que, com alta cobertura vacinal e adesão moderada às medidas preventivas de saúde pública, as hospitalizações e mortes provavelmente permanecerão baixas. Uma menor adesão a medidas preventivas pode levar a aumentos substanciais em infeções por COVID-19, mesmo com a melhor cobertura vacinal.

Borchering RK, Viboud C, Howerton E, Smith CP, Truelove S, Runge MC, et al. Modeling of Future COVID-19 Cases, Hospitalizations, and Deaths, by Vaccination Rates and Nonpharmaceutical Intervention Scenarios — United States, April–September 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep 2021; 70: 719–724. DOI: http://dx.doi.org/10.15585/mmwr.mm7019e3  

https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm7019e3-H.pdf

Revisão dos diferentes tipos de medidas de proteção facial, incluindo máscaras. Inclui informação sobre as questões como a desinfeção e reutilização de máscaras, as alternativas às máscaras e o impacto do uso prolongado de proteção facial na saúde da pele. A proteção facial parece ter mitigado a pandemia.

Li DTS, Samaranayake LP, Leung YY, Neelakantan P. Facial protection in the era of COVID-19: A narrative review. Oral Dis. 2021 Apr; 27 Suppl 3: 665-673. doi: 10.1111/odi.13460.   

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/odi.13460

Revisão sistemática que compilou a evidência acerca do papel de superfícies contaminadas na transmissão do vírus SARS-CoV-2. Apesar de a maioria dos estudos reportarem a presença do vírus em superfícies inanimadas, não existe evidência que demonstre a sua viabilidade, o que sugere um baixo risco de transmissão.

Onakpoya IJ, Heneghan CJ, Spencer EA, Brassey J, Plüddemann A, Evans DH, Conly JM, Jefferson T. SARS-CoV-2 and the role of fomite transmission: a systematic review. F1000Res. 2021 Mar 24; 10: 233. doi: 10.12688/f1000research.51590.2.  

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8176266/pdf/f1000research-10-57469.pdf

Estudo de coortes, que avaliou o efeito da toma de hidroxicloroquina para indicações não relacionadas com a COVID-19 no risco de contrair esta infeção. O uso de hidroxicloroquina não mostrou benefício na prevenção de infeções pelo vírus SARS-CoV-2.

Kamstrup P, Sivapalan P, Eklöf J, Hoyer N, Ulrik CS, Pedersen L, et al. Hydroxychloroquine as a primary prophylactic agent against sars-cov-2 infection: a cohort study. Int J Infect Dis. 2021 Jun 1: S1201-9712(21)00478-1. doi: 10.1016/j.ijid.2021.05.076. 

https://www.ijidonline.com/article/S1201-9712(21)00478-1/pdf


Ensaio clínico de fase 3, aleatorizado e com dupla ocultação, que avaliou o efeito do bamlanivimab na incidência de COVID-19 entre utentes e funcionários de instituições residenciais assistidas com, pelo menos, um caso confirmado de infeção por SARS-CoV-2. A administração de uma dose de bamlanivimab reduziu de forma estatisticamente significativa o risco de contrair COVID-19 comparativamente ao placebo (8,5% vs. 15,2%).

Cohen MS, Nirula A, Mulligan MJ, Novak RM, Marovich M, Yen C, et al; BLAZE-2 Investigators. Effect of Bamlanivimab vs Placebo on Incidence of COVID-19 Among Residents and Staff of Skilled Nursing and Assisted Living Facilities: A Randomized Clinical Trial. JAMA. 2021 Jun 3. doi: 10.1001/jama.2021.8828.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2780870

Revisão sobre os modos de transmissão do SARS-CoV-2 e dos fatores ambientais que afetam o risco de transmissão. É ainda revista a evidência atual acerca das medidas preventivas comportamentais destinadas a conter a disseminação do vírus.

Zhou L, Ayeh SK, Chidambaram V, Karakousis PC. Modes of transmission of SARS-CoV-2 and evidence for preventive behavioral interventions. BMC Infect Dis. 2021 May 28; 21(1): 496. doi: 10.1186/s12879-021-06222-4. 

https://bmcinfectdis.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s12879-021-06222-4.pdf

Revisão sistemática que avaliou as intervenções de saúde pública implementadas para controlar a propagação da COVID-19. As medidas de saúde pública e as intervenções não farmacológicas foram eficazes e são vitais para reduzir a infeção e a taxa de mortalidade. Dependendo do país e da fase da epidemia, devem ser aplicadas em conjunto múltiplas intervenções para controlar surtos.

