{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

PGEU realça intervenção dos farmacêuticos comunitários durante a pandemia de Covid-19

15 Maio 2020
PGEU realça intervenção dos farmacêuticos comunitários durante a pandemia de Covid-19
O Grupo Farmacêutico da União Europeia (PGEU) emitiu um comunicado destacando o “trabalho incansável” dos farmacêuticos comunitários deste o início da crise pandémica provocada pelo novo coronavírus. O PGEU recomenda a integração da rede de farmácias nas estratégias de imunização da população, através da realização testes point-of-care para a Covid-19 assim que estiverem disponíveis.
Os farmacêuticos comunitários "foram a primeira linha de aconselhamento, tratamento e encaminhamento para muitos cidadãos europeus em doenças comuns, impedindo com sucesso visitas desnecessárias a serviços de emergência”, destaca o PGEU em comunicado. Estiveram disponíveis "24 horas por dia, 7 dias por semana, durante o período de confinamento e organizaram serviços de entrega ao domicílio para cidadãos mais vulneráveis”, acrescenta.

Por outro lado, a rede local de farmácias comunitárias em toda a Europa está a apoiar as autoridades de saúde na distribuição de equipamentos de proteção certificados e a aconselhar o público sobre seu uso correto e seguro.

"Conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde para a Europa e pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico, vários países europeus introduziram mudanças na legislação para expandir o papel dos farmacêuticos e aliviar a pressão sobre o sistema de saúde”, recorda o PGEU. 

Como exemplo, refere a renovação de prescrições de medicamentos para doentes crónicos e a distribuição de medicamentos hospitalares em farmácias comunitárias. 
"Os farmacêuticos comunitários estão prontos e comprometidos em avançar ainda mais com o apoio aos cidadãos e sistemas de saúde europeus, à medida que a pandemia do COVID-19 evolui e as medidas de contenção são gradualmente levantadas”, disse o farmacêutico português Duarte Santos, presidente do PGEU, citado no comunicado.

"Pedimos aos governos que forneçam apoio adequado aos farmacêuticos comunitários por sua contribuição vital para os sistemas de saúde e apoio à população”, sugeriu o responsável.