Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Farmacêuticos dos cuidados de saúde primários reuniram no Marvão

29 Janeiro 2018
Farmacêuticos dos cuidados de saúde primários reuniram no Marvão
Os farmacêuticos que trabalham nas Administrações Regionais de Saúde (ARS) e nas Unidades Locais de Saúde (ULS) estiveram reunidos este sábado, no Marvão, para participar no Encontro Nacional dos Serviços Farmacêuticos dos Cuidados de Saúde Primários 2018. Sob o lema da “Qualidade e Segurança para o Doente”, foram apresentadas experiências, projetos e novos serviços desenvolvidos nestas unidades, que se traduzem em importantes ganhos para os doentes, e que estimulam a ligação com os colegas farmacêuticos comunitários e hospitalares.

A abertura do evento esteve a cargo do presidente do Conselho de Administração da ULS Nordeste Alentejano, João Morta Reis, e da bastonária da Ordem os Farmacêuticos (OF), que enfatizou a relevância das intervenções dos colegas que trabalham nos cuidados de saúde primários, quer no plano da distribuição, assegurando o fornecimento de medicamentos e outros produtos de saúde às unidades de cuidados de saúde primários, quer no plano clínico, pelo desenvolvimento de programas de cuidados farmacêuticos, de que a consulta farmacêutica ou a reconciliação da terapêutica são alguns exemplos.

O programa contemplou espaços para apresentação destes novos projetos, como foram os casos do Projeto de Melhoria Contínua na ULS Matosinhos, a Consulta Farmacêutica na ULS Castelo Branco ou Consulta de Telefarmácia na ULS Litoral Alentejano.

Este tipo intervenções nos cuidados de saúde primários são já reconhecidas e valorizadas em países como o Reino Unido ou a Espanha, onde se assiste à contratação de mais recursos farmacêuticos e à sua integração nas equipas de saúde, conforme foi também recomendado, pelo Royal College of General Practitioners.

Em análise durante o evento estiveram também as responsabilidades das Comissões de Farmácia e Terapêutica (CFT) das ARS e os contributos dos farmacêuticos que integram estas estruturas para os processos de contratualização com os agrupamentos de centros de saúde e hospital, essencialmente pelo seu profundo conhecimentos sobre o uso de medicamentos nos cuidados de saúde primários.

O tema da Carreira Farmacêutica no Serviço Nacional de Saúde (SNS) esteve também em debate. Logo na abertura, a bastonária destacou o seu caráter inclusivo, ao abranger todos os colegas com vínculo à Administração Publica. Ana Paula Martins explicou o processo de regulamentação em curso, lembrando, contudo, a ação da Ordem e dos farmacêuticos que trabalham nesta área na apresentação de propostas que espelhem as atividades aí desenvolvidas e que perspetivem a sua evolução futura, em função das necessidades do sistema de saúde.

A bastonária destacou ainda a relação de proximidade destes profissionais com os colegas da Farmácia Comunitária e Hospitalar, num posicionamento que pode ser importante para promover uma maior articulação e uma maior integração de esforços, com vista à otimização da terapêutica.

Galeria de Fotos