Ayouni I, Maatoug J, Dhouib W, Zammit N, Fredj SB, Ghammam R, Ghannem H. Effective public health measures to mitigate the spread of COVID-19: a systematic review. BMC Public Health. 2021 May 29; 21(1): 1015. doi: 10.1186/s12889-021-11111-1.

https://bmcpublichealth.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s12889-021-11111-1.pdf

Revisão da evidência atual acerca da contaminação de superfícies inertes pelo vírus SARS-CoV-2. São abordadas a sua persistência, estabilidade e o seu potencial infecioso em diferentes materiais, bem como quais os desinfetantes eficazes e outras medidas de mitigação que podem ser instituídas.

Marquès M, Domingo JL. Contamination of inert surfaces by SARS-CoV-2: Persistence, stability and infectivity. A review. Environ Res. 2021 Feb; 193: 110559. doi: 10.1016/j.envres.2020.110559.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7706414/pdf/main.pdf

Avaliação da eficácia de um programa de controlo e prevenção da infeção por SARS-CoV-2 implementado num hospital académico em Espanha, com descrição das medidas instituídas e do impacto do uso contínuo de máscara cirúrgica pelos profissionais de saúde.

Gras-Valentí P, Mora-Muriel JG, Chico-Sánchez P, Algado-Sellés N, Soler-Molina VM, Hernández-Maldonado M, et al. Effectivity of a Program for the Control and Prevention of COVID-19 Healthcare-Associated Infections in a Spanish Academic Hospital. J Patient Saf. 2021 Apr 7. doi: 10.1097/PTS.0000000000000852.

https://journals.lww.com/journalpatientsafety/Abstract/9000/Effectivity_of_a_Program_for_the_Control_and.99033.aspx

Revisão, por uma comissão de peritos, da evidência acerca do efeito de intervenções de saúde pública, nomeadamente medidas institucionais e comportamentais, no controlo da transmissão e infeção pelo vírus SARS-CoV-2.

Lee JK, Bullen C, Ben Amor Y, Bush SR, Colombo F, Gaviria A, et al; (The Lancet COVID-19 Commission Task Force for Public Health Measures to Suppress the Pandemic). Institutional and behaviour-change interventions to support COVID-19 public health measures: a review by the Lancet Commission Task Force on public health measures to suppress the pandemic. Int Health. 2021 May 11: ihab022. doi: 10.1093/inthealth/ihab022.

https://academic.oup.com/inthealth/advance-article/doi/10.1093/inthealth/ihab022/6273788

Tratamento e prevenção das lesões cutâneas ocupacionais associadas à utilização de equipamentos de proteção individual, antisséticos e desinfetantes pelos profissionais de saúde.

Darlenski R, Kazandjieva J, Tsankov N. Prevention and occupational hazards for the skin during COVID-19 pandemic. Clin Dermatol. 2021 Jan-Feb; 39(1): 92-97. doi: 10.1016/j.clindermatol.2020.12.017.

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0738081X20302522?via%3Dihub

Documento de orientação, elaborado por diversas organizações britânicas, acerca das vias de transmissão do vírus SARS-CoV-2, proporcionando recomendações para prevenção do contágio.

Bak A, Mugglestone MA, Ratnaraja NV, Wilson JA, Rivett L, Stoneham SM, et al. SARS-CoV-2 routes of transmission and recommendations for preventing acquisition: joint British Infection Association (BIA), Healthcare Infection Society (HIS), Infection Prevention Society (IPS) and Royal College of Pathologists (RCPath) guidance. J Hosp Infect. 2021 Apr 30: S0195-6701(21)00180-8. doi: 10.1016/j.jhin.2021.04.027.

https://www.journalofhospitalinfection.com/article/S0195-6701(21)00180-8/fulltext

Avaliação da eficácia da utilização de máscaras na mitigação da pandemia nos EUA, com base na análise estadual da tendência de novos casos, casos confirmados cumulativos e número de casos por 100 000 habitantes, entre 1 de abril e 31 de dezembro de 2020. A adoção do uso obrigatório de máscara esteve associada a uma acentuada tendência de redução no número de casos confirmados, no intervalo de 21-28 dias após implementação.

