{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Medalha da defesa nacional para farmacêuticas das Forças Armadas

01 Julho 2020
Medalha da defesa nacional para farmacêuticas das Forças Armadas
O ministro da Defesa Nacional distinguiu vários militares das Forças Armadas pelo seu contributo para a resposta nacional à pandemia de covid-19, entre os quais estão as farmacêuticas diretoras do Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos (LMPQF), Margarida de Sá Figueiredo, e do Departamento de Logística Sanitária da Marinha, Helena Fernandes.
No diploma assinado pelo ministro João Gomes Cravinho, publicado em Diário da República a 26 de junho, destaca-se a "elevadíssima competência técnico-profissional, extraordinário desempenho e relevantes qualidades pessoais” de mais de três dezenas de militares com responsabilidades em diferentes unidades das Forças Armadas.

A coronel farmacêutica Margarida de Sá Figueiredo dirige o LMPQF desde 2016. É a primeira mulher a conduzir os destinos desta estrutura logístico-farmacêutica do exército. Durante o período de pandemia que o País e o mundo enfrentam, o LMPQF tem sido chamado a apoiar o Ministério da Saúde em múltiplas ações na luta contra o novo coronavírus, como a produção diária de gel desinfetatante (4000 litros) e de medicamentos a pedido Serviço Nacional de Saúde (SNS) ou no armazenamento, gestão e distribuição da reserva estratégica do medicamento e dispositivos médicos do SNS.

A farmacêutica naval Helena Fernandes, capitão de fragata, é a diretora do Departamento de Logística Sanitária da Marinha desde 2018, responsável pelo serviço farmacêutico deste ramo das Forças Armadas. Desde o início da pandemia, tem estado envolvida em inúmeras ações de descontaminação que a Marinha tem vindo realizar, assumindo a coordenação do Grupo de Controlo de Infeção da Marinha.

A imposição das medalhas pelo ministro da Defesa Nacional ocorreu 18 de junho, numa cerimónia adaptada às regras de distanciamento social em vigor, tendo sido apenas entregues, de forma simbólica, aos quatro chefes militares, almirante Silva Ribeiro, Chefe do Estado Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA), almirante Mendes Calado (Armada), general Nunes da Fonseca (Exército) e general Nunes Borrego (Força Aérea). 

Os restantes 36 militares, com postos de oficial a soldado, recebem as suas medalhas em cerimónias posteriores.

"Deixo bem vincado o meu reconhecimento público a todos os homens e mulheres, oficiais, sargentos e praças das nossas Forças Armadas que, encarnando os valores do dever e do serviço, se destacaram na forma como enfrentaram este inimigo novo e invisível”, afirmou João Gomes Cravinho.