Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso. Saiba mais

Compreendi
Imaem noticias

Notícias

Farmacêuticos do norte de Portugal e da Galiza partilham experiências em Cuidados Farmacêuticos

03 Junho 2016
Farmacêuticos do norte de Portugal e da Galiza partilham experiências em Cuidados Farmacêuticos
A Secção Regional do Norte (SRN) da Ordem dos Farmacêuticos (OF), em conjunto com a Delegação da Galiza da Sociedade Espanhola de Farmácia Familiar e Comunitária (SEFAC), organizou no dia 3 de Junho, no Porto, a sétima edição das Jornadas Atlânticas de Cuidados Farmacêuticos, este ano subordinadas ao tema “Presente e Futuro do Farmacêutico como Profissional de Saúde”.
A Secção Regional do Norte (SRN) da Ordem dos Farmacêuticos (OF), em conjunto com a Delegação da Galiza da Sociedade Espanhola de Farmácia Familiar e Comunitária (SEFAC), organizou no dia 3 de Junho, no Porto, a sétima edição das Jornadas Atlânticas de Cuidados Farmacêuticos, este ano subordinadas ao tema "Presente e Futuro do Farmacêutico como Profissional de Saúde”. Na abertura do evento, a bastonária da OF, Ana Paula Martins, saudou a realização desta reunião, por proporcionar um espaço para partilha de experiências e de diferentes perspetivas sobre o papel dos farmacêuticos comunitários no âmbito dos cuidados de saúde primários.
    
Ana Paula Martins destacou as vantagens de uma maior integração no SNS dos serviços assistenciais prestados pelos farmacêuticos comunitários, realçando a necessidade de uma visão integrada para o sistema de saúde que consagre também o impacto da intervenção destes profissionais ao nível dos cuidados hospitalares e continuados.

A dirigente da OF defendeu uma complementaridade efetiva entre as diferentes profissões da área da Saúde e uma colaboração das equipas multidisciplinares de saúde em prol dos doentes.

Para a bastonária da OF, serviços como a reconciliação da terapêutica, consulta ou prescrição farmacêutica, que foram alvo de análise durante as Jornadas, devem levar os farmacêuticos a demonstrar que as suas competências têm um valor acrescentado para o sistema.

No âmbito da promoção da saúde e prevenção da doença, a bastonária sublinhou que os farmacêuticos, pela sua proximidade da comunidade, devem assumir uma posição cada vez mais importante, dando assim o seu contributo para a redução da carga de doença e para a própria sustentabilidade do SNS.

Intervindo também na sessão de abertura, o presidente da SRN, Franklim Marques, realçou que o futuro da profissão depende também da capacidade de os farmacêuticos assumirem as suas competências e envolver-se nas diferentes áreas de prestação de cuidados de saúde.

Estas Jornadas ficaram também marcadas pelos depoimentos vídeo enviados pelo presidente do Conselho Federal de Farmácia do Brasil, Walter João, e pelo o presidente da Royal Pharmaceutical Society, no Reino Unido, Ashok Soni, que testemunharam realidade do exercício profissional dos farmacêuticos comunitários nos respetivos países.

Ao longo do dia, foram também apresentados vários testemunhos de médicos e farmacêuticos sobre experiências profissionais desenvolvidas em Portugal e Espanha, nomeadamente em áreas como a reconciliação da terapêutica, o aconselhamento e a consulta farmacêutica, a prescrição ou a indicação farmacêutica.

Foram ainda apresentadas as perspetivas do poder político e do regulador sobre a prestação de cuidados farmacêuticos, em intervenções a cargo da deputada da Comissão de Saúde, Luísa Salgueiro, e do vice-presidente do Infarmed, Hélder Mota Filipe, que integrou também a mesa de abertura, juntamente com o vereador da Câmara Municipal do Porto, Manuel Pizarro, a presidente da SEFAC-Galiza, Ana Sam Pedro, e os dirigentes da OF.

O encerramento do evento este a cargo do secretário da Estado Adjunto da Saúde, Fernando Araújo.