Ayodeji OJ, Ramkumar S. Effectiveness of Face Coverings in Mitigating the COVID-19 Pandemic in the United States. Int J Environ Res Public Health. 2021 Apr 1; 18(7): 3666. doi: 10.3390/ijerph18073666.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8036758/pdf/ijerph-18-03666.pdf

Estudo que investigou diferenças no risco de contrair infeção por SARS-CoV-2 entre indivíduos utilizadores ou não de suplementos dietéticos, com base em dados recolhidos através de uma app. Na população feminina, foi observado um menor risco de teste positivo entre as utilizadoras de probióticos, ácidos gordos ómega-3, suplementos multivitamínicos ou de vitamina D.

Louca P, Murray B, Klaser K, Graham MS, Mazidi M, Leeming ER, et al. Modest effects of dietary supplements during the COVID-19 pandemic: insights from 445 850 users of the COVID-19 Symptom Study app. BMJ Nutrition, Prevention & Health 2021; bmjnph-2021-000250. doi: 10.1136/bmjnph-2021-000250

https://nutrition.bmj.com/content/bmjnph/early/2021/04/20/bmjnph-2021-000250.full.pdf

Estudo que avaliou a eficiência de filtração de máscaras médicas ou sociais, usadas sozinhas ou em combinação. Concluiu que o uso de uma máscara médica por baixo de uma máscara de tecido é o método de filtração mais eficiente.

Sickbert-Bennett EE, Samet JM, Prince SE, Chen H, Zeman KL, Tong H, Bennett WD. Fitted Filtration Efficiency of Double Masking During the COVID-19 Pandemic. JAMA Intern Med. 2021 Apr 16. doi: 10.1001/jamainternmed.2021.2033.

https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/2778913

Revisão sistemática dinâmica e meta-análise acerca da profilaxia farmacológica da infeção pelo vírus SARS-CoV-2. Foram incluídos estudos aleatorizados que investigaram a hidroxicloroquina e a ivermectina, combinada ou não com iota-carragenano. A hidroxicloroquina não mostrou reduzir a taxa de infeção, hospitalização ou mortalidade. A evidência relativa à ivermectina permanece muito incerta quanto à redução do risco de infeção e de mortalidade, devido ao risco de viés e imprecisão.

Bartoszko JJ, Siemieniuk RAC, Kum E, Qasim A, Zeraatkar D, Ge L, et al. Prophylaxis against covid-19: living systematic review and network meta-analysis. BMJ. 2021 Apr 26; 373: n949. doi: 10.1136/bmj.n949.

https://www.bmj.com/content/bmj/373/bmj.n949.full.pdf

Revisão comparativa de diferentes estratégias de testagem no controlo da infeção pelo vírus SARS-CoV-2. A testagem em massa e rastreio de contactos parece ser a estratégia mais eficaz.

Mbwogge M. Mass Testing With Contact Tracing Compared to Test and Trace for the Effective Suppression of COVID-19 in the United Kingdom: Systematic Review. JMIRx Med. 2021 Apr 12; 2(2): e27254. doi: 10.2196/27254.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8045129/pdf/xmed_v2i2e27254.pdf

Orientações do European Centre for Disease Prevention and Control acerca do risco que indivíduos com vacinação completa contra a COVID-19 apresentam de contrair e transmitir a doença. Inclui recomendações acerca das circunstâncias nas quais as medidas preventivas podem ser aligeiradas.

European Centre for Disease Prevention and Control. Interim guidance on the benefits of full vaccination against COVID-19 for transmission risks and implications for non-pharmaceutical interventions – 21 April 2021. ECDC: Stockholm; 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Interim-guidance-benefits-of-full-vaccination-against-COVID-19-for-transmission-and-implications-for-non-pharmaceutical-interventions.pdf

Revisão da literatura acerca da duração do potencial infecioso do vírus SARS-CoV-2 avaliado por PCR em tempo real, comparativamente a métodos de isolamento viral. Os resultados sugerem que a deteção de ácido nucleico viral se mantém por um período superior ao da transmissibilidade do vírus.

