{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Conselho Nacional de Saúde apresentou relatório dedicado à saúde mental

16 Dezembro 2019
Conselho Nacional de Saúde apresentou relatório dedicado à saúde mental
O Conselho Nacional de Saúde (CNS) apresentou os resultados do estudo “Sem Mais Tempo a Perder: Saúde Mental em Portugal – Um Desafio para a Próxima Década”, que traça o panorama geral sobre as doenças do foro mental no nosso país.

O trabalho foi apresentado durante o terceiro Fórum do CNS, realizado no Auditório da Assembleia da República, em Lisboa.

O relatório apresenta oito recomendações para enfrentar a saúde mental como um dos grandes desafios do país em matéria de saúde:

1. Seja criada uma estratégia nacional de promoção da saúde mental na população, com particular enfoque na promoção da literacia em saúde mental nos vários contextos, e que faça parte de uma estratégia nacional integrada de promoção da saúde, intersectorial, participada, inclusiva e ao longo do ciclo de vida.

2. Seja assegurada a investigação continuada e mecanismos sustentados de recolha de informação sobre os determinantes da saúde mental e a prevalência de problemas de saúde mental na população portuguesa, assim como os resultados das políticas e programas de saúde mental implementados em Portugal.

3. Seja concretizada a integração da saúde mental nos cuidados de saúde primários a nível nacional e dotada dos recursos financeiros e humanos necessários à prestação efetiva dos diferentes tipos de cuidados.

4. Sejam planeados os recursos humanos em saúde mental para a próxima década, com eliminação das assimetrias geográficas e da escassez de profissionais, de modo a que o Serviço Nacional de Saúde seja capaz de prestar cuidados de qualidade às pessoas com problemas de saúde mental de forma atempada e equitativa.

5. Seja globalmente assegurada a capacidade financeira imprescindível para cumprir com as decisões tomadas pelo governo quanto às iniciativas na área da saúde mental, evitando que a asfixia financeira impeça a sua concretização.

6. Sejam criadas equipas de saúde mental comunitárias em todas as regiões de saúde, com os recursos necessários para prestar uma resposta de proximidade às pessoas que vivem com problemas de saúde mental e em articulação com o serviço social e os parceiros na comunidade.

7. Seja concluída a reforma da rede hospitalar, com a transferência da assistência psiquiátrica para os hospitais gerais, e consequente reorganização dos hospitais psiquiátricos.

8. Seja apresentado e implementado o Plano Nacional de Saúde para as Demências, promovendo uma sólida resposta intersectorial às pessoas que vivem com demência, às suas famílias e cuidadores, e tirando partido das múltiplas iniciativas que já existem por todo o país com resultados positivos.

Consulte o estudo "Sem Mais Tempo a Perder: Saúde Mental em Portugal – Um Desafio para a Próxima Década”.