Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Farmacêuticos entre os grupos prioritários para vacinação contra a gripe

15 Outubro 2018
Farmacêuticos entre os grupos prioritários para vacinação contra a gripe
Inicia-se hoje a campanha de vacinação contra o vírus da gripe. A vacina é recomendada a pessoas a partir dos 65 anos, grávidas, doentes crónicos e imunodeprimidos, profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados. A administração é gratuita no Serviço Nacional de Saúde (SNS), sendo também dispensada nas farmácias, mediante prescrição médica, e com comparticipação de 37%. Os farmacêuticos com funções assistenciais integram os grupos alvo prioritários para os quais se recomenda a vacinação, pela probabilidade acrescida de contacto e transmissão do vírus.

De acordo com informação da Direção-Geral da Saúde (DGS), existem a partir de hoje 1,4 milhões de doses da vacina trivalente contra a gripe para administrar gratuitamente nas unidades do SNS.

Este ano, a época vacinal tem início duas semanas mais tarde, seguindo uma orientação, também adoptada por outros países europeus do Sul da Europa, para garantir uma "melhor e maior proteção durante o período da epidemia de gripe”, que em Portugal tem início habitualmente na segunda quinzena de dezembro, com pico de incidência em janeiro.

Verificando-se um decréscimo na efetividade da vacina ao longo do tempo, principalmente nas pessoas idosas ou imunodeprimidas, o adiamento da época de vacinação permite um prolongamento da imunidade dos utentes.

O serviço é também prestado nas farmácias, por farmacêuticos com a competência em Administração de Vacinas e Medicamentos Injetáveis, e as receitas médicas emitidas a partir de 1 de julho de 2018, nas quais seja prescrita, exclusivamente, a vacina contra a gripe, são válidas até 31 de dezembro.

A Norma da DGS indica que estes profissionais integram também os grupos prioritários para vacinação, pelo contacto direto com os utentes e probabilidade acrescida de contrair o vírus.

Os farmacêuticos comunitários desempenham também um papel fulcral na sensibilização da população para a vacinação e complicações associadas ao vírus da gripe, em especial nos grupos mais vulneráveis.

Consulte a Norma da DGS.