Park M, Pawliuk C, Nguyen T, Griffitt A, Dix-Cooper L, Fourik N, Dawes M. Determining the communicable period of SARS-CoV-2: A rapid review of the literature, March to September 2020. Euro Surveill. 2021 Apr;26(14):2001506. doi: 10.2807/1560-7917.ES.2021.26.14.2001506.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8034061/pdf/eurosurv-26-14-3.pdf

Análise da influência do uso de colquicina para tratamento de doenças reumatológicas nos internamentos por COVID-19. A colquicina não mostrou possuir efeito protetor, mas também não mostrou estar associada a risco de maior gravidade da COVID-19 em indivíduos com doenças reumatológicas.

Madrid-García A, Pérez I, Colomer JI, León-Mateos L, Jover JA, Fernández-Gutiérrez B, Abásolo-Alcazar L, Rodríguez-Rodríguez L. Influence of colchicine prescription in COVID-19-related hospital admissions: a survival analysis. Ther Adv Musculoskelet Dis. 2021 Mar 26;13:1759720X211002684. doi: 10.1177/1759720X211002684.

https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/1759720X211002684

Ensaio aleatorizado, controlado e com dupla ocultação, que investigou a eficácia da hidroxicloroquina como profilaxia pós exposição em contactos próximos de indivíduos diagnosticados com COVID-19. A administração de hidroxicloroquina (400 mg/d durante 3 dias seguido por 200 mg/d durante 11 dias) não mostrou reduzir a incidência de infeção por SARS-CoV-2, aos 14 dias, comparativamente ao placebo.

Barnabas RV, Brown ER, Bershteyn A, Stankiewicz Karita HC, Johnston C, Thorpe LE, et al. Hydroxychloroquine as Postexposure Prophylaxis to Prevent Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2 Infection : A Randomized Trial. Ann Intern Med. 2021 Mar;174(3):344-352. doi: 10.7326/M20-6519. Epub 2020 Dec 8. Erratum in: Ann Intern Med. 2021 Mar;174(3):435.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7732017/pdf/aim-olf-M206519.pdf

Revisão sistemática de estudos in vitro acerca dos métodos de limpeza, desinfeção e descontaminação para inativação do vírus SARS-CoV-2. São referidos métodos físicos e químicos eficazes, mas o facto de os estudos não terem decorrido em contexto real não proporciona evidência suficiente para recomendações concretas.

Kwok CS, Dashti M, Tafuro J, Nasiri M, Muntean EA, Wong N, Kemp T, Hills G, Mallen CD. Methods to disinfect and decontaminate SARS-CoV-2: a systematic review of in vitro studies. Ther Adv Infect Dis. 2021 Mar 16;8:2049936121998548. doi: 10.1177/2049936121998548.

https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/2049936121998548

Revisão da evidência acerca do efeito da utilização de máscaras no risco de transmissão do vírus SARS-CoV-2. Conclui que o uso de máscaras é uma intervenção fundamental para a sua contenção.

Hemmer CJ, Hufert F, Siewert S, Reisinger E. Protection From COVID-19. Dtsch Arztebl Int. 2021 Feb 5; 118(5): 59-65. doi: 10.3238/arztebl.m2021.0119.

https://cdn.aerzteblatt.de/pdf/di/118/5/m59.pdf?ts=31%2E03%2E2021+08%3A29%3A25

Documento elaborado pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) acerca do risco de transmissão do vírus SARS-CoV-2 por indivíduos com infeção ou vacinação prévias, com base na revisão da literatura publicada sobre a duração e características da imunidade após infeção natural, ou vacinação com as vacinas disponíveis na Europa.

European Centre for Disease Prevention and Control. Risk of SARS-CoV-2 transmission from newly-infected individuals with documented previous infection or vaccination. 29 March 2021. ECDC: Stockholm, 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/Risk-of-transmission-and-reinfection-of-SARS-CoV-2-following-vaccination.pdf

Estudo efetuado na população de Wuhan, destinado a avaliar a seroprevalência e durabilidade da resposta humoral de anticorpos anti-SARS-CoV-2 após o primeiro surto de infeção. Concluiu que a seroprevalência foi de 6,9% e que cerca de 40% dos indivíduos com anticorpos desenvolveram anticorpos neutralizantes, o que sugere que a maioria dos indivíduos permanece suscetível à infeção.

