Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

Profissionais de saúde felicitam posição do Parlamento Europeu sobre o próximo Orçamento

15 Março 2018
foto parlamento europeu
O Parlamento Europeu aprovou duas resoluções sobre o próximo Quadro Financeiro Plurianual, que esteve em consulta pública até 9 de março. Os eurodeputados defendem o financiamento de novas prioridades e a responsabilidade da União Europeia na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para as áreas da Saúde Pública, dos sistemas de saúde e no âmbito dos problemas de saúde relacionados com ambiente, de forma a reduzir as desigualdades em saúde. As associações europeias que representam as profissões de saúde elogiaram o compromisso assumido pelos eurodeputados.

"Mesmo em tempos de restrições orçamentais, não existe crescimento económico sem investimentos na Saúde”, defendem o Conselho dos Dentistas Europeus (CED), o Comité Permanente dos Médicos Europeus (CPME) e O Grupo Farmacêutico da União Europeia (PGEU), em comunicado conjunto emitido após última reunião plenária do Parlamento Europeu.

"O reconhecimento das políticas de saúde como prioridade na agenda da UE foi um primeiro passo”, disse o deputado Jesus Aguilar Santamaria, presidente da PGEU. "Agora apelamos à Comissão Europeia para que tenha em conta esta visão clara sobre a saúde apresentada pelo Parlamento Europeu”, acrescentou.

"Embora reconheçamos que um dos objetivos da União é o de fortalecer o mercado interno, sublinhamos que o investimento em saúde e numa força de trabalho saudável é uma condição prévia para um desenvolvimento sustentável e um crescimento económico inclusivo", acrescentou o presidente da CED, Marco Landi.

Jacques de Haller, presidente da CPME, destacou que os desafios das "resistências antimicrobianas”, as "barreiras à vacinação”, as "condições relacionadas com estilos de vida, como a obesidade ou as carências dentárias” ou a "falta de recursos humanos na saúde”, sublinham a necessidade de manter e reforçar a cooperação da UE para proteger a saúde da população europeia”.