{ordemfarma/noticias/detalhes/head}
Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.

Compreendi

Notícias

697 vagas em Ciências Farmacêuticas

29 Julho 2020
697 vagas em Ciências Farmacêuticas
O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, através da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), disponibilizou os dados relativos ao Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior Público de 2020/2021. O prazo de candidaturas decorre entre 7 a 23 de agosto. As instituições de ensino superior públicas disponibilizam, ao todo, 52.129 vagas. O Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas (MICF) regista mais 7 vagas do que no ano passado, para um total de 697 vagas para futuros farmacêuticos.
As cinco instituições públicas que lecionam o MICF – Faculdades de Farmácia das Universidades de Lisboa, Porto e Coimbra e Universidades da Beira Interior e do Algarve - disponibilizam este ano um total de 682 vagas, às quais se juntam as 15 vagas da Universidade dos Açores para o Ciclo Preparatório do MICF, correspondente aos dois primeiros anos do curso.

A Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa e a Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra continuam a ser as instituições que disponibilizam mais vagas no concurso geral de acesso – 212 e 190, respetivamente –, sendo também as únicas que registaram aumentos de vagas este ano – 3 em Lisboa, 4 em Coimbra.
A Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto mantém as 175 vagas disponibilizadas no ano passado, em que foi também a instituição com a nota de entrada do último classificado mais elevada (150,3).
 
Na Universidade da Beira Interior, na Covilhã, o curso de Ciências Farmacêuticas disponibiliza 60 vagas, enquanto na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve são disponibilizadas 45 vagas.

Nota ainda para as licenciaturas em Farmácia lecionadas nos institutos politécnicos de Lisboa, Porto, Coimbra, Faro, Guarda e Bragança, que disponibilizam as mesmas 254 vagas que no concurso geral de acesso de 2019/2020.  

Consulte os dados disponibilizados pela DGES.