Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Morreu Carlos Silveira

20 Maio 2018
Morreu Carlos Silveira
O bastonário da Ordem dos Farmacêuticos entre 1989 e 1995, Carlos Fernando Costa da Silveira, morreu este sábado, em Cascais, aos 95 anos.

O velório realiza-se hoje, domingo, a partir das 18 horas, no Centro Funerário de Cascais (Alcabideche). O funeral está marcado para amanhã, segunda-feira, pelas 11 horas, no Cemitério do Estoril.

Carlos Silveira licenciou-se em 1945 na Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, onde concluiu também o doutoramento, em 1966.

Entrou para a Marinha aos 24 anos como farmacêutico, onde permaneceu durante 43 anos, tendo ocupado o cargo de subdirector do Serviço de Saúde Naval.

Foi investigador e Professor Catedrático da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa e esteve ligado ao Ministério da Saúde durante 13 anos, entre 1961 e 1974

É de sublinhar a sua intervenção na génese da Comissão Técnica de Novos Medicamentos, na implementação de farmácias hospitalares, na criação da Ordem dos Farmacêuticos, do Centro de Metabolismo e Genética da Universidade de Lisboa, bem como do Laboratório de Análises Fármaco-Toxicológicas da Marinha

Em 2010 foi galardoado pela Direção-Geral da Saúde com o Prémio Nacional de Saúde e, em 2012, recebeu a Medalha de Ouro da Ordem dos Farmacêuticos.

"O Professor Carlos da Silveira foi um homem notável. Deixa-nos muito, uma obra feita, em todo o lado onde passou. As suas ideias vanguardistas, abertas e com uma cultura ímpar, projetam-no para além do seu tempo de vida.", destacou a bastonária, Ana Paula Martins, que acompanhará as cerimónias fúnebres que decorrem hoje e amanhã, em Cascais.

"Faço-o em nome de todos os farmacêuticos que sei que neste momento se unem no pesar que sentem pelo seu desaparecimento", disse ainda.

A Ordem dos Farmacêuticos manifesta o seu profundo pesar pelo desaparecimento de um dos seus mais ilustres membros, cuja ação foi decisiva para o desenvolvimento da Farmácia, das Ciências Farmacêuticas e na própria criação desta Ordem profissional.

Por todo o legado que deixou e pelos valores e princípios que transmitiu a colegas, alunos e a todos com quem conviveu, a Ordem dos Farmacêuticos expressa também o seu reconhecimento e agradecimento.

Em nome de todos os farmacêuticos portugueses, a Ordem dos Farmacêuticos endereça as mais sentidas condolências a toda a família e amigos.