{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Farmácias iniciam projeto “Seringas Só no Agulhão”

27 Junho 2019
Farmácias iniciam projeto “Seringas Só no Agulhão”
A Associação de Farmácias de Portugal (AFP) lançou hoje um projeto-piloto inovador nas farmácias, que se destina à recolha das seringas e agulhas utilizadas por pessoas com diabetes e pelos cidadãos que utilizam medicamentos injetáveis. As farmácias associadas vão disponibilizar um contentor, designado por “Agulhão”, onde os cidadãos podem depositar as seringas usadas.

A campanha "Seringas Só No Agulhão” é desenvolvida em parceria com a empresa especializada na gestão de resíduos hospitalares, Stericycle, respondendo à falta de soluções seguras e ecológicas para recolha de seringas usadas.

As farmácias já fazem a recolha das seringas, mas apenas no âmbito Programa de Troca de Seringas, especialmente dirigido aos utilizadores de drogas injetáveis. Neste âmbito, recolhem as seringas usadas (que depois são destruídas), dando em troca uma nova seringa esterilizada.

"Temos conhecimento das preocupações de alguns doentes diabéticos que se deparam com a inexistência de um sistema de recolha de seringas usadas. Sabemos que estes doentes têm muitas vezes de colocar as seringas dentro de garrafas de plástico que depois depositam no lixo comum. Este não é de todo o destino mais adequado para este tipo de resíduos”, explicou a presidente da AFP, Manuela Pacheco.

"A AFP considera ser absolutamente fundamental a criação de soluções nas farmácias que permitam aos utilizadores de medicamentos injetáveis entregarem as suas seringas usadas”, acrescentou a responsável.

Presente na apresentação do projeto-piloto, a bastonária da Ordem dos Farmacêuticos destacou o envolvimento das farmácias nestas iniciativas de responsabilidade social e ambiental. "Com este projeto, as farmácias respondem a mais um problema da sociedade, desta feita dos cidadãos portadores de diabetes e insulinodependentes, que não tinham onde depositar, de forma segura, os resíduos dos produtos que utilizam”, disse a bastonária.

"É um projeto que tem um forte impacto coletivo na sociedade, que protege a saúde pública e o ambiente e diminui o risco dos operadores envolvidos na manipulação, separação e triagem dos resíduos de embalagens e medicamentos que são entregues nas farmácias”, adiantou Ana Paula Martins.

A representante dos farmacêuticos espera que a iniciativa "possa ser alargada a outras farmácias do país, a todo o território continental e ilhas, abrangendo os 10 milhões de portugueses, para que possam entregar nas suas farmácias, de forma segura, as seringas, agulhas, lancetas e outros materiais cortantes. O nosso ecossistema agradece”.

Há cerca de um mês, a Sociedade Portuguesa de Diabetologia e da Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal lançaram um apelo aos Ministérios da Saúde e do Ambiente para que se crie uma rede de recolha e gestão das agulhas e lancetas que são usadas diariamente pelas pessoas com diabetes.

Com o lançamento deste projeto-piloto, a AFP quer contribuir para a implementação de soluções seguras que permitam melhorar a vida dos cidadãos e a Saúde Pública.

A campanha "Seringas Só no Agulhão” está disponível a partir de hoje e até ao final do ano em algumas farmácias associadas da AFP dos concelhos de Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Gondomar, Braga e Vila Verde.

O objetivo é, no futuro, alargar esta iniciativa a todo o país.