He Z, Ren L, Yang J, Guo L, Feng L, Ma C, et al. Seroprevalence and humoral immune durability of anti-SARS-CoV-2 antibodies in Wuhan, China: a longitudinal, population-level, cross-sectional study. Lancet. 2021 Mar 20;397(10279):1075-1084. doi: 10.1016/S0140-6736(21)00238-5.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2821%2900238-5

Revisão sistemática que sintetiza a evidência acerca da prevalência, níveis e durabilidade dos anticorpos produzidos em resposta à infeção pelo vírus SARS-CoV-2, em adultos, bem como da sua correlação com a existência de imunidade protetora.

Mackey K, Arkhipova-Jenkins I, Armstrong C, Gean E, Anderson J, Paynter R, Helfand M. Antibody Response Following SARS-CoV-2 Infection and Implications for Immunity: A Rapid Living Review. (Prepared by the Portland VA Research Foundation under Contract No. 290-2017-00003-C). AHRQ Publication No. 21-EHC016. Rockville, MD: Agency for Healthcare Research and Quality. March 2021.

https://effectivehealthcare.ahrq.gov/sites/default/files/pdf/rapid-review-immunity-after-covid.pdf

Definição do padrão de desempenho e previsão dos resultados clínicos, epidemiológicos e económicos da introdução de um programa nacional de uso domiciliário de testes de antigénio para o vírus SARS-CoV-2. Um programa de testagem domiciliária pode contribuir para reduzir o número total de infeções a um custo aceitável.

Paltiel AD, Zheng A, Sax PE. Clinical and Economic Effects of Widespread Rapid Testing to Decrease SARS-CoV-2 Transmission. Ann Intern Med. 2021 Mar 9. doi: 10.7326/M21-0510.

https://www.acpjournals.org/doi/10.7326/M21-0510

Estudo retrospetivo de coortes, que avaliou o impacto da vacinação contra a gripe na suscetibilidade à infeção pelo vírus SARS-CoV-2 e na sua gravidade. Num total de 27 201 indivíduos, a probabilidade de testar positivo para a COVID-19 foi inferior em indivíduos vacinados contra a gripe comparativamente aos não vacinados. Indivíduos vacinados e com teste positivo mostraram menor risco de hospitalização, ventilação mecânica e menor duração de internamento.

Conlon A, Ashur C, Washer L, Eagle KA, Hofmann Bowman MA. Impact of the influenza vaccine on COVID-19 infection rates and severity. Am J Infect Control. 2021 Feb 22: S0196-6553(21)00089-4. doi: 10.1016/j.ajic.2021.02.012.

https://www.ajicjournal.org/action/showPdf?pii=S0196-6553%2821%2900089-4

Estudo que investigou a incidência e transmissão secundária do SARS-CoV-2 em meio escolar, encontrando um número muito reduzido de casos de contágio. Descreve ainda a implementação de um programa educativo sobre a mitigação do risco de transmissão do SARS-CoV-2, destinado aos responsáveis dos estabelecimentos escolares, seus funcionários e encarregados de educação das escolas estudadas.

Zimmerman KO, Akinboyo IC, Brookhart MA, Boutzoukas AE, McGann K, Smith MJ, et al; ABC Science Collaborative. Incidence and Secondary Transmission of SARS-CoV-2 Infections in Schools. Pediatrics. 2021 Jan 8:e2020048090. Doi: 10.1542/peds.2020-048090.

https://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/early/2021/01/06/peds.2020-048090.full.pdf

Estudo retrospetivo de coortes, que investigou a seroprevalência de anticorpos e os fatores de risco para transmissão entre os contactos de alto risco de casos confirmados de COVID-19. Avaliou ainda a incidência de casos entre os contactos - taxa de ataque secundário – em diferentes contextos - domiciliário, laboral ou social.

