{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Presidente da FIP quer o setor farmacêutico mais sustentável

04 Setembro 2018
Presidente da FIP quer o setor farmacêutico mais sustentável
Na Cerimónia de Abertura do 78º Congresso Mundial de Farmácia e Ciências Farmacêuticas da Federação Internacional Farmacêutica (FIP), Carmen Peña, presidente da FIP, defendeu a adoção urgente de políticas sustentáveis no setor farmacêutico. O discurso ditou o início do congresso em Glasgow, na Escócia, que decorre de 2 a 6 de setembro.

"Nós, farmacêuticos, como profissionais de saúde de proximidade, não apenas aos doentes, mas às pessoas em geral, temos uma grande oportunidade de atuar como um fator chave para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas relativos à saúde e ao bem-estar da sociedade”, referiu. "Para alcançar esta visão”, adiantou, "precisámos de estabelecer uma série de objetivos sustentáveis, entre eles: a sustentabilidade no acesso e no uso responsável do medicamento; sustentabilidade dos farmacêuticos como profissionais integrados nos sistemas de saúde; e sustentabilidade na conservação ambiental.”

Carmen Peña referiu as suas preocupações face às dificuldades no acesso a medicamentos e, consequentemente, à crescente ameaça dos medicamentos falsificados, reiterando a importância da adoção de políticas locais, regionais e globais e da intensificação da colaboração internacional, no sentido de manter um circuito do medicamento intacto.

No que diz respeito aos farmacêuticos, a presidente da FIP acredita que a sustentabilidade requer um urgente investimento na formação de farmacêuticos e na qualificação dos mesmos, para permitir uma melhor distribuição dos profissionais a nível mundial. Referiu ainda a importância de assegurar a liberdade intelectual, profissional e económica do farmacêutico para o manter relevante nos sistemas de saúde.

Carmen Peña afirmou a importância de minimizar o impacto dos medicamentos no ambiente, não só após a dispensa, mas durante todo o ciclo de vida do medicamento. "Mais importante ainda, devemos pôr fim à percepção de que as medidas ambientais são um obstáculo e considerá-las uma oportunidade de crescer e inovar, porque, se somos parte do problema, também devemos fazer parte da solução”, afirmou.

No ano em que termina as suas funções como presidente da FIP após um mandato de 4 anos, Carmen Peña terminou a sua intervenção assegurando que a saúde das populações é o "propósito fundamental” dos farmacêuticos, e que estes têm renovado a profissão, através de serviços que assegurem as necessidades das populações.