{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Farmácias iniciam campanha “Dê Troco a Quem Precisa”

20 Maio 2019
Farmácias iniciam campanha “Dê Troco a Quem Precisa”
Arranca hoje, dia 20 de maio, mais uma edição da campanha “Dê Troco a Quem Precisa”, iniciativa do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento, que desafia os utentes das farmácias aderentes a transformarem o troco das suas compras num donativo ao Fundo Solidário abem:. O valor angariado até 28 de maio será integralmente aplicado na aquisição de medicamentos dos beneficiários abrangidos.

O lançamento oficial da campanha decorreu na Farmácia Algarve, em Lisboa com a presença de Maria de Belém Roseira, embaixadora do Programa abem: da Associação Dignitude.

"Não podemos ficar indiferentes quando, em Portugal, existem famílias que não têm possibilidade de adquirir os medicamentos que lhes são prescritos. Os medicamentos são um bem indispensável, cujo não acesso põe em causa a saúde das pessoas. Uma situação ainda mais grave quando se trata de crianças e doentes crónicos. Esta é a justificação para a realização deste tipo de iniciativas e depositamos uma enorme esperança na adesão das pessoas a mais esta campanha”, explica Maria de Belém Roseira.

De acordo com a Associação Dignitude, um em cada 10 portugueses não consegue comprar os medicamentos que lhe são prescritos. O programa está presente em 121 concelhos de todos os distritos e regiões autónomas do país, assente numa rede de parcerias com entidades locais que referenciam as famílias em risco ao Programa. Estas pessoas, quando se tornam beneficiárias do abem:, recebem um cartão para usar na farmácia e levantar os medicamentos de que necessitam, sem qualquer custo.

A nível nacional, o programa conta com 9.128 beneficiários e 127 entidades referenciadoras. Ao abrigo do abem: foram já adquiridos 240.249 medicamentos desde a sua origem, em maio de 2016. O programa ambiciona atingir 14.500 pessoas em situação de carência de medicação até ao final de 2019.