{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

OF reuniu Plataforma Ensino-Profissão

17 Março 2017
A Ordem dos Farmacêuticos (OF) reuniu, pela primeira vez, a Plataforma Ensino-Profissão, uma estrutura consultiva da Direção Nacional que tem como missão refletir sobre a qualidade e a atualidade do ensino de Ciências Farmacêuticas, na perspetiva da integração das diversas áreas de intervenção profissional.
A Ordem dos Farmacêuticos (OF) reuniu, pela primeira vez, a Plataforma Ensino-Profissão, uma estrutura consultiva da Direção Nacional que tem como missão refletir sobre a qualidade e a atualidade do ensino de Ciências Farmacêuticas, na perspetiva da integração das diversas áreas de intervenção profissional. Sob a coordenação da professora da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra, Margarida Caramona, este conselho procurará responder ao desafio de aproximação entre o ensino e a prática profissional.
    
Nesta primeira reunião, foram apresentados os objetivos da Plataforma, definida uma metodologia de trabalho e estimulado o relacionamento entre as instituições de ensino superior universitário e os profissionais que estão no terreno, designadamente através dos Conselhos do Colégios de Especialidade da OF e grupos profissionais.

Com respeito pela autonomia universitária e pela liberdade inerente aos processos de ensino e aprendizagem, a OF considera que a formação de profissionais qualificados, competentes e adaptados à realidade atual e futura dos farmacêuticos só se consegue respondendo aos desafios propostos pela prática profissional.

Esta plataforma é uma medida política de enorme alcance estratégico para a profissão, ao privilegiar a definição de uma agenda comum e um alinhamento entre as instituições de ensino e a ordem profissional, procurando assim adaptar a formação superior dos farmacêuticos às exigências e necessidades da sociedade.

Uma das preocupações manifestadas nesta primeira reunião diz respeito à redução do número de candidaturas ao Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, bem como sobre a fraca atratividade de algumas áreas especificas da intervenção farmacêutica.