{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Diretiva dos medicamentos falsificados com impacto significativo na Farmácia Hospitalar

28 Março 2018
Diretiva dos medicamentos falsificados com impacto significativo na Farmácia Hospitalar
O Conselho do Colégio de Especialidade de Farmácia Hospitalar da Ordem dos Farmacêuticos antecipa um impacto significativo da transposição para o ordenamento jurídico nacional da diretiva europeia sobre medicamentos falsificados, pelo desvio de recursos humanos para funções administrativas e pela complexidade acrescida em processos relacionados com devoluções a fornecedores ou em empréstimos entre hospitais, que em muitos casos são a via mais expedita para garantir o acesso dos doentes a medicamentos que lhes são essenciais.

A implementação da diretiva poderá levar a ruturas de fornecimento de vários medicamentos, com graves consequências para os doentes, adverte o Conselho do Colégio de Especialidade em Farmácia Hospitalar, destacando também o incremento de custos e desperdiço para os serviços farmacêuticos hospitalares no processo de devoluções de produtos a fornecedores.

O Conselho do Colégio de Especialidade considera importante sensibilizar desde já todos os intervenientes para a necessidade de investimentos em termos software, hardware, instalações e recursos humanos na Farmácia Hospitalar, de forma a serem cumpridos os requisitos impostos pela Diretiva 2011/62/UE e pelo  Regulamento Delegado (UE) 2016/161

A Ordem dos Farmacêuticos partilhou já estas e outras preocupações com o Infarmed, que, em conjunto com a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) e os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), estão a realizar visitas técnicas a diferentes farmácias hospitalares para avaliar as condições de implementação do novo regulamento e as alterações necessárias.