Ng OT, Marimuthu K, Koh V, Pang J, Linn KZ, Sun J, De Wang L, Chia WN, Tiu C, Chan M, Ling LM, Vasoo S, Abdad MY, Chia PY, Lee TH, Lin RJ, Sadarangani SP, Chen MI, Said Z, Kurupatham L, Pung R, Wang LF, Cook AR, Leo YS, Lee VJ. SARS-CoV-2 seroprevalence and transmission risk factors among high-risk close contacts: a retrospective cohort study. Lancet Infect Dis. 2021 Mar; 21(3): 333-343. doi: 10.1016/S1473-3099(20)30833-1.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S1473-3099%2820%2930833-1

Norma clínica dinâmica, desenvolvida pela Organização Mundial da Saúde, acerca da prevenção farmacológica da COVID-19. Inclui atualmente informação da hidroxicloroquina, para a qual o painel de peritos concluiu existir forte evidência contra a sua utilização em indivíduos sem COVID-19.

Drugs to prevent COVID-19: A WHO living guideline. World Health Organization. 2 March 2021.

https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/339877/WHO-2019-nCoV-prophylaxes-2021.1-eng.pdf

Atualização de norma de orientação, elaborada pela Organização Mundial da Saúde, com o propósito de auxiliar as autoridades de saúde pública no desenvolvimento e implementação de programas de identificação de contactos, particularmente na presença de elevados níveis de transmissão.

Contact tracing in the context of COVID-19. Interim guidance. World Health Organization. 1 February 2021.

https://www.who.int/publications/i/item/contact-tracing-in-the-context-of-covid-19

Análise prospetiva, que efetuou uma estimativa da taxa de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 e dos surtos em estabelecimentos educativos, em Inglaterra, durante um período letivo. Encontrou um reduzido número de eventos, existindo maior incidência de infeção entre os funcionários do que entre os alunos e uma forte associação entre a incidência regional de casos e o risco de surtos.

Ismail SA, Saliba V, Lopez Bernal J, Ramsay ME, Ladhani SN. SARS-CoV-2 infection and transmission in educational settings: a prospective, cross-sectional analysis of infection clusters and outbreaks in England. Lancet Infect Dis. 2021 Mar;21(3): 344-353. doi: 10.1016/S1473-3099(20)30882-3.

https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S1473-3099%2820%2930882-3

Investigação, em voluntários, do efeito de máscaras sociais ou cirúrgicas sobre a ventilação e oxigenação em repouso, ou durante a prática de exercício. Concluiu que o risco de afetação patológica das trocas gasosas é praticamente nulo na população adulta em geral.

Shein SL, Whitticar S, Mascho KK, Pace E, Speicher R, Deakins K. The effects of wearing facemasks on oxygenation and ventilation at rest and during physical activity. PLoS One. 2021 Feb 24; 16(2): e0247414. doi: 10.1371/journal.pone.0247414.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7904135/pdf/pone.0247414.pdf

Comparação do risco de infeção por SARS-CoV-2 entre indivíduos com título positivo ou negativo de anticorpos, por análise de dados provenientes de laboratórios de análises clínicas. Os resultados sugerem que a seropositividade está associada a proteção contra a infeção, mas por período desconhecido.

Harvey RA, Rassen JA, Kabelac CA, Turenne W, Leonard S, Klesh R, Meyer WA 3rd, Kaufman HW, Anderson S, Cohen O, Petkov VI, Cronin KA, Van Dyke AL, Lowy DR, Sharpless NE, Penberthy LT. Association of SARS-CoV-2 Seropositive Antibody Test With Risk of Future Infection. JAMA Intern Med. 2021 Feb 24. doi: 10.1001/jamainternmed.2021.0366.

https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/2776810

Importância do tamanho e ajuste correto das máscaras na melhoria do seu desempenho e redução da transmissão e exposição ao vírus SARS-CoV-2.

Brooks JT, Beezhold DH, Noti JD, et al. Maximizing Fit for Cloth and Medical Procedure Masks to Improve Performance and Reduce SARS-CoV-2 Transmission and Exposure, 2021. MMWR Morb Mortal Wkly Rep 2021; 70: 254–257. DOI: http://dx.doi.org/10.15585/mmwr.mm7007e1external icon.


Revisão sobre os modos de transmissão do vírus SARS-CoV-2 e do papel dos diferentes tipos de máscaras da redução da transmissão e prevenção da doença.

Wang Y, Deng Z, Shi D. How effective is a mask in preventing COVID-19 infection? Med Devices Sens. 2021 Jan 5:e10163. doi: 10.1002/mds3.10163. Epub ahead of print.

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/mds3.10163

Evidência acerca da contaminação ambiental e transmissão do vírus SARS-CoV-2 a partir de superfícies em contexto de instituições de cuidados de saúde.

