Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Estudo britânico afirma que farmacêuticos podem aliviar o trabalho de médicos de família

23 Agosto 2018
De acordo com um estudo britânico que envolveu mais de 130 mil cidadãos, a utilização de um novo sistema de prescrição de anti-hipertensores aliada à atuação de farmacêuticos, permitiu aliviar a carga de trabalho dos médicos de família.
O grupo de investigação, constituído por farmacêuticos, médicos e investigadores da Universidade de Oxford, analisou as notificações de farmácias comunitárias aos médicos de família sobre utentes, durante as duas primeiras semanas após o início de uma nova terapêutica. Da análise verificaram que 5.895 utentes (4,5%) teriam sido referenciados por farmácias para nova consulta de medicina geral e familiar.

Utentes que relataram efeitos secundários (19%) demonstraram uma tendência maior para serem reportados aos médicos de família. Por outro lado, os utentes que foram instruídos por farmacêuticos sobre a nova terapêutica e os que respeitaram as instruções relativas à toma dos medicamentos, revelaram uma menor tendência para serem redirecionados para os seus médicos de família.

No total, durante as duas primeiras semanas de tratamento, a maioria dos utentes com hipertensão (95%) que foram acompanhados por farmacêuticos, não necessitaram de nova consulta de medicina geral e familiar.

O estudo refere que, face à atual saturação dos serviços de medicina geral e familiar, novos modelos alternativos de gestão da hipertensão, como por exemplo, modelos auxiliados por farmacêuticos, poderão aliviar o crescente desgaste dos cuidados de saúde primários no Reino Unido.

Consulte o estudo na íntegra aqui.

Saiba mais aqui