{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Prémio de Jornalismo "Farmacêuticos e Sociedade" atribuído a Sofia Morais a título póstumo

14 Outubro 2017
Sofia Morais, jornalista da TSF falecida em julho deste ano, foi a vencedora do prémio de jornalismo “Farmacêuticos e Sociedade”, uma iniciativa da Ordem dos Farmacêuticos (OF), em parceria com o Sindicato dos Jornalistas. O prémio foi entregue pela primeira vez, pelo Presidente da República, durante a sessão de encerramento do Congresso Nacional dos Farmacêuticos, que decorreu nos últimos três dias, em Lisboa.

O júri deliberou atribuir o prémio a Sofia Morais e à qualidade da série "Horizonte VIH/Sida”, um conjunto de 25 trabalhos emitidos pela TSF entre setembro e dezembro de 2016 e realizados com a colaboração de Miguel Silva.

O tema das reportagens reveste-se de particular oportunidade e interesse para os farmacêuticos, uma vez que coincidiu com o início do projeto-piloto para dispensa de medicamentos para o VIH/Sida nas farmácias comunitárias, medida se perspetiva poder ser alargada a outras terapêuticas, atualmente apenas de dispensa exclusiva nas farmácias hospitalares.

Foi deliberado igualmente conceder duas menções honrosas, a Dulce Salzedas,da SIC, com a Reportagem Especial sobre o programa Abem (da Associação Dignitude) e a Sónia Balasteiro, da revista Farmácia Portuguesa, com a reportagem "Linha da Frente”, sobre a intervenção dos farmacêuticos nos incêndios em Pedrógão Grande.

O Prémio "Farmacêuticos e Sociedade”, suportado integralmente pela Direção Nacional da OF no valor de 3.000 euros, destina-se a reconhecer a qualidade de trabalhos jornalísticos no âmbito da Saúde, particularmente os que versam sobre a intervenção dos farmacêuticos de todas as especialidades: das farmácias comunitárias e hospitalares, laboratórios de análises clínicas, indústria, distribuição, ensino, investigação.

Sofia Morais, representada na cerimónia pelo irmão e o filho, entre outros familiares e colegas de trabalho, faleceu aos 46 anos de idade, vítima de doença oncológica. Dedicou duas décadas de trabalho à TSF, como jornalista, nas áreas da Justiça e da Saúde, e como editora.

Além dos fatores de qualidade jornalística, o júri do prémio foi sensível ao facto de a sua candidatura ter sido apresentada pelos colegas da TSF: um "gesto nobre, de homenagem e reconhecimento, espelhado no compromisso de entrega do valor do prémio à família da Sofia, os seus dois filhos".

O júri entendeu ainda que a escolha da Sofia Morais é também um prémio de carreira, por toda a atenção e o cuidado com que tratava os temas da área da Saúde, e que fez dela uma das jornalistas de referência nesta área.