{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Farmacêuticos são principal fonte de informação nos cuidados de saúde maternos

05 Abril 2018
Farmacêuticos são principal fonte de informação nos cuidados de saúde maternos
Um estudo realizado pelos Serviços Farmacêuticos do Royal Women’s Hospital, em Melbourne, na Austrália, indica que os farmacêuticos são a principal fonte de informação no aconselhamento aos prestadores de cuidados de saúde maternos sobre a utilização de medicamentos na gravidez. No inquérito realizado a profissionais de saúde que trabalham com mulheres grávidas, 74% das respostas apontam o farmacêutico como principal fonte de aconselhamento, 22% referem o médico de família e 3,7% os naturopatas e ervanárias.

O estudo revela também "uma escassez de informações sobre a segurança de produtos e medicamentos utilizados durante a gravidez”, pelo que os autores sugerem uma maior sensibilização para prevenir a utilização de suplementos com contra-indicações na gravidez.

De acordo com este estudo, os suplementos mais utilizados são o gengibre, probióticos e folhas de framboesa. Os autores destacam que os dados de segurança sobre estes produtos não são "alarmantes”, mas também "não têm a robustez” que leve à sua recomendação e uso seguro durante a gravidez.

Face à variedade de conselhos sobre estes produtos, ao aumento da utilização de ervas medicinais e à falta de informação sobre o seu uso seguro e responsável, "é essencial que os profissionais da saúde materna possam localizar facilmente informações”, dizem os autores.

"Mais educação e acesso a informações imparciais, incluindo sobre interações medicamentosas, são necessários para capacitar os profissionais de saúde materna a fornecer recomendações de segurança às mulheres grávidas”, conclui o estudo.