Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Henrique Santos Silva (1925-2018)

09 Outubro 2018
Henrique Santos Silva (1925-2018)
O farmacêutico analista clínico Henrique dos Santos Silva, proprietário e diretor técnico do Laboratório de Análises Clínicas Henrique dos Santos Silva & Associados, no Cartaxo, distrito de Santarém, faleceu este domingo, dia 7 de outubro. Tinha 93 anos e uma vida dedicada à atividade laboratorial e ao concelho ribatejano.

Natural da cidade da Praia, em Cabo Verde, onde o pai prestava serviço militar, Henrique dos Santos Silva frequentou o curso profissional na Escola Superior de Farmácia da Universidade de Coimbra, tendo concluído a licenciatura em Farmácia, em 1951, na Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto.

Envolveu-se logo como estudante no movimento associativo, colaborando com o Prof. Doutor Ramos Bandeira na luta para que a Escola de Farmácia passasse a Faculdade. Iniciou a sua atividade profissional com a realização de estágios nos Hospitais da Universidade de Coimbra, no ramo de Farmácia, e no Hospital Militar, no ramo de Laboratório. Foi, aliás, nesta área que desenvolveu a sua carreira, assumindo, em 1952, os destinos de um laboratório no Cartaxo com o seu nome.

Teve um papel preponderante na transformação do Sindicato em Ordem dos Farmacêuticos e, mais tarde, na criação da especialidade de Análises Clínicas, reconhecida pelo Supremo Tribunal de Justiça, após diferendo com a Ordem dos Médicos. Recebeu o título de especialista decorria o ano de 1968 e foi um dos impulsionadores da realização das Sessões de Estudo das Análises Clínicas. No laboratório que dirigiu, acolheu mais de uma centena de jovens estagiários do curso de Ciências Farmacêuticas, procurando incutir o gosto pela atividade laboratorial.

Foi um dos fundadores da Associação Portuguesa de Analistas Clínicos, tendo dado início aos programas de controlo e avaliação da qualidade laboratorial em Portugal. Do seu currículo, constam ainda a colaboração com o Hospital de Santarém, na pesquisa de doenças raras, como as hemoglobinopatias e mielomas, no Ribatejo, e autoria de um livro sobre eletroforese das proteínas e numerosas bibliografias sobre análises clínicas.

Durante 26 anos, entre 1971 e 2007, foi responsável pela análise da qualidade das águas do concelho do Cartaxo, onde foi também um dos principais impulsionadores, e fundador, do primeiro jardim de infância no concelho ribatejano, batendo-se por conseguir um espaço onde as trabalhadoras das fábricas na região pudessem deixar os seus filhos. Em 2008, foi reconhecido pela Câmara Municipal do Cartaxo com a Medalha de Mérito Municipal.

Em 2011, recebeu a Medalha de Honra da Ordem dos Farmacêuticos pela sua grande dedicação à profissão farmacêutica, pelo seu elevado mérito e por ter contribuído de modo extraordinário para a valorização da atividade farmacêutica no seio da sociedade.