Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Administração de vacinação nas farmácias portuguesas constitui exemplo internacional

02 Setembro 2016
Administração de vacinação nas farmácias portuguesas constitui exemplo internacional
O relatório global da Federação Internacional Farmacêutica (FIP) sobre as atividades desenvolvidas por farmacêuticos, a nível internacional, no âmbito da administração de vacinas, destaca o importante papel destes profissionais no aumento da cobertura vacinal e na implementação de estratégias nacionais de vacinação.
O relatório global da Federação Internacional Farmacêutica (FIP) sobre as atividades desenvolvidas por farmacêuticos, a nível internacional, no âmbito da administração de vacinas, destaca o importante papel destes profissionais no aumento da cobertura vacinal e na implementação de estratégias nacionais de vacinação. A Ordem dos Farmacêuticos participou ativamente na elaboração deste documento, contribuindo para a perceção internacional sobre o serviço prestado no nosso país, agora considerado uma referência a nível mundial.
    
A FIP estima que cerca de 940 milhões de pessoas em todo o mundo possam beneficiar dos serviços de administração de vacinas nas farmácias. O estudo conduzido por esta organização revela que cerca de metade dos 45 países que foram alvo de análise apresentam já condições para prestação deste serviço à população.

O relatório revela uma tendência crescente no número de países que autoriza a administração de vacinas por farmacêuticos, que neste caso podem abranger cerca 655 milhões de pessoas, estimam os investigadores.

Além do caso português, o relatório inclui estudos em profundidade sobre o enquadramento desta prática profissional na África do Sul, Argentina, Austrália, Bélgica, EUA, Filipinas, França, Irlanda, Reino Unido e Suíça, considerados como exemplos de avanços que podem potencialmente ser adotadas por outros países para defender a participação dos farmacêuticos numa estratégia nacional de imunização.

Os resultados também destacam que, em alguns países, a administração de vacinas faz parte dos currículos universitários e que as preocupações concorrenciais de outros profissionais de saúde habilitados para a administração de vacinas estão a diminuir.

Clique aqui para aceder ao Relatório da FIP.