Choi H, Chatterjee P, Coppin JD, Martel JA, Hwang M, Jinadatha C, Sharma VK. Current understanding of the surface contamination and contact transmission of SARS-CoV-2 in healthcare settings. Environ Chem Lett. 2021 Feb 11:1-10. doi: 10.1007/s10311-021-01186-y. 


https://link.springer.com/article/10.1007/s10311-021-01186-y

O uso de máscara na comunidade é uma intervenção não farmacológica eficaz para reduzir a propagação do SARS-CoV-2. Os estudos epidemiológicos ajudam a quantificar o benefício do uso de máscara na disseminação da infeção. 

Brooks JT, Butler JC. Effectiveness of Mask Wearing to Control Community Spread of SARS-CoV-2. JAMA. 2021 Feb 10. doi: 10.1001/jama.2021.1505. Epub ahead of print.

https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2776536?guestAccessKey=484ad65a-5426-4c8b-b3e5-8be4889ba732&utm_source=For_The_Media&utm_medium=referral&utm_campaign=ftm_links&utm_content=tfl&utm_term=021021

Atualiza a opinião do ECDC sobre a adequação do uso de máscaras faciais na comunidade, publicada em 9 abril de 2020.

Using face masks in the community: first update - Effectiveness in reducing transmission of COVID-19. Technical Report, 15 Feb 2021.

https://www.ecdc.europa.eu/en/publications-data/using-face-masks-community-reducing-covid-19-transmission

O recente surgimento de novas variantes do vírus SARS-CoV-2 com maior transmissibilidade acarreta maior risco de surtos e receios de eficácia diminuída das vacinas existentes. O seu controlo requer a implementação de programas de vigilância genómica e o reforço de medidas de Saúde Pública que permitam limitar a sua propagação.

Grubaugh ND, Hodcroft EB, Fauver JR, Phelan AL, Cevik M. Public health actions to control new SARS-CoV-2 variants. Cell. 2021 Jan 29:S0092-8674(21)00087-8. doi: 10.1016/j.cell.2021.01.044. Epub ahead of print. PMID: 33581746.


https://www.cell.com/action/showPdf?pii=S0092-8674%2821%2900087-8

Estudo observacional de grande dimensão, em coortes de indivíduos com doenças reumatológicas, com o objetivo de avaliar o efeito profilático da hidroxicloroquina na mortalidade por COVID-19. O estudo concluiu que indivíduos com uso regular de hidroxicloroquina nos seis meses prévios à data índice do estudo apresentaram um risco de mortalidade semelhante ao de indivíduos não tratados com hidroxicloroquina

Rentsch CT, DeVito NJ, MacKenna B, Morton CE, Bhaskaran K, Brown JP, Schultze A, Hulme WJ, Croker R, Walker AJ, Williamson EJ, Bates C, Bacon S, Mehrkar A, Curtis HJ, Evans D, Wing K, Inglesby P, Mathur R, Drysdale H, Wong AYS, McDonald HI, Cockburn J, Forbes H, Parry J, Hester F, Harper S, Smeeth L, Douglas IJ, Dixon WG, Evans SJW, Tomlinson L, Goldacre B. Effect of pre-exposure use of hydroxychloroquine on COVID-19 mortality: a population-based cohort study in patients with rheumatoid arthritis or systemic lupus erythematosus using the OpenSAFELY platform. Lancet Rheumatol. 2021 Jan;3(1):e19-e27. doi: 10.1016/S2665-9913(20)30378-7.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7745258/?report=printable 

Evidência acerca da utilização comunitária generalizada de máscaras como meio de controlo da transmissão

Howard J, Huang A, Li Z, Tufekci Z, Zdimal V, van der Westhuizen HM, von Delft A, Price A, Fridman L, Tang LH, Tang V, Watson GL, Bax CE, Shaikh R, Questier F, Hernandez D, Chu LF, Ramirez CM, Rimoin AW.
An evidence review of face masks against COVID-19. Proc Natl Acad Sci U S A. 2021 Jan 26;118(4):e2014564118. doi: 10.1073/pnas.2014564118. PMID: 33431650.

https://www.pnas.org/content/pnas/118/4/e2014564118.full.pdf